Notícias

Desempenho do telemóvel: apps só complicam

30 novembro 2018
Pessoa a segurar o telemóvel enquanto trabalha com apps móveis

30 novembro 2018

Evite usar aplicações para otimizar o telemóvel. Prometem muito, mas a maioria piora o desempenho. Não aceleram o arranque, nem libertam muita memória.

Início

As apps para otimizar o telemóvel prometem autênticos truques de magia. Anunciam que basta instalar para garantir um melhor desempenho do dispositivo. Mas o resultado das aplicações é muito dececionante.

Em 2015, testámos 9 apps para Android e 4 apps para iOS. Embora as versões analisadas na altura já tenham sido atualizadas, as conclusões do nosso estudo mantém-se totalmente atuais. Não encontrámos nenhuma com qualidade suficiente para atribuirmos os títulos de Melhor do Teste ou de Escolha Acertada.

Continuamos a desaconselhar a instalação da maioria das apps testadas. Muitas ocupam espaço em memória.

No teste, analisámos o desempenho no processamento, no armazenamento e na bateria dos telemóveis. Após a instalação das apps, apenas duas nos pouparam 2 segundos no arranque, mas alguns dispositivos ficaram ainda mais lentos. No pior dos casos, somou 6 segundos ao tempo de referência.

No armazenamento, avaliámos a capacidade disponível e o desempenho da memória RAM. Após a instalação, o desempenho dos dispositivos piorou. Medimos ainda o espaço de memória livre dos aparelhos antes e depois das “milagrosas” apps. E, mais uma vez, a maioria não ajudou a libertar memória. O melhor que uma app conseguiu foi libertar uns modestos 0,29 MB. Não há milagres. Se quer libertar espaço, tem de apagar algumas apps ou outra informação como vídeos, músicas ou fotos.

Os testes à duração da bateria foram insatisfatórios. Seis minutos foi o máximo que uma aplicação poupou, o que em 3h33m (autonomia inicial) está longe de ser brilhante. Uma das aplicações roubou 5 minutos ao tempo inicial da bateria.

No laboratório, descobrimos armadilhas. Estas aplicações têm um apetite especial por informações pessoais.
No laboratório, descobrimos armadilhas. Estas aplicações têm um apetite especial por informações pessoais.
MoboMarket: muitas apps convidam a experimentar outras apps. Cuidado nas permissões.
MoboMarket: muitas apps convidam a experimentar outras apps. Cuidado nas permissões.
CleanMaster: algumas apps só oferecem duas opções de classificação. Muitos atribuem a nota máxima só para evitar o pop-up.
CleanMaster: algumas apps só oferecem duas opções de classificação. Muitos atribuem a nota máxima só para evitar o pop-up.
Battery Life Repair: o gráfico dá a ilusão de que está a otimizar a bateria com uma desfragmentação. Perdida, a capacidade da bateria não pode ser restaurada.
Battery Life Repair: o gráfico dá a ilusão de que está a otimizar a bateria com uma desfragmentação. Perdida, a capacidade da bateria não pode ser restaurada.

Truques para libertar memória

As plataformas iOS e Android já permitem, de origem, a maioria dos poderes especiais prometidos por estas apps. Por exemplo, algumas dizem economizar até 70% da bateria. Mas isto só é possível se alterar as configurações de brilho do visor ou desligar a conetividade.

Mais recentemente, foi implementado, tanto para Android como para iOS, o modo noturno, que aplica tonalidades mais quentes às cores do ecrã. Para além de ser menos agressivo para os olhos (especialmente importante à noite), também poupa bateria se ativar este modo.

  • Mantenha o sistema atualizado. Melhora o desempenho e o consumo de bateria.
  • Consulte com regularidade a loja de aplicações para ver se há atualizações.
  • Se tem aplicações instaladas que não utiliza, apague. Liberta espaço e memória RAM.
  • Limite o número de widgets e de fundos dinâmicos no ecrã principal. Um fundo simples é a melhor opção.
  • Desligue as notificações de e-mail ou das redes sociais. Além de poupar bateria, evita ser incomodado constantemente.