Notícias

TDT: medições denunciam informação pouco precisa

26 abril 2012 Arquivado

26 abril 2012 Arquivado

Após recebermos centenas de reclamações sobre a oscilações de sinal e dificulades de receção, medimos a intensidade e qualidade do sinal em 45 locais de cinco regiões. Se ainda vai mudar para a TDT, exija à Portugal Telecom a confirmação sobre a cobertura.

A entidade reguladora ICP-ANACOM deve monitorizar a intensidade e a qualidade do sinal da Televisão Digital Terrestre (TDT), mas ainda não revelou resultados desses estudos. Entretanto, as queixas de má qualidade de sinal mantêm-se. Entre as reclamações sobre TDT que recebemos, cerca de 500 são relatos de dificuldades em captar o sinal ou oscilações na qualidade da receção de imagem.

Com base nas queixas recebidas, selecionámos cinco das zonas mais citadas pelos leitores e verificámos a informação sobre estas no mapa de cobertura anunciado pela PT online (em http://tdt.telecom.pt). Para aquelas zonas, a PT anuncia cobertura terrestre integral. Mas, no terreno, a realidade é outra.

Mesmo nas áreas indicadas com cobertura, nenhuma atinge um nível de cobertura total e duas (Ovar, em Aveiro, e Póvoa de Santa Iria, em Lisboa) nem possuem um patamar aceitável, pois não há cobertura em 4 dos 9 locais medidos. O principal problema não é a intensidade do sinal, mas o ruído elevado e instável, que dificulta a receção de imagem.

Antes de comprar qualquer equipamento, verifique a cobertura do seu local junto da PT pelo telefone 800 200 838 ou em http://tdt.telecom.pt. Se aquela confirmar que tem cobertura terrestre, mas não conseguir captar sinal com o equipamento necessário e a antena exterior UHF devidamente orientada, exija o envio de um técnico ao local para clarificar. Mas não aceite pagar a deslocação. Essa é da responsabilidade da PT. Caso conclua que só acede à TDT via satélite, a PT deve reembolsá-lo das despesas inúteis já efetuadas para a adaptação.


Total na teoria, apenas aceitável no local
As nossas medições abrangem nove locais em cada uma das cinco zonas. Numa zona, consideramos que existe cobertura se existirem seis ou mais locais com sinal terrestre, ou seja, se 70% ou mais da zona estiver coberta.

Apenas três das cinco zonas analisadas, para as quais o mapa de cobertura da PT anuncia cobertura integral são na realidade zonas de cobertura de sinal TDT. Além disso, nenhuma das zonas apresenta um nível de cobertura realmente bom: implica que a cobertura abranja 95% da zona. 

Medições da qualidade do sinal TDT
Código postal (ponto central) Intensidade Qualidade % de pontos de cobertura Classificação
% de medições conformes Apreciação % de medições conformes Apreciação
Vieira de Leiria (Marinha Grande) 2430-814 89 89 89 Cobertura aceitável
Ovar 3880-391 100 56 56 Sem cobertura
Anta (Espinho) 4500-042 78 78 78 Cobertura aceitável
Carcavelos (S.Domingos de Rana) 2775-602 100 89 89 Cobertura aceitável
Póvoa de Stª Iria 2625-238 100 56 56 Sem cobertura
  SÍMBOLOS
Muito bom
Bom
Médio
Medíocre
Mau

 

Vieira de Leiria
Distrito de Leiria, concelho de Marinha Grande, freguesia de Vieira de Leiria
2430-814

Coordenadas dos pontos analisados
Centro: N39º52'06.75, W8º55'52.02
Este: N39º52'06.8, W8º55'30.98
Nordeste: N39º52'23.19, W8º55'30.91
Norte: N39º52'23.04, W8º55'52.00
Noroeste: N39º52'21.81, W8º56'10.61
Oeste: N39º52'06.93, W8º56'13.08
Sudoeste: N39º51'50.56, W8º56'13.01
Sul: N39º51'50.59, W8º55'52.08
Sudeste: N39º51'50.62, W8º55'30.98

Ovar
Distrito de Aveiro, concelho de Ovar
3880-391

Coordenadas dos pontos analisados
Centro: 40°52'18.55"N, 8°40'21.14"W
Este: 40°52'12.58"N, 8°40'6.74"W
Nordeste: 40°52'23.66"N, 8°40'0.70"W
Norte: 40°52'28.88"N, 8°40'14.05"W
Noroeste: 40°52'33.64"N, 8°40'24.78"W
Oeste: 40°52'25.10"N, 8°40'37.34"W
Sudoeste: 40°52'13.04"N, 8°40'40.44"W
Sul: 40°52'8.90"N, 8°40'30.00"W
Sudeste: 40°52'7.82"N, 8°40'9.34"W

