Notícias

Telemóvel avariado: oito meses sem solução

13 março 2013 Arquivado

13 março 2013 Arquivado

Pedro Ventura perdeu muitas horas na loja da TMN a reclamar. O telemóvel não tinha uma função e apresentava avarias. Após o nosso contacto, a TMN aceitou devolver o valor para compra de um telemóvel novo, como o leitor exigia.

Nazaré tornou-se conhecida pelas ondas gigantes. Mas é também a localidade de muitos portugueses que enfrentam “tsunamis” de burocracia durante 8 meses para reclamar direitos.

Foi o caso de Pedro Ventura, 26 anos, engenheiro mecânico, para quem inúmeras queixas no livro de reclamações não foram suficientes.

Emissão de rádio desligada
O nosso associado comprou um telemóvel Huawei Ideos X5 em agosto de 2011, na loja TMN de Caldas da Rainha. Ao experimentar, Pedro verificou que o equipamento não incluía a função de “rádio FM”, como anunciava na embalagem. Além disso, ao usar a ligação Bluetooth, o emparelhamento nem sempre funcionava. O mesmo acontecia com o altifalante. Dirigiu-se à loja da TMN, onde teve de deixar o telemóvel para reparar.

A assistência não resolveu os problemas e Pedro continuava sem poder usufruir do “rádio FM” anunciado no aparelho. O leitor registou várias queixas por e-mail e no livro de reclamações da loja, mas a TMN não autorizava a troca.

A falta de uma característica anunciada no bem, a presença de rádio FM, justificava a resolução do contrato, com devolução do dinheiro ou desconto do valor sobre o preço de um novo aparelho.
Em março de 2012, Pedro pediu a nossa intervenção. Em resposta à nossa carta, uma semana depois, a TMN recolheu o telemóvel defeituoso e o nosso leitor utilizou o valor na compra de um telemóvel novo, um Sony Xperia S.