última atualização: 03/04/2022

Aquecimento da piscina e das AQS

Boa tarde,

Estou a construir um moradia em Famões, Odivelas que terá piscina (de 7m por 3m com profundidade máxima de 1,60m, em tela armada com cobertura de barras). A moradia tem previsto 2 painéis solares para AQS com termosifão de 300l com resistência elétrica apoiado por um esquentador a gás. Para o aquecimento  exclusivo da piscina estava a prever fazer uma pré-instalação de uma bomba de calor, avaliando mais tarde a necessidade de adquirir esse equipamento.

Contudo, sugeriram-me duas alternativas:

1. Excluir o termosifão e o esquentador a gás e colocar o cilindro da água na cave com um sistema kit solar forçado. Incluir ainda um permutador que permitisse aquecer a água da piscina quando houvesse sol suficiente. Fazer uma pré instalação da bomba de calor para aquecimento da piscina para o caso de se verificar que o permutador não seria suficiente.

2. Partindo do preessuposto que o permutador de calor não seria suficiente para aquecer a piscina na maioria das vezes, propuseram-me a instalação de uma bomba de calor para AQS utilizando depois o permutador de calor para aquecer a piscina.

Sabendo que a versão 1 fica cerca de 5000€ mais cara que a versão original (e mais caro ainda se optar pela bomba de calor da opção 2), gostaria de conhcer a vossa opinião sobre que opção tomar. 

Obrigado.

Pedro Martins

 

 

 

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer o ar e climatizar da comunidade Energias Renováveis

1 Comentários

Filtrar por :
Faça login para aceder a este conteúdo. 
03/04/2022

Bom dia,

 

Relativamente à produção das AQS deverá ter em conta os seguintes pontos:

Se as casas de banho estiverem localizadas a uma longa distância do ponto de produção das AQS então é conveniente que exista um sistema de recirculação das águas quentes sanitárias (anel de retorno), para que assim possa reduzir o consumo de água e diminuir o tempo de espera da água quente.

Esta situação apenas é possível com a aplicação de um depósito vertical.

 

No caso de não existir esta situação, então pode optar pelo termossifão e a injeção da água ser feita diretamente no ponto de água quente mais perto. Neste caso o apoio seria feito apenas pela resistência elétrica e não pelo esquentador, para que assim tenha um menor percurso da água quente e não limite o caudal.

Tenha em consideração que na certificação energética do imóvel o uso da resistência elétrica é desvantajoso e para isso antes de optar fale com o perito qualificado e peça a simulação para ambas as situações. Pode deixar a instalação preparada para as duas opções e posteriormente escolher aquela que lhe for mais vantajosa.

Tenha também em conta que na alimentação elétrica da resistência elétrica deve ser colocado um interruptor diferencial de 30mA, disjuntor e relógio programador, para que a mesma esteja desligada nas horas de sol.

 

Para o aquecimento da piscina e visto que ainda não tomou uma decisão deixe preparado o local e as ligações para as duas possibilidades: Bomba de calor e coletores solares térmicos.

No caso dos coletores deve ter em conta que tem de passar dois tubos de cobre e um tubo para passagem de cabo de sonda de temperatura, desde o telhado até à zona técnica onde vai colocar o permutador. Prepare também o telhado para receber a estrutura metálica que no mínimo deverá possibilitar a colocação de 5 unidades, 10m2 de área de captação.

Se estiver a ponderar também a colocação de painéis fotovoltaicos prepare também o telhado para isso e as respetivas passagens para o local de colocação do inversor e sua interligação ao quadro elétrico principal.

 

Por ultimo deve ter em conta a potência contratada da sua instalação elétrica que deverá ser suficiente para o funcionamento de todos os equipamentos elétricos.

 

Alguma dúvida adicional disponha,

 

Cumprimentos,

Equipa das energias renováveis