Notícias

Smart TV consomem mais energia em stand-by do que o anunciado

Como testámos

Para este estudo, analisámos o desempenho de alguns televisores dos principais fabricantes: Samsung, LG, Sony, Philips e Panasonic. Selecionámos um modelo por fabricante, procurando smart TVs bastante equipadas e lançadas no mercado em 2017. Os modelos analisados:

  • LG OLED 55C7V
  • Sony KD-55A1
  • Samsung QE55Q8C
  • Panasonic TX-55EZ950
  • Philips 55PUS6482/12.

O objetivo era verificar os consumos de energia com base numa utilização realista das funcionalidades. Nos dois casos, encontrámos sempre bastante atividade das smart TV, o que provocava picos frequentes de stand-by e valores médios de consumo mais altos do que os anunciados.

Cenários de instalação testados

Instalação mínima

Sintonizámos diversos canais via DVB-S (93 canais de acesso livre e 85 estações de rádio). O televisor não foi ligado à internet, logo, não foi usado o portal de smart TV ou qualquer app. Também não ligámos nenhum aparelho por HDMI ao televisor. Com esta instalação, apenas é possível usar a TV para ver os canais sintonizados, um cenário que reflete uma minoria de utilizadores.

Instalação completa

O televisor foi ligado à internet e a um leitor Blu-ray (com HDMI Control). Instalaram-se os mesmos canais do cenário anterior por DVB-S. Na utilização da TV, além da visualização de canais sintonizados, também usámos algumas apps, como Netflix e YouTube. Depois de entrar em modo stand-by, registámos os valores de consumo durante 24 horas. As medições realizaram-se com um multímetro de elevada precisão e previamente calibrado. O multímetro é ligado a um PC que corre o respetivo software e guarda os registos da potência eficaz com a cadência de uma medição por segundo.

smart tv
As medições foram feitas com um multímetro ligado a um PC.

Entre os modelos analisados, o LG é o que mostra os valores mais baixos de stand-by em qualquer um dos cenários de utilização. O da Panasonic também apresenta um comportamento bastante estável em stand-by.