Voltar

Detergente para lavar loiça à mão com bom desempenho ambiental

Em casa

Editores

iStock

Antes de arregaçar as mangas e meter as mãos na loiça, lembre-se de que as máquinas de lavar loiça fazem uma lavagem completa com 13 litros de água no programa principal ou com 10, se usar o eco. Este é o débito típico de uma torneira de cozinha aberta durante apenas um minuto.

Quatro detergentes fazem um brilharete, de acordo com os resultados do teste mais recente da DECO PROTESTE, com acesso reservado a subscritores. Um é imbatível ao juntar o melhor de dois mundos (preço e eficiência), e três são Escolhas Verdes. No desempenho ambiental, três produtos destacam-se com o título de Escolha Verde. Quatro possuem o Rótulo Ecológico Europeu, mas dois não têm eficácia suficiente para que possamos recomendá-los, apesar do bom desempenho ambiental. Poupe a carteira e o planeta com a seleção de Escolhas Verdes recomendadas pela DECO PROTESTE para lavar loiça à mão.

Em plena revolução digital e com tanta Internet of Things (IoT) e máquinas a rechear a cozinha, ninguém dispensa o detergente manual da loiça. O valor anual gasto pelos portugueses em detergente manual e para a máquina continua muito equiparado, com ligeira vantagem para o segundo. E é provável que muitos consumidores desperdicem dinheiro ao focarem a atenção apenas no preço por embalagem, e não na conta que interessa, a do poder de eficácia que só a DECO PROTESTE calcula. Quantos pratos lavam 2 gramas de detergente é o que se avalia na eficácia.

As máquinas de lavar loiça atuais conseguem fazer uma lavagem completa com 13 litros de água no programa principal ou com dez, se usar o eco. Este é o débito de uma torneira de cozinha aberta um minuto apenas. Assim, não pense que é só um copinho ou um pratinho para lavar à mão. Se tem máquina de lavar loiça, espete lá todos esses "inhos". Quando estiver cheia, ligue-a. Se não tem máquina ou, ainda assim, algumas peças não devem ser ali lavadas, com sujidade muito agarrada ou decorações que podem ficar danificadas, por exemplo, deite o detergente numa bacia com água, em vez de deixar a torneira correr livremente. Poupa água e detergente.

Espuma abundante = lavagem eficiente?

Há quem se guie pela espuma, para determinar se um produto manual é ou não eficaz. É um tiro ao lado. Na verdade, os fabricantes introduzem nas fórmulas componentes com grande capacidade de produção de espuma, e esta facilita a ação mecânica da esponja. Mas os principais responsáveis da luta contra a sujidade são os tensioativos. Através da leitura do rótulo, é possível distinguir vários tipos de tensioativos:

  • os não-iónicos destacam-se pela capacidade de limpeza;

  • os aniónicos encarregam-se de produzir espuma;

  • e os anfotéricos caracterizam-se por minimizarem a agressão à pele das mãos.

Se os aniónicos estiverem em grande quantidade e houver poucos dos não-iónicos, vai ter festa de espuma, mas loiça mal lavada.

No comparador, destacam-se os produtos com boa e muito boa Qualidade Global. Aqui, encontra a percentagem de matéria ativa. Quanto mais elevada for, maior é a capacidade de lavar com a mesma quantidade de detergente.

As fórmulas, além de componentes para retirar a sujidade da loiça, acabam por ter outras substâncias nem sempre essenciais em detergentes concentrados, e que, por vezes, são prejudiciais para o ambiente. Corantes e perfumes também estão presentes na maioria, apesar de em nada influenciarem a qualidade da lavagem. Em média, os detergentes manuais para a loiça contêm dez a 15 ingredientes. O teste mostra que existem bons produtos com menos ingredientes e menos nocivos.

A avaliação é baseada em quatro critérios: eficácia, rotulagem, risco de alergias e desempenho ambiental. Entre outros, analisa-se a composição, que deve estar livre de substâncias nocivas para o ecossistema aquático. Estas também não devem ser bioacumulativas ou pouco biodegradáveis. A partir da composição, a DECO PROTESTE verifica os riscos do produto para o ser humano, como possíveis reações alérgicas por contacto, ou danos oculares. A embalagem também conta. É pesada vazia, valorizada a incorporação de materiais reciclados, medido o nível de enchimento e pesquisada a indicação do contentor correto para a reciclagem.

Preço na loja não é tudo

O preço é um fator a considerar. Mas, para o barato não sair caro, considere a eficácia. Vários produtos custam, em média, menos de 1 euro por 500 ml, a capacidade mais comum à venda nas lojas. Mas poucos detergentes garantem uma boa relação entre a eficiência e o preço. Ao gastar menos produto, não terá de comprar com tanta frequência, e desperdiçará menos embalagens.

Veja também