Voltar

O que fazer com os brinquedos usados

Reduzir e reciclar

Especialistas

iStock

Não os deite no lixo. Doar, vender, trocar ou reparar são opções.

Nunca pensou no que fazer aos brinquedos que se foram acumulando ao longo dos anos? Agora que os miúdos estão mais crescidos, vai deitá-los fora? Não deve fazê-lo. Há outras crianças que os podem herdar, mesmo que não as conheça. E há outras opções para evitar colocá-los no lixo ou deixá-los esquecidos numa caixa: eles são como qualquer outro objeto, têm impacto ambiental, tal como os outros resíduos com os quais não temos uma especial relação afetiva.

Doar, trocar, comprar e vender em segunda mão (desde que o brinquedo esteja em boas condições) e reparar são as primeiras opções para dar nova vida aos brinquedos. A compra e venda de brinquedos em segunda mão é uma forma de os valorizar.

Podemos entregá-los a uma instituição, que, por certo, irá encaminhá-los para quem deles precisa. Outras crianças, apoiadas por instituições de solidariedade social, vão poder ganhar novos objetos de afeição para as brincadeiras.

Atenção à segurança dos brinquedos

Deve ter alguns cuidados para garantir que os artigos estão em bom estado e não implicam riscos. Antes de comprar, tenha em atenção a informação sobre a segurança desse brinquedo e compre em sítios da internet de confiança. As lojas em segunda mão dedicadas a artigos para crianças fazem, normalmente, uma verificação.

O ideal é que o brinquedo esteja na embalagem, com a informação sobre avisos de segurança, identificação e morada da marca ou representante. Caso tenha dúvidas, contacte a marca. Veja, ainda, se o brinquedo indica a faixa etária e se se adequa à idade da criança. Se estiver a selecionar um brinquedo para bebés com menos de três anos e não souber se é apropriado, deixe-o de parte.

Verifique ainda se o produto já foi alvo de recolha. Para isso, basta consultar o sistema de alerta rápido para produtos perigosos, o chamado Sistema SAFETY GATE (RAPEX), que permite saber quais os brinquedos que foram retirados do mercado ao longo dos anos, o tipo de risco (asfixia, queimaduras, químico, engasgamento, cortes, choque elétrico, ferimentos, etc.) e o nível de risco (grave, etc.) para as crianças.

Antes de tomar a decisão mais adequada sobre o novo destino do brinquedo, verifique se ele está em perfeitas condições, sem pequenas peças facilmente destacáveis, que um bebé possa introduzir na boca ou no nariz, e sem pontas aguçadas que causem ferimentos. Analise também a resistência das costuras e se o enchimento tem o acesso vedado.

As pilhas do tipo botão são outra preocupação. Por serem de pequena dimensão, podem ser ingeridas e provocar graves danos nos órgãos internos e, no limite, darem origem a acidentes fatais. A zona que contém as pilhas deve ser de acesso impossível para a criança. Verifique se há perigo de caírem do compartimento.

Reciclar brinquedos? É quase impossível

É difícil, senão impossível, entregar os brinquedos para reciclar. De facto, em todo o País, faltam pontos de recolha, como os que já existem para plásticos, por exemplo. Fica já a advertência: apesar de as bonecas ou figuras de ação, por exemplo, serem feitas de plástico, não podem ser encaminhadas para o ecoponto amarelo, por serem constituídas por materiais muito diversos, nem sempre recicláveis.

No entanto, brinquedos como carrinhos telecomandados, por exemplo, são REEE, ou seja, Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos e têm lugares específicos para a sua recolha. Pode encontrar o mais próximo da sua área de residência consultando os sites Onde Reciclar e Eu Reciclo.

Onde e como doar? Instituições que recebem brinquedos usados

Em 2021, contactámos várias instituições de apoio social que aceitam brinquedos doados; 45 responderam – em geral, aceitam as doações todo o ano e para todas as crianças, independentemente da sua idade e da tipologia de brinquedos. As exceções a esta regra estão assinaladas.

