Teste a pneus

Como escolher os pneus

Ajudamos a encontrar os melhores para o seu carro.

Antes de avançar para a compra de um pneu, compare os preços em diferentes lojas e verifique se a montagem e a equilibragem estão incluídas. Leia também os nossos conselhos de manutenção e saiba com que regularidade deve controlar a pressão.

Guia de compras

Principais características

Cada carro é homologado para circular com um pneu de uma determinada medida, à qual corresponde um dado peso e uma velocidade máxima. Escolher bem os pneus e mantê-los em bom estado são aspetos importantes que ajudam a reduzir o consumo do veículo, melhoram a segurança na condução e previnem problemas e riscos.

Periodicamente, verifique o estado dos pneus e a profundidade do rasto. Se o pneu apresentar desgaste irregular da borracha ou esta tiver um relevo inferior a 1,6 milímetros, significa que deve ser trocado. Caso tenha de comprar pneus novos, troque os dois pneus do mesmo eixo ao mesmo tempo.

As principais características dos pneus apresentam-se em códigos de identificação que se podem ler, em relevo, na parte lateral do pneu. Por exemplo, o que significam as inscrições 205/55R16 89V Tubeless E4 T0220 num pneu?

  • 205: largura do pneu em milímetros.
  • 55: relação, expressa em %, entre a altura e a largura do pneu. Quanto menor esse valor, maior o aspeto desportivo do pneu: largo e com laterais menos altas.
  • A: indica que o pneu é radial. Todos os pneus de carros atuais são radiais.
  • 16: diâmetro externo do aro, expresso em polegadas (neste caso, 16 x 2,54 cm = 40,64 cm).
  • 89: índice de carga. O pneu com índice 82 suporta uma carga de 580 kg. Ou seja, o carro, os ocupantes e a carga juntos podem pesar 2320 kg com estes pneus.
  • V: índice de velocidade, que se refere à velocidade máxima permitida do veículo: T: 190 km/h, H: 210 km/h, V: 240 km/h. Se o automóvel estiver homologado para uma velocidade máxima de 220 km/h, deve estar equipado com pneus de índice V e não pode circular com pneus de índice H, mesmo que o condutor não pretenda atingir esta velocidade. Na ficha técnica de inspeção da sua viatura pode verificar quais são os pneus que deve montar.
  • Tubeless: o pneu não possui câmara de ar.
  • E4: o pneu cumpre as normas europeias.
  • T0220: código do ponto, que indica a data de fabrico do pneu: 02 é a semana de fabrico (segunda semana do ano); 20 é o ano de fabrico (2020).

O mercado de pneus tem variações de preço muito altas. É aconselhável consultar os preços em várias lojas antes de decidir onde trocar os pneus. Lembre-se de que, ao custo do pneu em si, deverá juntar os serviços de válvula, montagem e calibragem, necessários em qualquer troca de pneus.

Todos os carros estão autorizados a circular com os pneus que constam na ficha técnica de inspeção do veículo, bem como com outros pneus denominados “equivalentes”. Estes têm dimensões e características muito semelhantes às do pneu homologado e podem ser mais baratos.

Voltar ao topo

Tipos de pneus

Cada carro, de acordo com a categoria, pode usar apenas determinado tipo de pneus:

  • 175/65 R14T: para carros urbanos pequenos, como Fiat Panda, Volkswagen Up, Toyota Yaris, Nissan Micra e Lancia Ypsilon.
  • 185/60 R14H: para veículos utilitários, como Seat Ibiza, Fiat Punto e Volkswagen Polo.
  • 195/65 R15V: são os melhores para carros médios.
  • 205/55 R16V: são frequentemente utilizados em carros como Audi A3, Opel Astra, Volkswagen Golf e Mercedes Classe B.
  • 225/45 R17W: para carrinhas como Audi A4, Mercedes Classe C, Volkswagen Passat, BMW Série 3 e Fiat Bravo.

Os pneus run-flat permitem circular por mais cerca de 150 quilómetros, até 80 km/h, após um furo, sem mudar de imediato ou chamar a assistência em viagem. Pode circular sem pneu sobressalente, o que abre novas perspetivas ao design automóvel e reduz o peso das viaturas. Encontram-se em desenvolvimento duas soluções, mas o princípio é idêntico: em caso de perda de ar, a estrutura de apoio mantém os pneus no aro. Como o comportamento do carro não se altera face às condições normais, é necessário um sistema que detete e informe o condutor de que um dos pneus está a perder ar.

