Notícias

Smart TV: como contrariar a desatualização precoce

16 junho 2017 Arquivado
Smart TV: como contrariar a desatualização precoce

16 junho 2017 Arquivado
As apps mais usadas já não funcionam num dos modelos de 2010 da Samsung. Os consumidores ficam à mercê do fabricante e dos fornecedores das aplicações, apesar do elevado tempo de vida do televisor.

O que fazer para manter a TV jovem

A menos que queira trocar de televisor por outra razão, a desatualização das aplicações não é motivo para troca. Já existem formas baratas de manter as funcionalidades da smart TV.

Google Chromecast

É uma das soluções mais interessantes, pelo preço e facilidade de utilização. Basta ligar um Chromecast da Google (existem duas versões no nosso mercado; a terceira, a “Ultra”, ainda não está disponível) a uma entrada HDMI do seu televisor. Ligado diretamente à rede Wi-Fi, o Chromecast faz o stream direto dos conteúdos. É compatível com uma grande variedade de apps, como o Netflix, YouTube, Spotify, Google Play e Photos, Deezer, Napster, Plex e TED, entre outros. O smartphone é usado como comando remoto, para lançar as apps pretendidas e iniciar o streaming dos conteúdos. Depois disso, pode usar o smartphone sem influenciar a reprodução dos vídeos (por exemplo, pode entrar no chat ou fazer uma chamada).

Consola de jogos

Se tiver uma consola de jogos recente, como é o caso de uma PS4 ou Xbox One, terá acesso à instalação de diversas apps, de forma semelhante aos portais das smart TV (YouTube, Netflix, Spotify, entre outras).

Leitores multimédia

Outra hipótese passa por ligar um leitor multimédia (alguns com o sistema operativo Android) ao televisor. Estes leitores também permitem a instalação de diversas apps, sobretudo as de streaming de vídeo e áudio. No caso dos leitores multimédia Android, normalmente tem acesso ao catálogo completo de apps da GooglePlay. No entanto, muitas não podem ser usadas desta forma porque precisam do uso de ecrã tátil ou de um módulo de GPS.

Ligação de um PC portátil ou mini-PC

Os portáteis ou mini-PC mais recentes têm uma ficha HDMI para ligar diretamente ao seu televisor. Caso não tenham, alguns televisores permitem uma ligação por ficha VGA (cada vez menos usada), além de existirem inúmeros adaptadores para o efeito. Com esta opção, o aparelho de televisão funciona como monitor e o uso de teclado e rato sem fios é obrigatório.