A Santa Casa da Misericórdia recebe, em diversas delegações, brinquedos usados:

  • Castelo de Vide (Largo João José LeCocq, nº15, 7320-148 Castelo de Vide);

  • Évora (Rua Mendo Estevens, 6 – 7000-865 Évora);

  • Lagos (Centro Infantil de Odiáxere; entrega direta ou pelo correio para Rua de Camões, Rossio das Eiras, 8600-250 Odiáxere-Lagos);

  • Portimão (brinquedos para crianças até aos 6 anos; entregues diretamente ou pelo correio para a morada Rua Coca Maravilhas, Complexo Social, 8500-483 Portimão);

  • Vila Real de Santo António (Centro Infantil A Cegonha, para crianças dos três meses aos seis anos, por entrega direta ou por correio, através das moradas Rua Nova Lisboa, 8900-438 Monte Gordo; Casa de Acolhimento Temporário Gente Pequena: Avenida Salgueiro Maia, 8900-265 Vila Real de Santo António);

  • Angra do Heroísmo (Rua Prof. Augusto Monjardino, 9700-020 Angra do Heroísmo).

A Cruz Vermelha Portuguesa está presente em todo o território nacional (entre em contacto com a delegação da zona da área de residência para combinar a entrega).

A Causa da Criança – Rua da Prosela, nº 40, 4470-808 Maia.

ADM da Estrela – aceita doações por entrega direta em duas moradas (Travessa da Rua da Fontinha, n.º 14, 6300-569 Guarda; Urbanização Vale de Alcântara – Bairro da Liberdade, Lote 4, Nível 2, Lojas 3 e 4, 1070-065 Lisboa).

Associação Academia do Johnson Semedo – entrega direta na Rua das Mães de Água, 31-A, Zambujal, 2610-108 Amadora, ou por recolha na morada do doador.

Associação de Bem-Estar de Santa Maria de Lamas – brinquedos destinados a crianças entre os quatro meses e os dez anos na morada Rua Eleito Local n.º 150, 4535- 359 Santa Maria de Lamas.

Associação de Beneficência Luso-Alemã – à exceção de peluches, todos os brinquedos são elegíveis, para crianças até aos seis anos. Deve ligar previamente antes de entregar nas moradas Praceta Infante D. Henrique, nº 80, Quinta do Junqueiro, 2775-554 Carcavelos, ou Rua Cândido dos Reis, 206 B, 2775-178 Parede).

Associação Cantinho das Crianças do Prior Velho – entrega de brinquedos para crianças até aos cinco anos na morada Rua de Moçambique n.º 79, cave, 2685-356 Prior Velho.

Associação Fernão Mendes Pinto – recebe apenas em períodos de campanhas específicas e dá preferência a jogos e livros. Morada: Rua Dr. José Galvão n.º 211, Apartado 9 3140-853 Montemor-o-Velho.

Associação iCreate – entrega direta ou pelo correio pela morada Rua Beco da Escola, n.º 6, 3350-087 Vila Nova de Poiares.

Associação Lar de Crianças Bom Samaritano – através da morada Rua do Bom Samaritano, Urbanização Mar e Serra, Alvor, 8500-783 Portimão.

APAC – Associação de Pais e Amigos de Crianças – Centro Especializado Dr. Sebastião Matos, Rua Dr. Aires Duarte n.º 100, 4754-908, Arcozelo – Barcelos.

Associação de Pais e Amigos das Crianças da Gafanha da Encarnação (APACGE) – Edifício Sócio Educativo, Rua Padre Diogo, 3830-516 Gafanha da Encarnação).

APCE – Associação de Paralisia Cerebral de Évora – Avenida Dinis Miranda, n.º 23, 7000-751 Évora.

APPACDM Vila Real Sabrosa – todos os brinquedos, à exceção de peluches. Morada: Edifício da Junta de Freguesia de Sabrosa, Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, n.º 1, 5060-302 Sabrosa.

ASSCMA – Associação de Solidariedade Social Casa Mãe de Aradas – recebe brinquedos destinados a crianças dos seis meses aos cinco anos, à exceção de peluches, diretamente pela morada Rua Doutor Mário Sacramento n.º 93 A, 3810-106 Aveiro.

Associação Teia D’Impulsos – recebe diretamente na morada Rua Francisco Daniel, Espaço Raiz, 8500-797 Portimão.

Candeia – Travessa da Luz, n.º 2, 1600-499 Lisboa.

Casa do Pombal – A Mãe – acolhe crianças em risco. Recebe brinquedos (à exceção de peluches) diretamente ou pelo correio, através da morada Beco Quinta do Pombal, n.º 4, 2050-067 Aveiras de Cima.

Centro Amigos dos Pequeninos – creche e ATL; recebe, apenas na época de Natal, brinquedos para crianças até aos seis anos. Entrega direta na morada (Largo 1.º de Maio, 8300-116 Silves) ou pelo correio.

