última atualização: 16/10/2020

Soluções para todos os tipos de humidade

Muitos portugueses receiam a chegada do Inverno, porque anuncia o regresso da hummidade. Se é o seu caso, veja os tipos de humidade e as soluções pode implementar para lhes colocar um ponto final de uma vez por todas. 

Em excesso, a humidade é prejuducial à saúde, sobretudo a respiratória. Além disso, favorece a corrosão e danifica os materiais, além de criar odores desagradáveis que ninuém quer ter em casa. 

 Humidade infiltrada (chuva)

Caracteriza-se pelo aparecimento de manchas amarelas na parede, de diferentes tamanhos, e pode dever-se à infiltração de água da chuva. Se o problema não for tratado, a mancha tende a escurecer devido à criação de bolor. Piora após chuvas intensas e seca mais no tempo quente.

Solução: se a causa for uma fissura na parede ou telhado, pode ser tapada com mástique. Caso não consiga identificar o ponto de entrada, aplique um revestimento exterior em material impermeável ou uma tinta especial, após substituição dos materiais danificados.

Humidade de condensação 

Caracteriza-se por manchas de humidade de aspeto irregular nas paredes ou teto, sobretudo nos cantos. Por vezes, surgem bolores e cheiro a bafio. Mais frequente no inverno, quanto o tempo está frio. 

Solução: ventile a casa com frequência, abrindo as janelas. Reduza a produção de vapor de água, através da diminuição da temperatura da água do banho, por exemplo. Tape as panelas quando cozinha e ligue o exaustor. Evite secar roupa no interior das divisões. Caso seja preciso fazê-lo, use um aquecedor e ventile a divisão. Se, mesmo com a ventilação, a humidade persistir, recorra a um desumidificador elétrico.

Fugas na canalização

Caracteriza-se por manchas húmidas permanentes e possível bolor junto a canalizações e aparelhos sanitários.
Solução: localizar a fuga e reparar a canalização e a parede danificada.

Humidade ascendente

Caracteriza-se por manchas que, regra geral, sobem a partir do chão. No exterior da habitação, pode ocorrer a formação de salitre ou musgo. No interior, podem aparecer bolores, fissuras ou as paredes ficarem húmidas.

Solução: será necessário introduzir materiais impermeáveis, o que implica obras, ou injetar substâncias hidrófugas nas paredes, pois a humidade deve-se a problemas de construção ou à água dos solos.

Veja, ainda, os resultados do nosso teste a desumidificadores grandes (com capacidade de extração diária entre 16 e 20 litros, destinados a divisões com mais de 35 metros quadrados.) e pequenos (com capacidade de extração entre 10 e 12 litros diários, indicados para áreas até 25 metros quadrados). 

Equipa de Energias Renováveis

User name

Junte-se a esta conversa

Participe nesta conversa, deixando o seu comentário ou questão em Aquecer água da comunidade Energias Renováveis

Comentários

Seja o primeiro a comentar
eu disclaimer

O projeto que deu origem a esta comunidade recebeu financiamento através do programa de investigação e desenvolvimento “Horizon 2020”, sob o contrato de subvenção nº749402. Nem a EASME nem a Comissão Europeia são responsáveis pela informação veiculada nem pela utilização das informações contidas na mesma.