Notícias

Televisores OLED, Quantum Dot ou LCD LED: qual a melhor escolha

As nossas conclusões

Não parta do princípio que, ao adquirir um televisor OLED ou Quantum Dot, vai ter acesso a funcionalidades mais avançadas, mais ligações ou melhor conectividade com smartphones em comparação com os LCD LED (desde que de uma gama semelhante). Ou seja, os portais de Smart TV são os mesmos.

A qualidade de som também não está relacionada com a tecnologia de ecrã. Além da qualidade de imagem, o único critério influenciado pela tecnologia de ecrã é o consumo energético, que se verificou ser mais elevado nos ecrãs OLED.

Para a comparação do consumo, focámo-nos nos aparelhos de 55”, com resolução 4K (180 LCD LED e 11 ecrãs OLED). Já no caso dos Quantum Dot, a reduzida quantidade de produtos testados não permite conclusões.

Verificámos que, após ajustes de imagem, o consumo médio dos OLED era de 105 W e dos LCD LED de 87 W. Ou seja, os OLED testados consomem cerca de 20% mais de energia, mas a amostra ainda é reduzida.

Dos dez modelos de televisores de 55’’ UHD testados, em teoria, os ecrãs OLED são os que apresentam maior potencial, seguidos dos Quantum Dot e só depois dos LCD LED. Mas a tecnologia LCD LED é, de longe, a mais madura e possibilita aparelhos com uma relação qualidade/preço imbatível. As diferenças entre os modelos são muito pequenas e os OLED ainda estão longe de ter uma relação qualidade/preço que os tornem numa compra “racional”.