O que é a sustentabilidade?

De que falamos, quando falamos de sustentabilidade? O desenvolvimento sustentável pressupõe que a resposta às necessidades do presente não pode comprometer a capacidade das gerações futuras de atender às suas próprias necessidades. Ou seja, que o futuro deve ser sempre considerado, quando tomamos decisões sobre o presente.

Assim, o propósito da Sustentabilidade é conjugar as necessidades humanas com as do mundo natural, procurando que coexistam em harmonia.

Como chegámos aqui?

Nos dias que correm, o consumismo é parte integral do modo de vida moderno e urbano. Um modo de vida que impulsiona maior exploração dos recursos naturais para satisfazer níveis de conforto e exigência crescentes.

Deve, isso sim, ser uma preocupação de toda a Humanidade, tendo em conta que todos os anos, gastamos mais 40% de recursos – muito mais do que conseguimos repor – e isso tem de mudar. A solução é encontrar um equilíbrio entre o nosso progresso tecnológico e económico e a necessidade de proteger os ecossistemas e a humanidade.

Os três pilares da sustentabilidade

A definição dos três principais pilares do desenvolvimento sustentável remonta à Earth Summit de 2002, onde se estabeleceu que o desenvolvimento económico, social e ambiental são os principais vetores da sustentabilidade.

Sustentabilidade económica

Consiste na capacidade de uma organização gerir a sua atividade e criar valor, enquanto cria benefícios sociais e ambientais para trabalhadores, acionistas e para a sociedade no geral. Isso implica esforços adicionais, que vão além do mero cumprimento das leis ambientais, e assenta no investimento em capital humano, em tecnologias ambientalmente responsáveis e numa relação mais profunda e produtiva com a comunidade em que se insere.

O objetivo destas atividades é, naturalmente, promover o consumo eficiente de recursos naturais, a prevenção da poluição, melhorar as políticas de gestão ambiental e impulsionar a criação de produtos e serviços ambiental e socialmente responsáveis.

Sustentabilidade social

No centro da sustentabilidade social está o respeito pelos direitos humanos e a igualdade de oportunidades de todos os indivíduos na sociedade. A verdadeira sustentabilidade social só pode ser atingida através da promoção de uma sociedade mais justa e inclusiva, capaz de distribuir os seus bens e riquezas de forma equitativa, de modo a eliminar a pobreza.

Reconhecer e respeitar a diversidade cultural, evitar toda e qualquer forma de exploração, e promover a proteção dos indivíduos contra a poluição ou outros danos causados por organizações são outros dos seus princípios. Embora nas sociedades ocidentais, exista já bastante legislação para garantir a proteção da saúde e o bem-estar das pessoas, o mesmo não se verifica em outras partes do mundo.

Outros objetivos importantes neste âmbito são: o acesso a recursos básicos sem comprometer a qualidade de vida das pessoas, a habitação sustentável e, claro, a educação. Um importante vetor no incentivo a uma cidadania ativa e consciente da importância da proteção ambiental e dos perigos de não atingirmos os nossos objetivos.

Sustentabilidade ambiental

A sustentabilidade ambiental é, provavelmente, o pilar mais amplamente discutido. Nos últimos meses, temos assistido à emergência de movimentos estudantis pró-ambiente, com as greves estudantis a ocuparem o palco mediático mundial, e com a ativista ambiental Greta Thunberg no centro de todas as atenções.

A sustentabilidade ambiental preconiza a necessidade de conservar e gerir adequadamente os recursos naturais, sobretudo os não renováveis, ou os que são fundamentais ao suporte da vida. Para tal, foca-se em ações concretas para minorar a poluição do ar, da água e dos solos, e preservar a diversidade biológica.

O objetivo é garantir a proteção e a qualidade do ambiente, bem como, promover um consumo responsável dos recursos naturais. Embora seja o último pilar, é, na verdade, o principal, e o que mais impacto tem no futuro da humanidade.

Os 17 objetivos de sustentabilidade para as pessoas e o planeta

Os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável foram adotados por todos os membros das Nações Unidas em 2015, com a ambição de os ver cumpridos até 2030, e pretendem envolver os líderes mundiais, os governos, instituições, empresas e cidades aos níveis nacional e local, e, claro, os cidadãos. O ambicioso conjunto de objetivos inclui:

Eliminar a pobreza e fome

Melhorar a educação e a saúde e bem-estar, e garantir o acesso à água potável e saneamento

Alcançar a igualdade de género e reduzir as desigualdades

Crescimento económico sustentável, consumo e produção responsáveis e inovação nas indústrias e infraestruturas

Cidades e comunidades sustentáveis

Ação climática que promova a vida na terra e nos oceanos

Em simultâneo, lidar com os efeitos das mudanças climáticas, poluição e outros fatores ambientais que podem prejudicar a saúde, o sustento e a vida das pessoas.

Em Portugal

Alimentação

324k toneladas de alimentos desperdiçados anualmente pelos portugueses

Evite estragar “comida esquecida”: não encha demasiado o frigorífico e a despensa e aproveite as sobras.

Resíduos domésticos

484kg/ano/habitante destes apenas uma pequena percentagem é reciclada

Reduza o consumo de embalagens e produtos supérfluos e recicle cartão, vidro, plástico, alumínio, madeira, lâmpadas, pilhas e desperdícios alimentares.

Transportes

25%do total das emissões de gases com efeito de estufa o transporte pessoal e de produtos tem um impacto determinante na produção de CO2

Reduza a pegada ecológica usando transportes públicos, partilhados ou elétricos, e consuma sempre produtos locais.

×
Cookies

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.

A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Saber Mais