Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela PROTESTE INVESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
1.º MÊS GRATUITO
Conselhos independentes de investimento

Didático

Forex

O que é?

Forex  resulta da junção das palavras inglesas foreign e exchange, que significa mercado cambial ou de divisas. O mercado cambial representa a troca de uma moeda de um país por a de outro. Um turista português de visita aos Estados Unidos precisa de trocar euros por dólares. Ao fazê-lo, ainda que indiretamente via banco ou agência de câmbio, está a participar neste mercado.  Em termos de volume, o forex é considerado o  mercado mais líquido do mundo, pois envolve transações internacionais entre  instituições financeiras, estados, bancos centrais e  multinacionais.

A taxa de câmbio entre duas moedas varia, com tendências anuais, mensais, diárias ou mesmo de minutos. A tentativa de acertar nesta tendência é que leva o investidor a negociar no forex, na expectativa de comprar e posteriormente vender a um preço superior e assim ter uma mais-valia.

Existem muitos fatores que influenciam as variações cambiais. O mais importante é a oferta e a procura da moeda. Por exemplo, um aumento de emissão do dólar pelo banco central americano, por si só, causa uma depreciação do dólar via aumento da massa monetária em circulação.

Outros fatores que influenciam a procura e a oferta da moeda, e assim a taxa de câmbio, são o nível de inflação, as taxas de juro, o sentimento dos investidores e outros dados macroeconómicos. É normal a volatilidade aumentar antes e após a divulgação de dados económicos.

Características

O forex apresenta algumas características únicas, diferentes do mercado de ações.

Alavancagem

A alavancagem é a característica mais importante do forex e a principal razão de muitos investidores perderem dinheiro neste mercado. Todas as corretoras permitem que o investidor alavanque o seu investimento. Por exemplo, se a corretora indicar um rácio de 50:1 significa que pode alavancar 50 vezes o seu capital. Com um investimento de €1000 pode montar uma posição com uma exposição de €50 000.

Se o potencial de ganhar dinheiro é um chamariz, uma pequena flutuação contra a posição assumida pode levar a perda total do capital investido em poucos minutos. Em situações extremas de oscilações súbitas na cotação até é possível que a perda seja superior ao capital investido. Neste cenário, a posição é automaticamente fechada pelo intermediário financeiro, ficando o investidor responsável pela dívida resultante.

O rácio também pode ser apresentado em percentagem. Um rácio de 50:1 significada que a margem mínima exigida pelo intermediário financeiro é 2% (a conta é 1/50). Quanto menor a percentagem de margem exigida, maior a alavancagem e consequentemente o risco.

Horário

Exceto ao fim de semana, o mercado funciona em contínuo. Regra geral, o mercado abre às 23 horas portuguesas de domingo e só encerra às 22h de sexta-feira. Algumas corretoras cotam ao fim de semana.

Custos

Comissões

Em geral, as comissões de negociação cambial estão refletidas nos preços. O intermediário financeiro acrescenta ao preço de mercado a sua margem. Se o par EUR/USD estiver a cotar 1,2966 e a margem for 2 pips significa que o preço de compra é 1,2967 e o preço de venda 1,2965. Quanto menor a margem, menor a comissão que se paga à corretora.

As margens nem sempre são fixas. Se no momento de divulgação de dados económicos relevantes, a volatilidade e incerteza aumentam, a corretora tende subir a margem. Alguns intermediários, além da margem, cobram uma comissão fixa.

Juros (roll over)

Sempre que uma posição fique em aberto para o dia seguinte é calculado um juro positivo sobre a moeda que está comprador e um juro negativo sobre a moeda que está vendedor. Estes juros são calculados com base nas taxas overnight das duas moedas. Se o resultado for positivo a conta é creditada e se for negativo é debitada.

Sobre a taxa overnight as corretoras por norma deduzem uma margem, o que aumenta significativamente a probabilidade do valor obtido ser negativo. Isto pode penalizar fortemente posições deixadas em aberto várias semanas ou meses.

