Notícias

Boas colunas portáteis desde 130 euros

O tamanho da coluna conta?

Podemos dizer que sim, que existe uma relação mais ou menos direta entre a dimensão das colunas e a qualidade sonora. Embora não haja garantias de que uma coluna grande e pesada debite bom som, é muito complicado encontrar um aparelho que, apresentando reduzidas dimensões, ofereça sonoridade impactante e com boa reprodução de graves. Para produzirem som, as colunas têm de empurrar as moléculas do ar, que, por sua vez, provocam ondas sonoras. É um choque em cadeia, em que as moléculas se empurram umas às outras. Ora, se a coluna não tiver dimensão suficiente, vai ser complicado empurrar as moléculas com energia suficiente.

Mas como foi determinada a qualidade sonora? Carregámos as faixas musicais de teste num smartphone com Bluetooth aptX e transmitimo-las para as colunas. As amostras foram operadas com igual volume, e um painel de profissionais avaliou o som. Apurámos diferenças muito significativas entre os aparelhos testados, cujo som vai do dececionante ao excelente. Os modelos com pior sonoridade não permitem desfrutar verdadeiramente de música: quando muito, podem ser usados para ter uma banda sonora de fundo enquanto se executam certas tarefas, como cozinhar. Já os melhores exibem qualidade equivalente à das aparelhagens micro hi-fi. A principal diferença está em as últimas utilizarem duas colunas frontais que podem ser separadas e instaladas de forma a potenciar o efeito estéreo. Nas colunas testadas, a separação dos canais é pouco eficaz.

Também o volume máximo sem distorção é limitado nos modelos com uma e duas estrelas. As melhores colunas alcançam níveis de pressão sonora acima dos 79db(A). Tenha em atenção este aspeto no momento da compra, sobretudo se pretende usar a coluna numa sala maior, num local com muitas pessoas ou em exteriores.