Primeiras impressões

Leitores de Blu-ray 4K: diferenças nem a um palmo de distância

22 setembro 2016
Leitores de blu-ray 4K

22 setembro 2016

Os leitores de Blu-ray 4K alegam mostrar conteúdos com mais detalhe. Saiba se é mesmo assim e conheça o desempenho no consumo energético, na qualidade do som ou na facilidade de utilização.

Nitidez extra, mas pouca

A maioria dos membros do painel não conseguiu distinguir o detalhe adicional do ecrã Ultra-HD, à exceção de uma das cenas e apenas a uma das distâncias. Mas detetou algumas diferenças no detalhe da imagem, o que pode ser explicado devido à existência de pequenos artefactos visíveis nos contornos dos objetos. Presentes numa escala muito reduzida, estes contornos eram mais visíveis no 4K do que no Full-HD e sobretudo naquela cena. Ou seja, as diferenças na perceção dos detalhes são de tal forma pequenas, que qualquer outro fator acaba por ser mais relevante na altura de escolher.

Esperávamos que o painel não conseguisse notar diferenças à distância mais confortável (2,8 metros), devido às limitações inerentes à acuidade visual humana. Porém, à distância de 1,5 metros contávamos com maior facilidade em indicar o ecrã Ultra-HD como o mais nítido. Não foi o caso e qualquer pequeno detalhe que pudesse interferir na obtenção de uma imagem perfeita pareceu ser mais relevante para os membros do painel do que diferenças subtis de nitidez entre as duas resoluções.

Conclusão: televisores 4K e leitores Blu-ray 4K juntos e a reproduzir conteúdos Ultra-HD, apresentam uma nitidez ligeiramente acrescida à fornecida pelo Full-HD. Mas existem outros parâmetros com impacto na qualidade de imagem final, pelo que é preferível investir mais alguns euros num televisor com uma boa avaliação nos nossos testes na qualidade de imagem, do que num destes novos leitores Blu-ray 4K.