Rácio cotação/valor contabilístico

O rácio cotação/valor contabilístico (em inglês, Price to Book Value, ou PBV) é a divisão da cotação em bolsa de uma ação pelo valor contabilístico da empresa (montante obtido pela divisão do valor dos capitais próprios pelo número de ações). Pode ser visto como a diferença entre o que o mercado avalia a empresa e o valor dos seus ativos, líquidos das dívidas. A priori, quanto mais baixo for este rácio, mais barata está a ação.

Tendo em conta o princípio da prudência, é de esperar que o valor da empresa em bolsa supere a soma dos ativos líquidos. Ou seja, o PBV ser superior a 1.

Se o PBV for inferior a 1 quer dizer que os ativos líquidos valem mais do que a cotação da empresa em bolsa. Pode indicar que os investidores acham que empresa não conseguirá rentabilizar os ativos que possui. Ou então que os ativos estão sobreavaliados a nível contabilístico.

Se o PBV for inferior a zero, é porque os capitais próprios são negativos. O que representa, grosso modo, que os passivos superam os ativos. Uma situação indicadora de falência técnica mas que poderá ser apenas temporária.

O rácio cotação/valor contabilístico tangível é um indicador mais prudente do que o rácio cotação/valor contabilístico. O valor contabilístico tangível apenas tem em conta os ativos reais da empresa. Deste modo, não tem em conta o goodwill (acréscimo de preço pago nas aquisições devido a fatores não materiais).