Primeiras impressões

$name


O modelo tem lançamento previsto em Portugal no primeiro trimestre de 2011, nas diagonais de imagem de 42” (1,07 m), 47” (1,20 m) e 55” (1,40 m). Os nossos especialistas alertam: não se deixe levar pelo marketing e pela obsessão dos fabricantes em “emagrecer” os televisores.

A qualidade de imagem depende, sobretudo, do processador de vídeo. Além disso, verificamos em laboratório que os aparelhos demasiado finos obtêm, muitas vezes, menor qualidade sonora. Vamos incluir este aparelho nos nossos testes. Acompanhe os resultados e descubra o televisor ideal para si na ferramenta Comparar e poupar

Promessa da LG: iluminação mais precisa e maior contraste
Além do aspecto ultra-slim, o LG LEX8 apresenta um painel Full-HD (1920x1080 pixels), compatível com 3D, se usar os óculos do fabricante. Permite aceder a conteúdos on-line, como o YouTube e Picasa, ou a ficheiros multimédia num PC ligado na sua rede doméstica, por intermédio de DLNA. 

LG LEX8: 0,9 cm de espessura
Com 0,9 cm de espessura, não integra fichas na traseira do ecrã. A caixa separada na base contém as ligações.

O aparelho possui uma entrada USB (2.0), para reproduzir ficheiros multimédia (DivX HD, MP3, JPEG, etc) armazenados numa pen-disk ou disco rígido externo. Inclui um comando remoto operado por movimento (magic motion remote control): basta apontar para o ecrã e, ao deslocar o comando, guia a posição do cursor. Quando estiver no local pretendido, só tem de pressionar o botão central.

A principal inovação é a tecnologia de painel usada, nano LED. Como noutros televisores LED, trata-se de um painel LCD com retroiluminação a cargo de LED (diodos emissores de luz). A diferença está na utilização de uma camada extremamente fina na frente dos LED, que permite distribuir a luz de modo mais uniforme no ecrã. Os LED também ficam mais próximos do ecrã, o que possibilita que seja mais fino.

Tecnologia direct-LED usada no LG LEX8
Tecnologia direct-LED usada no LG LEX8.

A LG anuncia um controlo mais preciso dos diversos blocos de LED, o que pode originar melhor precisão na iluminação das diferentes áreas, com melhor gradação de cores e contraste. Numa primeira observação, o ecrã apresenta um grau de reflectividade reduzido. Vamos pôr à prova quando testarmos o primeiro televisor nano LED em laboratório. 

Tecnologia direct-LED usada no LG LEX8
Painel com edge-lit, mais usado nos ecrãs LED ultra-slim: os LED estão apenas na periferia do ecrã.

Características principais  

  • Painel Full-HD (1920x1080 pixels) compatível com 3D
  • Ecrã LCD com retroiluminação por nano LED
  • Comando remoto por movimento (magic motion)
  • Acesso a conteúdos on-line e a ficheiros multimédia em PC por DLNA
  • Diagonais de imagem previstas de 42”, 47” e 55”

 

Pontos positivos e negativos
Aparelho Full-HD 3D
Reproduz ficheiros multimédia por USB
Acesso a conteúdos on-line
DLNA
Comando remoto por movimento
Ecrã pouco reflectivo
"Inovação” pouco significativa: a única diferença é permitir ecrãs mais finos e usar a iluminação LED directa. Trata-se de mais um painel LCD com retroiluminação LED, com uma técnica de construção diferente