Segurança

Investir em mercados cambiais não é para todos. É um produto muito perigoso para quem não tenha experiência ou não esteja familiarizado com a mecânica deste mercado. Estudos de reguladores internacionais comprovam que cerca de dois terços dos investidores de forex perde dinheiro no longo prazo.

Flutuações inesperadas no câmbio do par negociado, associado a elevadas alavancagens, podem originar perdas súbitas de todo o capital investido e em situações limites ficar com uma posição devedora junto do intermediário financeiro.

O forex é um jogo tendencialmente de soma negativa. Ao contrário das ações que, em períodos de crescimento económico, globalmente as empresas ao apresentarem resultados positivos, geram riqueza e valor para os seus acionistas, no forex há transferência de riqueza. Se um investidor ganha a contraparte, perde o mesmo montante e, pelo meio, ainda existem custos relacionados com as comissões da corretora. Muitas vezes a contraparte pode ser um profissional com acesso a ferramentas profissionais e com informação de melhor qualidade em termos de conteúdo e de velocidade. Até pode ser o seu próprio intermediário financeiro.

Se optar por negociar online através de corretoras internacionais, existe também o risco de negociar com uma empresa fraudulenta. Existem muitos sites que oferecem serviços de corretagem em forex, mas que na realidade não passam de fraudes. Se depositar num desses sites, o mais certo é nunca mais conseguir recuperar o seu dinheiro.

Se pensar abrir conta numa corretora certifique-se que a CMVM não emitiu nenhum alerta sobre intermediação financeira não autorizada e principalmente que a entidade esta registada no regulador no país de origem. Por exemplo, se for uma empresa Americana, tem que estar registada na Commodity Futures Trading Commission (CFTC). Já uma com sede no Reino Unido, tem que estar registada na Financial Services Authority (FSA).

Liquidez

Ao contrário do mercado acionista, no mercado de divisas não existe uma casa de compensação que centraliza as operações. Na prática, cada corretora atua como se ela própria fosse o mercado, pelo que existe sempre liquidez, uma vez que esta sempre a cotar cada par. Isto leva a que cada corretora possa praticar preços diferentes para o mesmo par. Estas diferenças tendem a ser mínimas, pois se não forem, existe a possibilidade de arbitrar (comprar um par na corretora com o preço mais barato e vender na que tem o preço mais caro).

O importante é o spread entre o preço de compra e o preço de venda praticado pela corretora. Nos pares com maior volume de transações (por exemplo USD/EUR, USD/JPY), o spread tende a ser substancialmente menor que nos pares com menor volume (por exemplo CZK/JPY ou EUR/ZAR).

Rendimento
O rendimento global do forex resulta da expectativa de fazer mais-valias, ou seja, obter um ganho com a diferença do preço no momento da abertura de posição com o preço obtido no momento de fecho.

Fiscalidade

O investidor é sempre obrigado a declarar todas as mais-valias e menos-valias obtidas no forex. O resultado líquido é adicionado as mais e menos-valias obtidas com outros produtos financeiros (ações, obrigações, opções, futuros) e o resultado será tributado à taxa autónoma de 28% ou então englobando o resultado com os restantes rendimentos.

Regra geral, o englobamento não compensa. A tributação autónoma deverá ser menor do que a taxa marginal de imposto para a generalidade dos contribuintes.

Intermediários financeiros registados na CMVM e com escritório em Portugal

Presentemente existem os seguintes intermediários financeiros registados na CMVM, com escritórios abertos em Portugal, que permitem aos seus clientes transacionar nos mercados cambiais:

  • Banco Best
  • Banco Big
  • Dif Broker
  • Fincor
  • GoBulling
  • Golden Broker
  • IG Markets
  • Orey Financial
  • X-Trade Brokers

a minha carteira

Teste as suas estratégias de investimento
Criar  

Publicações

As nossas edições impressas

Conteúdo reservado para subscritores X

Vantagens exclusivas

  • Conselhos isentos
  • Avaliação de produtos financeiros
  • Carteiras de ações e de fundos

"Sigo os conselhos da Proteste Investe e, este ano, estou a ter uma rentabilidade de 5% na minha carteira de investimento."