Notícias

Banco CTT vai começar a cobrar comissões de manutenção

As contas à ordem do Banco CTT vão deixar de ser gratuitas, a partir de 31 de março. Os clientes passarão a pagar 20,80 euros, por ano, pela manutenção de conta. Além do fim desta isenção, o banco anunciou outros aumentos para 2022.

  • Especialista
18 janeiro 2022
  • Especialista
Comissões de manutenção Banco ctt

iStock

Os clientes do Banco CTT vão passar a pagar comissão de manutenção pela conta à ordem a partir de 31 de março. O encargo terá um custo de 5,20 euros por trimestre, num total de 20,80 euros anuais. Quem tiver um cartão de débito associado à conta ficará isento da comissão, mas verá a anuidade do cartão aumentar 23%, para 19,24 euros. Mas as más notícias não ficam por aqui: a conta de serviços mínimos, até agora gratuita, passará a ter um custo de 4,24 euros por ano (valor próximo do máximo permitido por lei), e os levantamentos ao balcão custarão 7,80 euros por operação, mais 67% do que até aqui.

Ainda assim, o valor anual que o Banco CTT vai passar a cobrar pela manutenção de conta representa menos de um terço do que é cobrado pela média dos bancos nacionais.

O Banco CTT não é o primeiro banco a comunicar aumentos no arranque de 2022. No início do ano, o Novo Banco anunciou aumentos nas anuidades dos cartões de débito e de crédito e o fim das isenções nas comissões de manutenção.

Banco CTT: o fim da estratégia do "custo zero"

Desde o seu surgimento, em março de 2016, o Banco CTT regeu-se por uma política de baixos custos, que lhe valeu 600 mil clientes em apenas cinco anos.

"Zero" na comissão de manutenção de conta, "zero" na anuidade do cartão de débito e "zero" nas transferências através da internet era o lema do banco. Esta oferta competitiva valeu-lhe, por várias vezes, a nossa recomendação como Escolha Acertada nos estudos de contas à ordem, título que perdeu quando passou a cobrar 15,60 euros anuais pelo cartão de débito, na primavera de 2020. 

Por enquanto, subsiste um "custo zero": as transferências via homebanking continuam a ser gratuitas. 

Apenas quatro bancos não cobram comissão

Restam apenas quatro bancos que não cobram comissões de manutenção de conta: o ActivoBank, o Banco BiG, o Best Bank e o BNI Europa. No cenário habitualmente utilizado nos nossos estudos sobre contas à ordem, o Banco CTT mantém o segundo lugar do pódio, mas a melhor opção continua a ser o ActivoBank que, para já, disponibiliza contas à ordem (incluindo o cartão de débito) a custo zero.

Neste panorama de aumentos consecutivos nas comissões bancárias, as contas de serviços mínimos têm-se posicionado, cada vez mais, como uma alternativa mais barata. A comissão de manutenção deste tipo de conta está limitada por lei e não pode ultrapassar os 4,43 euros anuais (equivalentes a 1% do indexante dos apoios sociais, em 2022). Há, no entanto, uma limitação importante ao seu acesso, da qual discordamos: para abrirem uma conta de serviços mínimos, os consumidores não podem ser titulares de qualquer outra conta à ordem em todo o sistema bancário.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.