Centro de Bem Estar Social da Sagrada Família – creche e ATL dedicados à infância. Recebe todos os brinquedos destinados a crianças dos três aos dez anos. Morada: Rua Padre Melo n.º 15, 3000-324 Coimbra.

Creche da Casa da Criança Mirandesa – entrega direta na morada Rua Dr. Valentim Guerra, n.º 10, 5225-132 Sendim, ou pelo correio. Aceita brinquedos adequados à faixa de idades entre os três meses e os três anos.

Estabelecimento Dr. Victor Fontes – APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos das Crianças Diminuídas Mentais) – entrega direta na morada Estabelecimento Dr. Victor Fontes, Avenida Madre Rita de Jesus, Jugueiros, 3510-177 Viseu.

Entrajuda – Banco de Bens Doados – recebe qualquer tipo de brinquedo, que se adeque a qualquer idade, diretamente na sua morada: Av. de Ceuta, Bairro da Qta. do Cabrinha, Armazém, 1300-906 Lisboa.

O Petiz – Associação Cultural e Educativa de Apoio à Criança – entrega direta, ou pelo correio, de brinquedos para crianças até aos 12 anos. Morada: Rua de Angola n.º 57, 2530-114 Lourinhã).

Sado Acolhe – Associação de Apoio às Crianças, Jovens e Idosos da Freguesia do Sado – entre em contacto previamente antes de entregar. Morada: Rua Gomes Leal, n.º 86A, 2910-332 Praias do Sado, Setúbal.

Fundação Aurélio Amaro Diniz – entrega direta ou pelo correio através da morada Rua António Mendes Monteiro, 3400-083 Oliveira do Hospital.

Fundação Benjamim Dias Costa – a entrega dos brinquedos pode ser feita na morada Rua da Nestlé, n.º 45, 3860-071 Avanca, diretamente, ou pelo correio.

Fundação CEBI – recebe todo o ano, no endereço Rua Maria Eduarda Segura de Faria, n.º 2, 2615-354 Alverca do Ribatejo.

Fundação COI – aceita brinquedos, sem restrição de tipologia ou de idades, todo o ano, por entrega direta na sua morada, na Avenida Zeca Afonso, 2955-220 Pinhal Novo.

Fundação Champagnat – entrega direta ou pelo correio. Morada: Av. Amália Rodrigues n.º 23, 2785-636 São Domingos de Rana – Casa da Criança de Tires.

Fundação Maria Luísa Ruas – também aceita doações, em qualquer altura do ano. Morada: Rua Maria Luísa Ruas, n.º 3, 3130-062 Gesteira.

JRS Portugal – Serviço Jesuíta aos Refugiados – recebe, apenas em novembro, brinquedos para crianças até aos 13 anos. Morada: Rua Rogério de Moura, lote 59, Alto do Lumiar, 1750-342 Lisboa.

Lar da Criança de Portimão – recebe todo o ano jogos didáticos adequados a miúdos dos quatro meses aos dez anos. As entregas devem ser presenciais, na Avenida Miguel Bombarda, 8500-299 Portimão.

Sol – Associação de Apoio às Crianças Infetadas com VIH – aceita entregas diretas ou pelo correio para a morada Rua Pedro Calmon n.º 29, 1309-455 Lisboa).

Solar do Mimo – Centro de Acolhimento de Crianças em Risco – para entrega, dirija-se a Rua do Comércio, n.º 45 r/c, 6270-303 São Romão – Seia.

SOPRO – Solidariedade e Promoção – entrega em Av. das Pontes n.º 237, Pav. H, 4750-204 Barcelos.

TAIPA – não faz distinção dos brinquedos a receber nem das idades a que se destinam. A entrega deve ser direta: Travessa do Botequim n.º 6, Ap. 9, 7631-909 Odemira.

Contentores de recolha de brinquedos

A Ultriplo tem contentores disponíveis em todo o País, nas ruas, em hipermercados e em postos de combustível. São cerca de três mil, em mais de 250 concelhos. Para averiguar quais os mais próximos da sua área de residência, basta escrever o seu código postal num formulário no site da empresa, e as localizações mais próximas serão apresentadas. Faz a triagem de brinquedos recebidos nos contentores para possível doação a várias instituições.

A H. Sarah Trading também dispõe de três mil contentores para a recolha de brinquedos nos vários distritos. Mas ainda não os localiza no seu site, o que promete para breve. Esta empresa aceita brinquedos de grande dimensão em bom estado, como bicicletas, mas é necessário um contacto prévio. Faz também a triagem de brinquedos recebidos nos contentores para possível doação a várias instituições.

