Notícias

TDT: perguntas frequentes

02 janeiro 2013

02 janeiro 2013

A rede de televisão digital terrestre (TDT) já cobre cerca de 90% da população nacional. Os televisores sem sintonizador compatível para o sinal digital requerem uma caixa descodificadora.

Equipamento

TDT: de que equipamentos preciso?
Depende do tipo de cobertura (terrestre ou por satélite) na sua área de residência. Antes de mais, verifique se pode aceder ao sinal digital por via terrestre (através das atuais antenas UHF) ou apenas através de meios complementares (satélite). Contacte a Portugal Telecom, pelo 800 200 838 ou introduza a sua morada completa na página fórum TDT.

Se acede via terrestre, na generalidade dos casos, pode manter as atuais antenas UHF, usadas com o sinal analógico, desde que não estejam degradadas. Deve ainda determinar se os seus atuais televisores estão já preparados para a receção direta das emissões TDT ou se necessitam de ser adaptados com uma caixa descodificadora. Se tem um televisor LCD ou Plasma, verifique se é compatível com o sinal TDT. Nenhum televisor convencional inclui o descodificador necessário.

Com um televisor preparado e uma antena UHF em boas condições, não necessita de equipamento adicional. Nalguns casos, pode ser preciso reorientar a antena, pois nem sempre a localização dos emissores que melhor servem uma localidade com o sinal analógico vão coincidir com os digitais. Depois, basta sintonizar os canais digitais no seu televisor.
              
No caso dos televisores sem sintonizador para a TDT, terá de comprar uma caixa descodificadora para cada televisor. Para televisores mais antigos, sem ligações SCART ou HDMI, existem descodificadores que enviam o sinal descodificado através de uma saída RF, a mesma que é utilizada para ligar a antena ao televisor. Também pode instalar um modulador de sinal (a partir de € 20 em lojas de eletrónica) entre o descodificador e o televisor. Este aparelho permite converter uma ficha SCART numa ficha RF, ou de antena, e ligá-la a televisores muito antigos.

O meu televisor é compatível?
Sim, se tiver sintonizador digital, do tipo DVB-T, e capacidade de descodificar sinais em MPEG4/H.264. Aplica-se sobretudo a televisores muito recentes. Se comprou antes de 2009, o TV pode não ter o sintonizador necessário. Nesse caso, terá de comprar uma caixa descodificadora em separado.

Nos nossos testes a televisores, recomendamos os modelos recentes compatíveis com a televisão digital terrestre. Se tem um serviço de televisão pago, não precisa de ter um televisor compatível.

Como identificar um televisor compatível?
Os logótipos HDTV ou HDTV1080p indicam que está preparado para as emissões digitais. Para tal, deve incluir um sintonizador digital do tipo DVB-T e capacidade de descodificação de sinais MPEG4, entre outros. Ostentar DVB-T não é suficiente, já que pode significar que apenas converte sinais em MPEG2 (usados noutros países europeus, mas não em Portugal).

Tenho de comprar um televisor novo?
Não. Para cada aparelho em casa sem sintonizador para descodificar sinais em MPEG4, precisa de uma caixa descodificadora compatível com a norma DVB-T e MPEG4/H.264.

Para televisores mais antigos sem ligações SCART ou HDMI, existem descodificadores que enviam o sinal descodificado através de uma saída RF, a mesma que é utilizada para ligar a antena ao televisor. Também pode instalar um modulador de sinal (a partir de € 20 em lojas de eletrónica) entre o descodificador e o televisor. Este aparelho permite converter uma ficha SCART numa ficha RF, ou de antena, e ligá-la a televisores muito antigos.

Quanto custa uma caixa descodificadora?
Um recetor simples sem disco rígido para gravar programas custa menos de 30 euros. Encontra variações de preços significativas, consoante o modelo. É possível encontrar recetores com custo mais reduzido, que não permitem a visualização de conteúdos em alta definição, pois só têm ficha SCART. São viáveis para quem tem um televisor CRT: mesmo com um recetor com saída HD nunca vai visualizar conteúdos com resolução superior à PAL. Também há descodificadores que apenas funcionam com televisores LCD ou plasma, só com ficha HDMI. São menos volumosos e ligeiramente mais baratos.

Se comprar uma caixa descodificadora em Espanha ou outro país europeu, posso utilizá-la em Portugal?
Pode, desde que o descodificador seja do tipo DVB-T MPEG4. Em Espanha, a maioria dos que estão à venda não descodificam esse tipo de sinal. O sistema aí utilizado é o DVB-T MPEG2.

