Dicas

Trotinetes elétricas: guia para circular em segurança

Quer aderir à moda da trotinete elétrica? Uma contraordenação muito grave pode levá-lo a perder até 4 pontos na carta.

23 outubro 2019
Trotinetes: dicas para circular em segurança

iStock

Amadas por uns e odiadas por outros, as trotinetes elétricas tomaram a cidade de assalto e ganharam terreno, sobretudo nos trajetos curtos. Mas, para andar de trotinete não basta ter vontade. Apesar de não ser obrigatória carta de condução, tem de conhecer o Código da Estrada e as regras e restrições que se aplicam.

Se não tem experiência, pratique bastante em locais seguros e sem tráfego antes de circular em ciclovias e estradas. 

As trotinetes não são sujeitas a inspeção ou revisão. Cabe a quem as conduz garantir que estão em boas condições.

Independentemente de optar pela compra de trotinete ou aluguer, verifique os travões, luzes, guiador e restante equipamento, antes de iniciar a marcha. 

Regras para circular de trotinete em segurança

Quem circula de trotinete está sujeito a regras de trânsito. As trotinetes elétricas com motor até 250 W e limitadas a 25 km/h equiparam-se a velocípedes e quem as conduz deve circular na ciclovia.

  • Quando não existe ciclovia, deve circular com a trotinete na estrada, sempre encostado à direita. Além disso, deve ceder a passagem como qualquer outro veículo (especialmente nos cruzamentos).
  • Esteja atento ao tráfego e aos outros utilizadores para antecipar perigos. Ceda a passagem e sinalize sempre as manobras e mudanças de direção com as mãos. Para minimizar riscos, realize estas manobras com precaução e a baixa velocidade.
  • “Ver e ser visto” é uma regra a ter em conta. Use luzes e refletores ao anoitecer ou em condições de visibilidade fracas, pois é obrigatório. Se ficar sem luzes de noite, não circule. 
  • Manter uma distância de segurança que permita travar e desviar-se de obstáculos que surjam é a melhor estratégia.
  • Tenha também atenção às condições do piso, sobretudo se for irregular ou escorregadio e não circule com mais de um ocupante. As trotinetes não foram feitas para suportar o peso de duas pessoas.
  • Os passeios estão reservados a peões e condutores de velocípedes até aos dez anos, pelo que é proibido circular de trotinete neles. Se tiver de atravessar um, deve fazê-lo com a trotinete pela mão.
  • A utilização de telemóvel é proibida, e os auscultadores também estão interditos. Além de representarem uma distração, bloqueiam os sons do exterior. 
  • Evite ingerir bebidas alcoólicas. Apesar de não ser necessária carta de condução para circular de trotinete elétrica, os condutores podem ser punidos se a taxa de alcoolemia for superior ao permitido pelo Código da Estrada.
  • Tenha sempre um documento de identificação consigo: numa operação "stop" arrisca-se a coima caso não o apresente.

É obrigatório usar capacete?

Não é obrigatório o uso de capacete pelos condutores de trotinetes com motor. O mesmo é aplicável aos velocípedes com motor (bicicletas elétricas), dispositivos de circulação com motor elétrico, autoequilibrados e automotores, assim como outros meios de circulação análogos com motor. Ainda assim, aconselhamos sempre o seu uso. 

É obrigatório ter seguro?

Uma vez que as trotinetes com motor se equiparam a velocípedes, não é obrigatório ter seguro. Contudo, recomendamos que contrate um seguro de responsabilidade civil que abranja danos a terceiros.

Para quem utiliza trotinete elétrica para se deslocar na cidade, há poucas alternativas e ainda não existe oferta para subscrição.

Algumas plataformas de partilha de trotinetas têm seguros de responsabilidade civil e acidentes pessoais para os seus utilizadores, mas são apólices de grupo às quais se aplicam exclusões. Por exemplo, se a trotinete circula no passeio, se é utilizada por duas pessoas, se o utilizador não usa capacete ou se não verifica previamente o bom estado de funcionamento do equipamento, estas podem não atuar.

Para cobrir os acidentes pessoais pode contratar um seguro de acidentes pessoal ou as coberturas de acidentes pessoais existentes noutros serviços, como o do cartão de crédito.

Para cobrir os danos causados a terceiros (seguro de responsabilidade civil), pode contratar uma extensão da cobertura do seguro de responsabilidade civil automóvel.

Uma vez que não existe oferta específica, a extensão do seguro vai depender da seguradora, da sua capacidade negocial e da dimensão da sua carteira de seguros.

O que fazer em caso de acidente?

É importante estar preparado para agir em caso de acidente.

  • Registe os dados de todos os veículos, condutores e peões afetados. Mesmo que, inicialmente, tudo pareça bem, pode aperceber-se de alguma sequela física ou dano material mais tarde.
  • Se as autoridades forem chamadas, exponha a sua perspetiva e os factos.
  • Caso a responsabilidade seja do condutor de um veículo, o acidente pode ser participado à seguradora desse condutor.
  • Se não tiver seguro e a responsabilidade de um acidente for sua, terá de pagar todas as despesas de reparação de veículos ou os tratamentos médicos a condutores e peões envolvidos.
  • Se necessário, procure cuidados médicos especializados.
  • Antes de voltar a usar a trotinete, verifique se tudo está em perfeitas condições.

 Conheça o curso para uma mobilidade júnior segura

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.