Onde comprar, vender e trocar brinquedos usados

Compra e venda

Há lojas de compra e venda de brinquedos que avaliam o seu estado de conservação.

As lojas Kid to Kid compram e vendem praticamente todos os tipos de artigos para criança. Disponibilizam uma oferta alargada. A aquisição dos brinquedos é realizada diretamente nas lojas. Como vender: os brinquedos são avaliados e aceites de acordo com a sua condição e a necessidade de stock. O preço é determinado pela loja. A marca solicita a entrega de brinquedos limpos e a colocação de todas as peças num saco. Caso o brinquedo tenha pilhas, pode deixá-las incluídas. Encontra a localização das lojas físicas de norte a sul no site da empresa.

A Escolhido a Dedo, em Torres Vedras: neste caso, deve comprar diretamente na loja (R. Serpa Pinto, 13). Se quiser vender, contacte diretamente o estabelecimento, para confirmar o interesse deste no artigo e a forma de entrega. A avaliação do estado do brinquedo pode demorar até cinco semanas.

Mais limitada na oferta de brinquedos, a Cash Converters permite-lhe comprar online: selecione o produto, adicione-o ao carrinho, compre e receba em casa em 72 horas. Pode também levantar o artigo numa das lojas (recolha em 72 horas) ou solicitar a entrega em casa por um custo acrescido de 4,99 euros. Já se desejar vender, faça marcação numa das lojas através de formulário, para a avaliação do produto no local. Há lojas em Lisboa e uma no Porto.

A OLX, a Selio e a Coisas são plataformas online generalistas de compra e venda, mas deve ter em conta que não há avaliação do estado do brinquedo. Compradores e vendedores combinam online a hora e o local de compra.

Trocar brinquedos

As trocas de brinquedos são organizadas por agrupamentos de escolas, juntas de freguesia ou associações de pais, por exemplo, sob a forma de feiras. Novembro e dezembro são meses altos para este tipo de iniciativas. A informação é disponibilizada localmente ou através das redes sociais. A BrincoTrocas, feira realizada anualmente em Castelo Branco, é uma iniciativa desta natureza.

Onde reparar brinquedos?

Hospital de Bonecas

Muita gente já ouviu falar do mais que centenário Hospital de Bonecas, no centro de Lisboa. A loja, na Praça da Figueira, repara brinquedos desde 1830. Além dos brinquedos que lhe dão o nome, restaura vários peluches e miniaturas, como casas de bonecas. A loja aconselha a levar o brinquedo para verificação da reparabilidade por um técnico. Funciona das 10h00 às 19h00, nos dias de semana. Se pretender uma visita ao sábado, é preferível ligar a confirmar se está aberta.

Repair Café

Num clima informal, gente de todas as idades reúnem-se para um ritual frequente, mas suspenso, infelizmente, em tempos de pandemia. O Repair Café é um espaço onde várias pessoas se juntam para reparar diferentes tipos de produtos, como torradeiras, aquecedores ou varinhas mágicas. E, claro, também brinquedos.

O conceito foi criado, justamente, tendo em conta a manutenção de todos os artigos que descrevemos e de contrariar o descarte de produtos avariados. As convocatórias, de início, eram feitas exclusivamente através do Facebook. Respondem à chamada voluntários de todas as áreas, capazes de reparar aparelhos de vários tamanhos e feitios. Voltam a dar-lhes a função original e evitam a deposição como resíduo. A reunião entre os voluntários com saber na reparação e os visitantes com o produto avariado pode também dar-se num espaço fixo ou em eventos pontuais divulgados localmente ou via redes sociais.

Em Lisboa, está disponível diariamente no Mercado do Forno Tijolo, situado na freguesia de Arroios, e tem algumas regras, bem definidas: o trabalho é gratuito e feito de acordo com a disponibilidade de voluntários com experiência em reparações. Mas há também um propósito pedagógico, numa cultura de "faça você mesmo": sempre que possível, cada pessoa será incentivada a reparar o seu objeto com a ajuda de um voluntário.

Outro mandamento importante: nem sempre é possível efetuar as reparações desejadas, ou reconstruir aparelhos desmontados. Há objetos que, devemos admitir, chegaram mesmo ao fim da vida. Tal como teremos de estar preparados para admitir que alguns objetos se avariem novamente. Quem leva um aparelho para arranjar fá-lo por sua conta e risco. Os voluntários não são responsáveis pelos consertos em que participam, nem por objetos reparados que não funcionem adequadamente depois de serem levados para casa.

Veja também