Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela PROTESTE INVESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
1.º MÊS GRATUITO
Conselhos independentes de investimento

Web Summit: “Bitcoin é especulação” diz Garry Kasparov

Data da publicação: 10/11/2017

O mais lendário jogador de xadrez de todos os tempos, Garry Kasparov, disse à Proteste Investe na Web Summit em Lisboa, que as moedas virtuais são como o “dinheiro falso” e acrescenta que “tudo que seja anónimo não pode ser 100% seguro”.

 ©David Fitzgerald/Web Summit

A PROTESTE INVESTE conversou com Garry Kasparov, um dos maiores xadrezistas de todos os tempos, e perguntou-lhe o que pensava acerca das criptomoedas. O ex-xadrezista começou por dizer que “a popularidade da Bitcoin não o surpreende” equiparando-a ao “dinheiro falso” que é “emitido em grandes quantidades pelos governos”. Kasparov chama-lhe “falso” porque cerca de “80% desse dinheiro fica nos mercados financeiros, nas bolsas de mercado, e nunca chega verdadeiramente às industrias, servindo apenas os investidores”, comentou.

 

O ex-jogador, que nasceu em 1963 na República Socialista Soviética do Azerbaijão, acrescenta que com a evolução tecnológica e o consequente aumento do investimento no mercado online é “expectável, na atual era globalizada, o surgimento do dinheiro virtual, das criptomoedas como a Bitcoin”.

 

Garry tornou-se campeão do mundo em xadrez com 22 anos de idade, título que manteve até ao ano 2000. Em 1997, Kasparov ouviu a palavra “xeque-mate” vinda de um computador, o “Deep Blue”.

 

Atualmente, Kasparov é embaixador da Avast, empresa checa de cibersegurança que o trouxe a esta edição da Web Summit para falar de segurança cibernética e de “machine learning” – Inteligência Artificial (AI). O novo conselheiro de AI disse na sua apresentação “que foi das poucas pessoas que enfrentou uma máquina”, considerando que a Inteligência Artificial “traz perigos e oportunidades”.

 

O ex-campeão do mundo, que se diz “admirador de Winston Churchill e de Steve Jobs”, classifica a Bitcoin como “um produto do mercado livre” e “onde estiver a oportunidade, estão as pessoas inteligentes para criar ferramentas e agarrar essa oportunidade” disse em exclusivo à PROTESTE INVESTE, chamando atenção para a segurança “tudo que seja anónimo não pode ser 100% seguro”, acrescenta.

 

Será que as Bitcoin servem para melhorar a economia e até as vidas das pessoas?

 

“Não me parece”, reponde Kasparov, “mas é um sinal, aliás um aviso”. E acrescenta, “se um fenómeno tão instável como a Bitcoin é atraente atualmente é sinal que toda a economia está num enorme estado de estagnação”.

 

Investiria em Bitcoins?

 

“É pura especulação, não sou um investidor, apenas um antigo jogador profissional de Xadrez e agora palestrante profissional” responde o embaixador da Avast. Na sua opinião “investir é muito individual, depende do caráter das pessoas, se estão disponíveis para o risco, se estão disponíveis para especular”, disse.

 

Crítico assumido do regime de Vladimir Putin, Garry Kasparov termina a entrevista com a PROTESTE INVESTE dizendo que “apostar em ferramentas eletrónicas podem dar muito dinheiro mas também podem levar o investidor à total ruína”. Portanto, investir em criptomoedas, “depende do apetite que cada investidor tem pelo risco”, concluí a lenda do xadrez mundial.

 

Pura especulação

 

O risco é de facto demasiado elevado por isso a PROTESTE INVESTE não recomenda investimentos nas criptomoedas.

 

Se consideramos as moedas virtuais como a Bitcoin, por si só, estas não têm qualquer valor intrínseco, ou seja, não servem para nada se não representarem um produto ou algo para troca. Contudo, nenhuma moeda de troca cumpre bem essa função se estiver sempre a valorizar ou desvalorizar face aos bens e serviços cuja aquisição é suposto permitir.

 

Uma economia que usasse a Bitcoin, na sua fase atual, estaria sempre a oscilar entre a inflação e deflação acentuadas, o que é disfuncional.

 

O facto de não servir para nada facilita a especulação, pois não há nenhuma bitola para aferir se o seu valor é justificado. Por exemplo, podemos sempre comparar o preço de uma ação com os lucros que a empresa obtém. Ou, no caso de uma moeda convencional, podemos comparar com o nível de juros na economia e o crescimento da mesma. No caso da Bitcoin, a oferta e procura são puramente especulativas.

 

Avaliação a pedido

Analisamos o seu produto financeiro

a minha carteira

Teste as suas estratégias de investimento
Criar  

Conteúdo reservado para subscritores X

Vantagens exclusivas

  • Conselhos isentos
  • Avaliação de produtos financeiros
  • Carteiras de ações e de fundos

"Sigo os conselhos da Proteste Investe e, este ano, estou a ter uma rentabilidade de 5% na minha carteira de investimento."