Primeiras impressões

G Watch: o primeiro relógio inteligente da LG

15 outubro 2014 Arquivado

15 outubro 2014 Arquivado

O smartwatch da LG permite gerir mensagens, aceitar chamadas e pedir informações de navegação. Mas a maioria das funcionalidades pode ser executada no smartphone de forma mais intuitiva.

A LG lançou o seu primeiro relógio inteligente. Equipado com o novo sistema operativo Android Wear, o G Watch pode ser interessante para os fãs dos gadgets. Mas, para a maioria dos consumidores, não acrescenta nada face à utilização de um smartphone, pelo que o investimento de € 200 no novo brinquedo da marca pode não passar de um capricho. Não está à venda em Portugal, embora possa ser comprado online.

Antes de começar a usar o smartwatch, é preciso instalar o Android Wear num smartphone com o Android 4.3 (normalmente incluído nos equipamentos com menos de 2 anos). Feita a instalação, é o sistema operativo que permite configurar as aplicações e sincronizá-las com o relógio. A ligação é feita através do bluetooh, por isso os aparelhos devem estar num raio de 2 a 3 metros.

O LG G Watch custa cerca de € 200 euros e permite instalar algumas aplicações.
O LG G Watch custa cerca de € 200 euros e permite instalar algumas aplicações.

Principais características
O G Watch tem um ecrã tátil, com 1,65 polegadas, e não inclui botões. A pulseira, em borracha, traz a medida padrão dos relógios, para ser facilmente substituída.

O equipamento é resistente à água e ao pó. Segundo a LG, a bateria dura 1 dia com o ecrã sempre ligado. A autonomia aumenta para 2 dias se optar pelo modo do ecrã ativo apenas quando necessário.

Um simples toque dá acesso aos comandos de voz, para fazer pesquisas na Internet, pedir informação de navegação GPS ou a previsão do tempo, criar notas e ditar breves mensagens de texto. O smartwatch vem equipado com um pedómetro e com a funcionalidade de navegação GPS passo a passo, que funciona através do Google Maps. Pode instalar outras aplicações, por exemplo, para localizar o telemóvel, controlar remotamente o volume ou a câmara do aparelho ou consultar receitas culinárias. Também é possível receber as notificações das suas aplicações preferidas, ler as mensagens de texto, aceder às redes sociais e responder através de mensagens ditadas, desde que sejam curtas.

Smartwatch com algumas limitações
Com o G Watch, não pode atender as chamadas, apenas ver o contacto e aceitar ou rejeitar o telefonema. Para manter uma conversa, tem sempre de recorrer ao telemóvel.

A maioria das tarefas realizadas com este smartwatch são executadas mais facilmente com recurso ao smartphone. A autonomia é uma característica que não abona a seu favor, pois precisa de ser carregado todos os dias ou, no mínimo, a cada 2 dias. Como o bluetooth tem de estar ligado, a bateria do telemóvel também é afetada.

Se está realmente interessado num smartwatch, veja o nosso último teste a relógios inteligentes a partir de 109 euros. Alguns modelos tem poucas funções mas dispõem de mais autonomia do que o G Watch ou permitem atender e efetuar chamadas.


Imprimir Enviar por e-mail