Yield curve

Curva que representa graficamente a relação entre as taxas de rentabilidade e os respetivos prazos de investimentos de um conjunto de títulos de dívida, da mesma classe de risco. Normalmente, falamos em yield curve das Obrigações do Tesouro.

Em princípio, as obrigações de longo prazo são mais rentáveis do que as obrigações de curto prazo. Com efeito, um empréstimo a longo prazo implica um risco maior do que a curto prazo, porque o emitente pode estar bem de saúde hoje, mas não se sabe como estará daqui a dez anos. Por isso, a título de compensação, o investidor exige uma remuneração mais elevada. Num gráfico, isso traduz-se numa curva ascendente, tradicionalmente registada nos países industrializados.

Mas este princípio geral não se verifica sempre. O mercado de obrigações pode, por vezes, apresentar uma curva descendente ou "invertida". Isto significa que a taxa de curto prazo é mais elevada do que a de longo prazo. Este tipo de curva pode registar-se quando o mercado antecipa um abrandamento da economia e uma redução das taxas das obrigações.

Se as taxas de curto e de longo prazo são idênticas, surge um terceiro cenário. Nesse caso, diz-se que a curva é plana.