Notícias

Cigarros eletrónicos: OMS recomenda proibição em espaços públicos fechados

25 setembro 2014
cigarros_eletronicos_oms

25 setembro 2014

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que o vapor libertado pelos cigarros eletrónicos aumenta o nível de substâncias tóxicas presentes no ar.

A Organização Mundial de Saúde recomenda a proibição dos cigarros eletrónicos em espaços públicos fechados. A entidade aconselha ainda um maior controlo sobre a publicidade a estes produtos e que a sua venda seja impedida a menores de idade.

Na base desta posição estão estudos citados pela OMS, que demonstram que o vapor libertado pelos cigarros eletrónicos (também conhecidos como e-cigarros) não contém apenas vapor de água, como anunciam os fabricantes. Inclui componentes que aumentam o nível de partículas, de substâncias tóxicas e de nicotina no ar. Em ambientes fechados, o organismo humano fica mais exposto a essas substâncias, que podem ser prejudiciais à saúde.

A OMS também aconselha os consumidores a evitarem os cigarros eletrónicos enquanto houver um desconhecimento sobre os seus efeitos negativos, principalmente nos adolescentes e nas mulheres grávidas. São necessários mais estudos que comprovem a sua eficácia como produto para deixar de fumar.

Por existirem ainda muitas dúvidas sobre os riscos associados aos e-cigarros, a Comissão Europeia aprovou, no passado mês de março, um conjunto de regras que restringem a sua comercialização. Porém, essa diretiva não harmoniza as normas em relação aos ambientes sem fumo de tabaco. Deixa aos Estados-membros o papel de regulamentar tais matérias na sua jurisdição. Continua assim a existir um vazio legal sobre a utilização dos cigarros eletrónicos em espaços fechados.


Imprimir Enviar por e-mail