Existem diferenças entre os melhores pneus para os meses mais quentes (pneus de verão) e outros para os meses mais frios (pneus de inverno). Em alguns países europeus é obrigatório conduzir com pneus de inverno quando neva ou cai gelo com frequência.

Voltar ao topo

Como prolongar a vida dos pneus

Manter a pressão correta dos pneus é uma forma de mantê-los. Controle a pressão uma vez por mês ou antes de viagens longas: aumenta a longevidade, reduz o desgaste da borracha e poupa combustível. A pressão baixa, por exemplo, pode aumentar o consumo entre 2 e 10 por cento. Se o carro estiver carregado, corrija a pressão: esta terá de ser um pouco mais elevada. Siga as indicações do fabricante do carro.

Verifique regularmente a borracha. O código da estrada proíbe circular com um relevo inferior a 1,6 milímetros. As bolhas ou fissuras na borracha são também sinais de alerta que podem pôr em risco a segurança dos passageiros. Reduzem a aderência à estrada, sobretudo em piso molhado. Uma condução moderada também protege os pneus. Conduzir em piso irregular, galgar passeios, lombas e buracos, fazer acelerações e travagens bruscas aumentam o desgaste dos pneus e o consumo.

Há outros cuidados que deve ter para prolongar a vida dos pneus:

  • aumente um pouco a pressão se tiver de carregar o carro com uma carga elevada;
  • tente evitar buracos;
  • não coloque pneus com características ou níveis de desgaste diferentes no mesmo eixo;
  • mantenha o pneu sobressalente em boas condições;
  • se o volante do carro vibrar quando conduz a altas velocidades, verifique a calibragem.
Voltar ao topo

Tratamento de pneus em fim de vida

Os pneus são o único ponto de contacto do carro com o asfalto. Por isso, devem estar em perfeitas condições. Se está a pensar trocar os pneus do veículo, opte por novos. Caso esteja a pensar comprar pneus usados, recomenda-se mais cautela. A origem dos pneus é desconhecida, bem como o uso que se fez deles. A longo prazo podem ser mais caros do que os pneus novos.

Quando trocar de pneus numa oficina, entregue os usados. Se forem do mesmo tipo e quantidade, são obrigados a aceitá-los. Se fizer a troca por conta própria, deposite os pneus antigos num dos pontos de recolha da Valorpneu. Esta entidade é responsável pelo reencaminhamento para tratamento adequado. Não paga na entrega. Os custos para tratar os pneus velhos são cobrados na compra dos novos. Abandonar pneus na natureza é um atentado ao ambiente, punido com multas.

Os pneus usados com a carcaça em bom estado podem ser recauchutados. Esta operação consiste em substituir o piso e, por vezes, os flancos. A recauchutagem permite economizar, em média, 70% de energia.

Os pneus com defeito devem ser valorizados, de preferência, através de reciclagem. A borracha pode ser transformada em relva sintética, pisos para parques infantis e solas para sapatos, entre outros. Os pneus têm um poder calorífico elevado e são um combustível útil para a indústria. A incineração é um processo poluente e deve ser feito em instalações com sistemas que minimizem as emissões gasosas.

Voltar ao topo

Questões frequentes

Respondemos às principais dúvidas sobre pneus.

Posso instalar pneus de modelos diferentes em cada roda?

Depende. Os pneus do mesmo eixo devem ter o mesmo código de homologação, ou seja, devem ser iguais. Em eixos diferentes podem ser diferentes, desde que tenham dimensões e códigos de velocidade e carga aprovados para o seu carro.

Os pneus têm rótulo ecológico?

Sim, é obrigatório. Este rótulo classifica os pneus com base na resistência ao rolamento, aderência em piso molhado e ruído. Os primeiros com valores de A a E (quanto mais próximo de A, melhor) e o último com o valor real e um pictograma com algumas linhas (quanto menos linhas o pictograma tiver, melhor).

Quando mudar os pneus?

Devem ser substituídos quando o relevo da borracha for inferior a 1,6 mm (esta é a profundidade mínima legal). Mesmo assim, também é altamente recomendável trocá-los quando notar um desgaste irregular, um defeito ou quando tiverem muitos anos. Pense que eles são o único ponto de contacto entre o carro e o solo.

Voltar ao topo