Notícias

Telemóveis: marcas destacam modelos de 2013

27 fevereiro 2014 Arquivado

27 fevereiro 2014 Arquivado

Poucas foram as marcas a promover aparelhos novos no terceiro dia do Mobile World Congress. Preferiram uma aposta segura e optaram pelos lançamentos do ano passado.

Os sul-coreanos da LG optaram por não destacar o LG G2 Mini – um smartphone de 4,7 polegadas que surge contra a corrente do "grande formato" – para promover, mais uma vez, o LG G Flex, um smartphone grande e caro.

Veja o vídeo do nosso primeiro contacto com o LG G Flex na CES Las Vegas.

A marca assume que lançou este modelo para concorrer com o Galaxy Note 3, da rival Samsung. O smartphone da LG diferencia-se pelo formato ligeiramente curvo.

A LG trouxe ainda ao MWC o G Pro 2, de 5,9 polegadas, equipado com a versão 4.4 Android Kit Kat, câmara de 13 megapixels e capacidade de gravação de vídeo 4K.

Huawei aposta no híbrido
A marca chinesa escolheu o tablet Media Pad X1 7.0 como cartão de visita no MWC. O aparelho, com 7 polegadas, permite fazer chamadas e, por isso, há quem o encare como um phablet. Muito leve e fino, está equipado uma câmara grande angular, adaptada aos muito famosos “selfies”.

Tem o mesmo problema dos restantes híbridos: para tablet é pequeno e é enorme como smartphone.

O Ascend G6, um smartphone de gama média, com um ecrã de 4,5 polegadas, e uma pulseira de atividade biométrica (a Talk Band B1) foram as outras apostas da marca durante o congresso. A pulseira da Huawei tem a capacidade de se transformar num auricular Bluetooth quando o utilizador recebe chamadas. À parte esta característica, tem uma qualidade inferior à Gear Fit, da Samsung, mas a verdade é que custa metade do preço.

HTC One eleito o melhor smartphone do MWC
O smartphone da HTC e o Nokia Lumia 520 estiveram em destaque no terceiro dia do congresso.

A HTC viu o HTC One ser considerado o melhor smartphone presente no MWC. Um júri composto por 175 analistas e especialistas independentes valorizou o design e a qualidade do interface de utilização.

A HTC, que atravessa uma fase de quebra de vendas, foi das poucas que não apresentou uma pulseira de atividade e, contrariamente aos rumores que circulavam, não surgiu com um smartwatch. Preferiu centrar as atenções no novo HTC Desire 816 e nas modificações do HTC One.

O júri, que atribui os prémios a dispositivos lançados no ano anterior ao da realização do certame, elegeu o Nokia Lumia 520, com Windows Phone, como o melhor smartphone de baixo custo.


Imprimir Enviar por e-mail