Primeiras impressões

Tidal: concorrente tímido do Spotify no streaming de música

13 abril 2015
tidal

13 abril 2015

O Tidal permite ouvir música via streaming mantendo a qualidade original do ficheiro áudio. Mas o investimento mensal de € 13,99 na versão Tidal HiFi só se justifica se tiver um equipamento suficientemente bom para desfrutar da pureza musical.

Tidal versus Spotify: quem vence o duelo?

Os formatos loseless mantêm a qualidade da música, mas os ficheiros são mais pesados, o que exige maior da largura de banda. No Tidal HiFi, a bitrate é de 1411 kbps, enquanto no Spotify fica-se por 320 Kbps.

Se estiver num local com ligação Wi-Fi, não é um problema. Nos outros casos, por exemplo, nos transportes públicos, precisará de um tarifário com um limite muito elevado de dados móveis. Usar 1 hora do Tidal consome cerca de 635 MB em tráfego, o que é muito, considerando que a maioria dos tarifários não permite mais do que 1 GB de tráfego.

Um tarifário com 1 GB de navegação por mês esgota em apenas 97 minutos com o Tidal HiFi. Com o Spotify, pode ouvir 427 minutos de música.
Um tarifário com 1 GB de navegação por mês esgota em apenas 97 minutos com o Tidal HiFi. Com o Spotify, pode ouvir 427 minutos de música.
É possível reduzir a qualidade de transmissão e, assim, diminuir drasticamente o tráfego de dados. Mas, nesse caso, não vale a pena pagar mais por uma versão com qualidade acrescida que não será aproveitada.

O Tidal não tem nenhuma modalidade de acesso gratuita. O Spotify tem, mas com algumas limitações, particularmente quando o acesso é feito através de dispositivos móveis: por hora, só é possível fazer mudar de faixa (skip) 6 vezes, as playlists só estão disponíveis em modo aleatório e é impossível aceder ao modo de streaming de qualidade máxima.

Ao nível da utilização, as 2 aplicações são muito semelhantes e intuitivas. Tal como acontece no Spotify, também o Tidal tem uma app para dispositivos móveis Android e iOS ou está acessível através do browser do computador.

No PC, o Tidal disponibiliza o player diretamente no browser, enquanto o Spotify descarrega um pequeno programa que corre no computador.
No PC, o Tidal disponibiliza o player diretamente no browser, enquanto o Spotify descarrega um pequeno programa que corre no computador.

“Amigos-estrela” de Jay Z reunidos no Tidal

O Tidal já tem um catálogo muito completo, embora tenha sido lançado há pouco tempo e ainda não chegue ao ponto da variedade do Spotify. Ainda assim, Jay Z aproveitou a sua ligação ao negócio da produção musical para reunir artistas de renome (que também são acionistas), como Rihanna, Nicki Minaj, Madonna, Deadmau5, Kanye West, Beyoncé, Calvin Harris, Daft Punk, Chris Martin (Coldplay), Alicia Keys, Wim Butler, Regine Chassagne, Jack White, Jason Eldine, Jay Cole e Usher.

Apesar do apoio dado por este leque de estrelas, o Tidal conta com concorrência feroz. O Spotify não perde em nada ao nível da utilização e ganha no catálogo. Destaca-se sobretudo por permitir um acesso gratuito, embora com algumas limitações. A versão Premium do Spotify, onde esses limites não existem, custa € 6,99 por mês, o mesmo do Tidal Premium. Estaremos atentos aos desenvolvimentos desta luta de titãs.