Notícias

Caso Samsung: medições afastam fraude, mas etiqueta energética é enganadora

08 outubro 2015

08 outubro 2015

Depois da Volkswagen, suspeitou-se que as TV’s Samsung usavam um truque semelhante nos testes oficiais ao consumo energético. Fomos para o laboratório e concluímos que não há fraude, mas existe uma grande diferença entre o consumo anunciado e o que o consumidor paga ao ajustar um pouco a qualidade da imagem.

Início

Agora sabemos que a Volkswagen instalava nos seus carros um software que detetava se o veículo estava num banco de ensaios a ser alvo de uma avaliação das emissões de gases poluentes. Se sim, o software alterava o regime de funcionamento do motor, para que este emitisse menos gases. A Samsung está a ser acusada de fazer o mesmo nos seus televisores, mas através de uma função eco incluída nos modelos lançados este ano. Essa função detetaria que estavam a ser feitos testes ao consumo energético e ajustaria parâmetros como a luz de fundo e o brilho para baixar o consumo de eletricidade. Tudo para os televisores receberem uma etiqueta energética melhor.  

A funcionalidade na base da suspeita de fraude contra a Samsung chama-se motion lightning, vem ativa de origem, faz parte do pack Eco e reduz a luminosidade de fundo sempre que é detetado um vídeo em movimento. 

Não há fraude, mas algumas práticas têm de mudar
Nos nossos testes periódicos a televisores, já tínhamos provado que uma coisa é o que etiqueta energética diz, outra é o que consumidor paga após ajustar a imagem. Isso acontece em quase todas as marcas, mas a Samsung é de longe a pior, com maiores diferenças entre o consumo anunciado e o real, depois de se calibrar a TV para melhorar a qualidade da imagem. Analisámos 293 modelos desta marca no último ano e verificámos que depois de calibrar a imagem o consumo energético aumenta, em média, mais de 37% em relação ao anunciado pela etiqueta energética. A Philips também apresenta um desvio considerável de cerca de 18 por cento. Em média, depois de ajustar a imagem, só a Sony, a Panasonic e a LG ficam próximas dos valores prometidos na etiqueta.
Resultados obtidos depois de testarmos 785 TV´s em 2014 e 2015, de 32 (81 Cm) a 55 polegadas (140 cm).
Resultados obtidos depois de testarmos 785 TV´s em 2014 e 2015, de 32 (81 Cm) a 55 polegadas (140 cm).

Imprimir Enviar por e-mail