Notícias

Falta de manutenção nas chaminés aumenta risco de incêndio

08 fevereiro 2017
perigos nas chaminés dos condomínios

08 fevereiro 2017
A limpeza de chaminés deve estar incluída na rotina de manutenção do edifício. Negligenciar a tarefa potencia acidentes que podem acarretar responsabilidades para proprietários ou administradores.

O nosso país não tem lei específica que obrigue à limpeza das chaminés dos edifícios. Mas este tipo de estrutura requer atenção especial e a lei aconselha os proprietários a fazerem uma manutenção regular.

A maioria dos pedidos de socorro que chegam aos bombeiros na altura do inverno corresponde a incêndios originários em chaminés, segundo os dados da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Quando se acende uma lareira, os gases e fumos extraídos acumulam-se nas paredes e formam uma substância altamente inflamável – creosoto. A passagem do tempo e a constante utilização aliada à falta de limpeza criam um ambiente propício à ocorrência de um incêndio.

A limpeza periódica, eliminando a referida substância, assim como outros detritos que se possam acumular nas chaminés, deve ser feita por empresas especializadas. Estas devem emitir um certificado que iliba a responsabilidade dos proprietários.

Esta manutenção previne o risco de incêndio e evita danos no imóvel, como a má exaustão dos fumos que, com os anos, provoca mau cheiro na habitação e escurecimento das paredes.

Os proprietários são responsáveis pela limpeza das chaminés. Saiba como proceder se a limpeza não for cumprida, no artigo completo no portal Condomínio DECO+.


Imprimir Enviar por e-mail