Guia de compras

Como escolher o termoacumulador

chuveiro com água

Os termoacumuladores são uma opção para aquecer água para quem não tem gás em casa. Capacidade do depósito, etiqueta energética e potência da resistência elétrica: revelamos o que deve ter em conta e procurar num termoacumulador. 

Um termoacumulador elétrico aquece um dado volume de água através de uma resistência elétrica. Ao contrário dos esquentadores (a gás e elétricos), não é um sistema instantâneo de produção de água quente sanitária e pode demorar algumas horas até aquecer a água. Por isso, é importante escolher o termoacumulador que corresponde às reais necessidades da família e que esteja bem ajustado ao perfil de consumo da mesma.

O espaço onde vai instalá-lo, a capacidade em litros, o consumo anual para o perfil de consumo e a potência da resistência elétrica são fatores a considerar antes de comprar. Até porque pode ter de aumentar a potência contratada da habitação, o que é um custo mensal adicional.

Capacidade e potência do termoacumulador

Os termoacumuladores são vendidos em diferentes capacidades: dos 15 aos 300 litros. Para escolher a mais indicada, é preciso considerar o consumo de 40 litros de água quente por dia, por cada elemento da família. Por exemplo, para um agregado familiar de duas pessoas, um modelo com, pelo menos, 80 litros será o indicado. Um agregado de quatro pessoas já aponta para um modelo com, pelo menos, 160 litros de capacidade.

Quanto mais potente for a resistência elétrica, mais rápido é o aquecimento da água até atingir a temperatura selecionada. Mas convém considerar a potência no quadro elétrico. Pode ser necessário contratar uma potência mais elevada, o que aumenta a fatura mensal. Quem opta por usar um termoacumulador para aquecer a água em casa também pode ter interesse em contratar a tarifa bi-horária, para que a água seja aquecida nas horas de vazio, quando a tarifa é mais baixa. Para tal, o perfil de utilização do termoacumulador tem de ser compatível com esta tática.

Alguns termoacumuladores apresentam uma função smart. Ou seja, a capacidade de “aprenderem” os hábitos de consumo de água quente e, assim, ajustarem a ativação da resistência de modo a otimizarem a operação de aquecimento da água. Nestes modelos, é importante que o perfil de utilização de água quente seja o mais estável possível para permitir que o perfil de aquecimento da água seja o mais ajustado ao perfil de consumo. Se apresenta uma utilização muito aleatória de água quente, não terá vantagem em optar por um modelo com a função smart.

Etiqueta energética, manutenção e instalação

No momento de escolher o equipamento, a etiqueta energética pode prestar uma ajuda na comparação dos consumos energéticos de aparelhos com o mesmo perfil de utilização. É importante verificar sempre que os aparelhos apresentam uma marcação CE válida na placa de características.

Os termoacumuladores requerem uma manutenção regular para aumentar a longevidade, por exemplo, do reservatório de água. Em modelos equipados com ânodo de sacrifício, garanta que este é substituído com a devida regularidade, tendo em consideração a dureza da água da sua habitação. Uma consulta ao manual de instruções ou um contacto com o serviço de apoio a clientes da marca poderá ajudar a entender esta periodicidade.

A instalação de um termoacumulador, não sendo tão crítica como a de um aparelho a gás, deve ser sempre efetuada por alguém devidamente qualificado para o efeito. Assim, garantirá a correta fixação do aparelho e das ligações hidráulicas e uma eficiente e segura instalação elétrica do mesmo.

Questões frequentes

Como funciona um termoacumulador?
Um termoacumulador aquece uma dada quantidade de água através de uma resistência elétrica. A água, contida num reservatório isolado termicamente, é aquecida até a uma dada temperatura, que pode ser selecionada em modelos equipados com termóstato. Modelos com função smart, depois de aprenderem os hábitos de consumo, modelam a ativação da resistência de modo a otimizarem a operação e reduzirem desperdícios energéticos.
Como esvaziar um termoacumulador?
Para esvaziar o termoacumulador siga sempre as indicações do manual de instruções.
Quanto tempo demora um termoacumulador a aquecer água?
Depende da capacidade do termoacumulador (um de 300 litros aquece mais devagar do que um de 15 litros), da temperatura da água que entra e da ambiente, e da temperatura de regulação. Regra geral, um termoacumulador pode demorar horas a aquecer a totalidade da capacidade da água. Tenha atenção caso, por exemplo, esgote com frequência a totalidade da água quente.
Como devo regular a temperatura do termoacumulador?
Em aparelhos equipados com termóstato e posição “Eco”, recomendamos que se regule nesta posição. Caso não tenha a posição “Eco”, tente regular a temperatura o mais próxima possível da de utilização (evitando ter de misturar água fria, por exemplo, no banho). Lembre-se de que a regulação da temperatura no termoacumulador não é imediata e terá de ir por tentativa e erro, esperando que a temperatura estabilize entre cada ajuste na regulação. Aparelhos sem regulação de temperatura irão operar sempre à mesma temperatura e os modelos com função smart podem, por si, ajustar a temperatura de forma automática.
Devo trocar o ânodo com que regularidade?
Deve seguir as indicações do fabricante para a troca deste componente, atendendo à dureza da água da zona da habitação.
O termoacumulador pode funcionar como elemento de apoio a um sistema solar térmico?
Sim. Neste caso, é expectável que o termoacumulador forneça apenas o remanescente anual de energia para a produção de águas quentes sanitárias (AQS) que o sistema solar térmico não consegue fornecer. O termoacumulador elétrico recebe a água aquecida do sistema solar térmico e deverá estar regulado para só se ativar quando a água que vem desse sistema se encontra abaixo de uma dada temperatura. É preferível esta situação à da utilização de uma resistência elétrica no sistema solar térmico como elemento de apoio.