As caixas descodificadoras têm de ser instaladas por um técnico?
A instalação é simples: basta ligar o cabo de antena à entrada da caixa e depois ligar a caixa ao televisor por cabo SCART, se for um modelo convencional, ou via cabo HDMI, nos LCD e plasma. Mais complicada é a orientação correta da antena e sintonia dos canais. Na maioria dos casos, não será necessário reorientar a antena.

Tenho de comprar um descodificador por cada televisor?
Sim. Apenas no sinal analógico pode fazer a derivação do sinal para vários aparelhos. 

Posso continuar a usar o meu gravador de DVD ou videogravador?
Sim, desde que estejam ligados a uma ficha SCART (saída) da caixa descodificadora. Esta deve ter 2 fichas SCART: uma para ligar ao televisor e a segunda para os aparelhos gravadores.

O meu televisor tem sintonizador integrado, mas o meu leitor/gravador de DVD não. Como gravar as emissões digitais?
Deve ligar o cabo de antena ao televisor e usar uma ficha SCART desse, que tenha saída de vídeo, para ligar ao gravador de DVD, na sua SCART de entrada de vídeo. Para identificar a entrada ou saída SCART, no televisor, é comum a indicação in/ou (entrada/saída) ou um círculo com uma seta a entrar ou sair. No gravador de DVD ou videogravador, existe uma SCART chamada “TV” (a saída) e outra chamada “VCR” (a entrada).

Quem tiver serviço de televisão por subscrição (cabo, fibra ótica, IPTV ou satélite) precisa de comprar equipamento?
Não. Nada muda para os utilizadores de televisão por subscrição. A TDT é a digitalização das atuais emissões analógicas de televisão em sinal aberto, difundidas por via hertziana, ou seja as dos canais generalistas. Mas quem não tem TV por subscrição não precisa de aderir a um pacote. Temos recebido queixas de leitores, contactados por agentes comerciais de serviços de TV, que usam a TDT como argumento para vender subscrições.

Um cliente de televisão por cabo com 3 televisores e apenas box num deles terá acesso à TDT sem mais custos nos outros?
Muitos operadores disponibilizam, além dos canais em formato digital, alguns canais em analógico (exceto os pagos que não fazem parte do pacote base). Estes podem ser distribuídos pelos vários televisores em casa, sem custos adicionais. Aos canais digitais só acede através de uma caixa descodificadora fornecida. Se quiser vê-los em mais do que um aparelho terá de pagar o aluguer mensal de mais boxes.

A TDT acaba com as antenas nos telhados?
Não, as antenas exteriores UHF são necessárias para receber o sinal digital. Este continuará a ser transmitido por via hertziana. Se tiver uma antena parabólica, por exemplo, não pode utilizá-la.  

Preciso de mudar a antena recetora?
Em princípio, não. Pode manter a sua antena UHF e a respetiva cablagem. As mais antigas podem não suportar a frequência. Nalgumas zonas, pode ter de redirecionar a antena. A antena interior funcionará nos locais com bom sinal, embora a exterior ofereça resultados melhores. As interiores são mais afetadas por interferências de aparelhos, como telemóveis: ao receber uma chamada na mesma divisão onde a antena está instalada, pode haver quebra total da transmissão e, nalguns casos, terá mesmo de reiniciar a caixa descodificadora.

A instalação coletiva do prédio tem de ser alterada?
Não. Pode manter a infraestrutura. Há também a possibilidade de converter o sinal para analógico à entrada da instalação por moduladores de sinal, colocados por profissionais, sendo distribuído dessa forma pelos residentes. Se aceder a este sinal analógico, funcionalidades como o EPG ou as emissões em alta definição ficam interditas. Há ainda soluções que permitem a distribuição simultânea do sinal em formato analógico e digital. Desta forma, caso já tenha ou venha a comprar um televisor com sintonizador TDT, não fica impossibilitado de aceder às emissões digitais.

Num prédio com antena coletiva, o condomínio é obrigado a disponibilizar os canais de livre acesso em formato digital?
Não, cabe aos condóminos decidir se pretendem avançar para uma solução comum. Para saber se compensa, pois depende do número de pessoas, informe-se sobre o custo junto de um instalador autorizado. Se não chegarem a acordo, quem pretender aceder ao sinal de TDT, terá de optar por uma solução individual.

Há algum aparelho que mantenha a rede doméstica de distribuição de sinal atual e aceder à TDT em todos os televisores da minha casa, sem usar vários descodificadores?
Por enquanto, é muito difícil encontrar esse equipamento à venda. Tente contactar empresas que o instalem. Se optar por este serviço, pagará a mão-de-obra e o equipamento, que faz descodificação e modulação do sinal. Ao converter o sinal digital para analógico interdita o acesso ao guia eletrónico de programas e a emissões em alta definição que possam surgir no futuro. Além disso, a adaptação da instalação pode ser dispendiosa.