Dicas

Como escolher um televisor para jogar

Modo de jogo? Taxas de fluidez? HDR? Os televisores de gama alta oferecem cada vez mais funcionalidades para melhorar a experiência do gaming, mas serão mesmo necessárias? Esclarecemos todas as dúvidas.

18 abril 2022
Jogar videojogos

iStock

A grande popularidade das consolas de videojogos, como a PlayStation 5 ou a Xbox Series X, tem justificado a elevada procura por televisores que sirvam também como o ecrã ideal para sessões de gaming.

Nos últimos anos, os fabricantes de televisores têm implementado especificações direcionadas para os jogadores, como a predefinição de imagem “Modo de Jogo”, as taxas de fluidez de 120 hertz (Hz) ou o modo de jogo com HDR, por exemplo.

Mas é importante saber qual o impacto prático destas funcionalidades e apurar quais as mais relevantes na altura da compra do televisor.

Televisores para jogar postos à prova

Recorremos às duas consolas de videojogos mais populares e potentes que existem, atualmente, no mercado: a PlayStation 5 (Sony) e a Xbox Series X (Microsoft). Ambas possibilitam modos de vídeo em 4K, com taxas de fluidez até aos 120 Hz e modo de jogo HDR. A Xbox oferece, adicionalmente, suporte para VRR (variable frame rate) e FreeSync (algo que deverá chegar em breve à PlayStation 5, através de uma atualização).

Foram selecionados três jogos para tirar o máximo partido gráfico de ambas as consolas. Para a PlayStation 5 utilizou-se o Uncharted: Legacy of Thieves Collection. Para a Xbox utilizou-se o WRC 9 e o Call of Duty: Vanguard.

O teste foi realizado com recurso a três televisores: dois de gama alta, que anunciam várias funcionalidades dedicadas ao gaming e, ainda, um de gama média, com especificações mais modestas.

  • LG OLED55C14LB — painel de 120 Hz, função Game Optimizer (que inclui tipo de jogo, VRR, G-Sync, FreeSync e input lag), modo de jogo com HDR.
  • Samsung QE55QN95A — painel de 100 Hz, função Game Bar (que inclui tempo de atraso, FreeSync Premium), modo de jogo com HDR.
  • Panasonic TX-55JX7040E4 — painel de 50 Hz, Modo de Jogo (apenas possibilidade de ativar/desativar), modo de jogo com HDR.

Nos televisores foi utilizada a entrada HDMI que suportava a mais elevada taxa de débito, ou seja, foi escolhida uma entrada HDMI que suportasse resoluções 4K@120Hz, sempre que o televisor a disponibilizasse.

As consolas de videojogos são configuradas de forma a entregar o melhor resultado gráfico possível. Se quiser saber quais são as definições suportadas pela sua televisão, pode verificá-lo nos menus, sendo que os da Xbox são mais detalhados do que os da PlayStation.

Principais funcionalidades dos televisores para gaming

As especificações mais relevantes que os fabricantes de televisores destacam para os jogadores são:

  • Modo de Jogo (predefinição de imagem);
  • HDR;
  • FreeSync, G-Sync e VRR;
  • frequência do ecrã (Hz).

Mas para que servem estas funcionalidades durante a experiência de jogar?

Modo de Jogo pode melhorar o tempo de resposta

Existem diversos televisores, como é o caso dos analisados, que disponibilizam o “Modo de Jogo”, ou seja, uma predefinição de imagem concebida para consolas de videojogos. Em regra, estes televisores selecionam automaticamente esse modo de imagem, a partir do momento em que detetam a consola numa entrada HDMI. Pode ainda haver algumas funcionalidades específicas de gaming, dependendo do televisor.

No caso do televisor LG, existe uma opção no menu designada “Otimizador de Jogos”, através da qual pode ajustar as definições da imagem para alterar a experiência do jogo. É possível fazer esse ajuste de acordo com o tipo de jogo: standard, FPS (first person shooter), RPG (role playing game) ou RTS (real time strategy). O interesse deste ajuste é relativamente reduzido. Ao alternar entre estes modos, podem-se notar diferenças na reprodução das zonas da imagem mais claras e mais escuras.

No mesmo televisor pode também ajustar o input lag, que diz respeito ao atraso entre as ações do comando e a resposta no jogo, sendo algo que se quer minimizar ao máximo. É ainda possível ativar e desativar o VRR (variable refresh rate) e o G-Sync.

No televisor da Samsung, existem várias definições de gaming num menu único (Barra de Jogos). Para aceder basta pressionar a tecla “Play/Pause”, e o menu surge na parte inferior do ecrã. Aqui vai encontrar, apesar de tudo, menos opções do que no televisor da LG.

Já no caso do televisor de gama média da Panasonic, o “Modo de Jogo” apenas podia ser acedido dentro dos menus da imagem. A única opção que existe é a de ligar ou desligar, que tem de ser feita manualmente, o que faz com que os utilizadores se esqueçam frequentemente de a ativar. Depois de estar ligado, aplica-se a todas as entradas de vídeo, e não só a da consola.

O “lag time” (ou tempo de atraso) é um critério muito importante para os jogadores e refere-se ao tempo que decorre entre uma ação do jogador (por exemplo, carregar no botão para travar um carro) e essa mesma ação ser representada no jogo (por exemplo, as luzes de travão ficarem visíveis no jogo). Quanto menor for este tempo, mais responsivo é o televisor e, logo, mais adequado para jogar.

No jogo Call of Duty: Vanguard foi escolhida uma cena em que existe um confronto com tropas inimigas e mediu-se o tempo entre a altura em que se prime o gatilho e o disparo no ecrã.