Anta (Espinho)
Distrito de Aveiro, concelho Espinho
4500-042

Coordenadas dos pontos analisados
Centro: 40°59'46.97"N, 8°36'11.84"W
Este: 40°59'47.00"N, 8°35'50.50"W
Norte Este: 41° 0'2.70"N, 8°35'46.33"W
Norte: 41° 0'3.92"N, 8°36'9.94"W
Norte Oeste: 41° 0'2.16"N, 8°36'32.29"W
Oeste: 40°59'46.15"N, 8°36'32.55"W
Sul Oeste: 40°59'30.62"N, 8°36'33.34"W
Sul: 40°59'30.98"N, 8°36'11.92"W
Sul Este: 40°59'30.04"N, 8°35'45.65"W

Carcavelos (São Domingos de Rana)
Distrito de Lisboa, concelho de Cascais
2785-153

Coordenadas dos pontos analisados
Centro: 38°41'15.70"N, 9°20'33.70"W
Este: 38°41'16.70"N, 9°20'11.10"W
Nordeste: 38°41'31.30"N, 9°20'11.80"W
Norte: 38°41'32.90"N, 9°20'33.90"W
Noroeste: 38°41'33.70"N, 9°20'51.00"W
Oeste: 38°41'16.30"N, 9°20'52.30"W
Sudoeste: 38°41'2.30"N, 9°20'51.20"W
Sul: 38°41'0.70"N, 9°20'33.30"W
Sudeste: 38°40'56.80"N, 9°20'10.50"W

Póvoa de Santa Iria
Distrito de Lisboa; concelho de Vila Franca de Xira
2625-238 (ponto central)

Coordenadas dos pontos analisados
Centro: 38°51'24.5"N, 9°04'35.5"W
Este: 38°51'26.2"N, 9°4'11.1"W
Nordeste: 38º51´43.2, 9º4´8.8 W
Norte: 38°51'44.00"N, 9° 4'34.10"W
Noroeste: 38°51'39.90"N, 9° 4'47.30"W
Oeste: 38°51'24.00"N, 9° 4'54.20"W
Sudoeste: 38°51'8.40"N, 9° 4'52.40"W
Sul: 38°51'4.20"N, 9° 4'30.80"W
Sudeste: 38°51'15.10"N, 9° 4'12.20"W

Como testámos: ficha técnica do nosso estudo
Para cada ponto de medição selecionado com base nas reclamações dos nossos leitores, verificámos a informação sobre cobertura no portal da PT, através das coordenadas do local. No teste, seguimos os procedimentos da norma “ITU-R SM.1875 – DVB-T coverage measurement and verification of planning criteria” e recomendações do Acordo de Genebra de 2006.

As zonas medidas têm cerca de 1 km² de área e as medições foram feitas em nove pontos dentro de cada uma dessas zonas, separados por 500 metros entre si. As medições são efetuadas a 10 metros de altura, através de uma antena com uma plataforma elevatória, do tipo “telescópica”. Esta recolhe valores em diferentes ângulos de operação da antena e consideramos o que corresponde à melhor situação de receção.

Com um antena telescópica, registámos as medições a 10 metros de altura.

Fizemos o levantamento da intensidade do valor de campo magnético do sinal TDT (dBµV/m) e da qualidade deste mesmo sinal, ou seja, a sua relação entre sinal e ruído (dB). Segundo o exposto no Acordo de Genebra de 2006, é necessário que essa relação entre sinal e ruído (dB) seja de 19,5 dB para a receção fixa (por antena exterior) e para os parâmetros de sinal usados em Portugal. Além disso, é necessário que a intensidade de sinal seja 49,76 dBµV.

Medimos a intensidade de sinal em 45 locais diferentes.

As medições foram feitas por forma a aferir a qualidade da receção fixa (por intermédio de antenas exteriores). Para garantir receção interior, são necessários valores de intensidade superiores. Logo, mesmo que as nossas medições revelem uma zona com cobertura, tal poderá não se aplicar à receção interior.

Os números mencionados referem-se aos valores no recetor, retirada a influência do ganho da antena e das perdas no cabo.


Imprimir Enviar por e-mail