Dicas

Seguro de recheio da casa: como avaliar o património

10 julho 2017

10 julho 2017

Antes de contratar um seguro para o recheio da habitação ou de adicionar essa cobertura ao multirriscos, calcule corretamente o valor do seu património.

Para calcular corretamente, o valor do recheio da habitação, a primeira tarefa é fazer uma lista com todas as divisões da casa. Em cada assoalhada, inscreva detalhadamente todos os bens que a compõem. Além do mobiliário e eletrodomésticos, não esqueça o vestuário e calçado, loiças e trens de cozinha, livros e objetos decorativos.

À frente de cada bem, anote o seu valor em novo. Idealmente, guarde também as faturas que comprovam a aquisição destes objetos por esse valor. No final, some todas as parcelas e apure o valor total do recheio da sua habitação. Esse valor deve incluir eventuais objetos guardados na varanda ou na arrecadação.

Deve ainda mencionar à parte alguns objetos especiais, como obras de arte, coleções ou joias de grande valor. Se possível, guarde fotografias destes objetos. Neste caso, tem de indicar o valor real do bem no mercado, o que pode obrigar a uma avaliação especializada.

Ao valor total apurado, adicione aproximadamente 10% para cobrir eventuais esquecimentos ou aumentos de preço. Esse deve ser o valor do capital a segurar no seguro multirriscos-habitação.

Se o valor declarado no seguro for inferior ao real valor do que acumula na habitação, a seguradora não irá cobrir a totalidade dos bens, em caso de sinistro. Nesse caso, o perito avalia que percentagem do valor total do património estava coberta pelo seguro e indemniza os danos na mesma percentagem.

Para evitar grandes desfasamentos entre o capital seguro e o valor dos bens, atualize a lista do seu património de cinco em cinco anos e, em caso de necessidade, comunique à seguradora o valor atual do recheio da casa.