LG e Samsung com bom tempo de resposta
Televisor Modo de Jogo Modo Padrão
LG OLED 40 ms 60 ms
Samsung LCD 40 ms 65 ms
Panasonic LCD 85 ms 85 ms

Apurou-se que a utilização do “Modo de Jogo” é eficaz no caso dos televisores de gama alta estudados (LG e Samsung). Por outro lado, no caso do televisor da Panasonic, não parece ter grande efeito no tempo de resposta. O tempo de 85 milissegundos pode ser percetível para jogadores mais exigentes quando o tempo de resposta num jogo for crucial. Em termos práticos, constatou-se o seguinte:

  • LG e Samsung com “Modo de Jogo”: não era percetível qualquer atraso na jogabilidade;
  • LG e Samsung sem “Modo de Jogo”: atraso pouco percetível, apenas em alguns instantes;
  • Panasonic: atraso percetível, embora não fosse crítico.

HDR balança os níveis de brilho

O HDR funciona de uma forma satisfatória nos jogos e a sua utilização implica um acréscimo de contraste e de visibilidade nas zonas mais claras e mais escuras das imagens. Em televisores com um brilho mais limitado, o efeito será bastante menos notório.

Ambas as consolas suportam HDR, bem como os três televisores estudados. Se o HDR estiver ligado nas consolas, todos os televisores comutam para HDR automaticamente.

Nos televisores de gama alta (LG e Samsung), o efeito do HDR é visível, sendo que o brilho máximo de certas partes da imagem aumenta de forma nítida. Já no televisor da Panasonic, o efeito era menos visível, sobretudo porque o brilho máximo deste televisor é mais limitado.

FreeSync, G-Sync e VRR impedem quebras nas imagens

FreeSync, G-Sync e VRR são sistemas semelhantes, que fazem com que a placa gráfica da consola comunique com o televisor, para que possa ajustar a frequência do ecrã (Hz) de acordo com a fluidez das imagens devolvida pela consola a cada instante.

Por exemplo, num determinado jogo, quando surge um cenário muito detalhado e movimentado, a placa gráfica da consola pode não manter a fluidez máxima e, por isso, tem de a reduzir. Quando a consola e o televisor têm taxas de fluidez diferentes, podem acontecer quebras nas imagens.

O VRR (variable refresh rate) é muito comum em televisores de gama alta. O FreeSync (AMD) é um sistema VRR que não exige hardware específico no televisor, ao contrário do G-Sync (NVIDIA) que necessita desse hardware, o que leva a que haja menos televisores compatíveis com este último sistema.

No caso das televisões inteligentes (smart TV) é mais importante a compatibilidade com VRR e FreeSync, do que com G-Sync, pois ambas as consolas utilizadas usam placas gráficas AMD. Durante o teste, recorrendo à Xbox Series X, não foi possível verificar diferenças entre a utilização ou não do FreeSync.

Isto pode estar relacionado com a elevada potência gráfica da consola utilizada, visto que ao ativar ou desativar o FreeSync, a taxa de fluidez era idêntica – 120 fps (frames per second) com o sistema desativado e 119 fps com o sistema ativado. Mesmo nos jogos jogados a 60 fps, não surgiram quebras nas imagens.

Frequência do ecrã: qualidade de imagem mais nítida

A frequência do ecrã é uma das características que diferenciam os televisores de diferentes gamas, e pode oscilar entre 50 e 120 hertz. Pode não ser um fator tão relevante para ver um canal de televisão ou um vídeo numa plataforma de streaming, mas, no caso do gaming, onde o processamento gráfico é feito sobretudo pela consola, pode ser importante.

A maioria dos jogos atuais não permite tirar o máximo partido das consolas de jogos, pois vários permitem jogar com resolução 4K e 120 Hz, mas não em simultâneo. Por exemplo, pode-se optar por jogar em 4K e com 60 Hz ou em 1080 p e com 120 Hz.

Existem diferenças notórias entre jogar com 60 ou 120 Hz, especialmente quando os ecrãs são maiores. As imagens tornam-se mais fluidas e nítidas em cenas com movimentos rápidos. Quando se joga a 60 Hz, nota-se algum arrasto e duplicação de imagens, que não acontece quando se joga a 120 hertz. Jogar com uma frequência mais alta implica uma melhor fluidez e qualidade de imagem, que pode variar também consoante o jogo.

Funcionalidades melhoram a experiência de jogo

Se tem uma consola de jogos de última geração, existe uma clara vantagem em optar por um televisor com um painel de 100 a 120 Hz, com um nível de brilho máximo elevado, para tirar pleno partido do modo HDR, e com VRR ou FreeSync. G-Sync apenas será relevante para jogar num computador com uma placa gráfica Nvidia. No caso do HDR, para o melhor desempenho, o brilho máximo deve ser no mínimo de 500 nits.

Se já tem um televisor e não pensa trocá-lo em breve, pode ativar o mencionado “Modo de Jogo” caso o seu equipamento o disponibilize. Parâmetros como a redução de ruído ou MPEG NR devem ser desligados pois não têm qualquer efeito nos jogos e podem reduzir a nitidez das imagens. O mesmo se aplica ao sistema de compensação de fluidez, que só deverá ser equacionado para jogos que só funcionem a 30 fps e, mesmo nestes casos, o acréscimo de fluidez será obtido à conta de um maior tempo de atraso.

Recomendamos que opte por jogos que permitam jogar a 60 fps ou mais. Caso queira jogar em resolução 4K e 120 Hz, existem mais ofertas de jogos para a Xbox Series X do que para a PlayStation 5 (sendo que esta última ainda não suporta FreeSync).

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.