Primeiras impressões

Leitores de Blu-ray 4K: diferenças nem a um palmo de distância

22 setembro 2016
Leitores de blu-ray 4K

22 setembro 2016

Os leitores de Blu-ray 4K alegam mostrar conteúdos com mais detalhe. Saiba se é mesmo assim e conheça o desempenho no consumo energético, na qualidade do som ou na facilidade de utilização.

Como testámos

Para verificar se o utilizador consegue percecionar o aumento de detalhe de um televisor Ultra-HD (com um vídeo 4K) em relação a um Full-HD (com vídeo Full-HD), utilizámos dois televisores de 48 polegadas. Para a resolução 4K, escolhemos o Samsung UE48JU6400; para a Full-HD, optámos pelo Samsung UE48J6200, porque ambos apresentam uma imagem similar. Escolhemos leitores de Blu-ray Full-HD e os novos 4K. Um standard para servir de fonte em Full-HD e os Blu-ray 4K como fonte de vídeo para o televisor Ultra-HD

As diferenças foram investigadas a duas distâncias: a que recomendamos para uma experiência confortável (2,3 vezes o valor da diagonal de imagem) e 1,5 metros, para facilitar a percepção das diferenças de detalhe nas imagens. Ou seja, se nem na distância mais curta o painel conseguisse reconhecer as diferenças, estaríamos perante um indicador de que estas são mínimas em termos práticos.

A luminosidade usada tentava recrear um cenário de utilização numa sala com iluminação indireta pouco intensa. O teste foi realizado por 25 utilizadores, a quem foi ocultado que existiam duas resoluções diferentes.


Usámos o filme San Andreas e as mesmas cenas de teste, sendo que ambos os tipos de leitor de Blu-ray foram iniciados em simultâneo e o filme apresentado de forma síncrona nos dois televisores (colocados lado a lado para permitir uma comparação imediata).