Notícias

Apple Watch não revoluciona o mundo dos relógios inteligentes

13 março 2015 Arquivado
applewatch

13 março 2015 Arquivado

Faz chamadas, envia mensagens curtas, ajuda a gerir o e-mail e a monitorizar a atividade física. Mas não é independente do iPhone nem traz funcionalidades realmente inovadoras.

A Apple apresentou o seu relógio inteligente na segunda-feira, 9 de março, em Cupertino, na Califórnia. O Apple Watch estará à venda a partir de 24 de abril na França, Alemanha, Austrália, Canadá, China, EUA, Hong Kong, Japão e Reino Unido. Mas ainda não há data definida para chegar ao mercado português. Quanto a preços na Europa, até agora só são conhecidos os anunciados para a França e a Alemanha, desde 399 euros.

A proposta da Apple não traz nenhuma grande inovação em termos de funcionalidades. Os relógios inteligentes mais evoluídos fazem quase tudo o que o Apple Watch faz. A maior deceção é o fato de precisar de ligação via Bluetooth ao iPhone (5 ou posterior) para todas as opções principais. Esperava-se que a Apple criasse um produto autónomo, capaz de funcionar sem a ligação ao smartphone.

A novidade focou-se antes no design: a marca criou versões para homens e mulheres, que podem ser adaptadas para o trabalho, o desporto ou até para uma festa. Assim, há 3 versões, em 2 tamanhos possíveis e com pulseiras de várias cores e materiais.

O Watch Sport é um relógio em caixa de alumínio anodizado prateado ou cinzento. É compatível com uma pulseira desportiva em borracha, que está disponível em branco, azul, verde, rosa e preto. A versão de 38 mm custa € 399, enquanto a de 42 mm custa 449 euros.

O Watch Sport é a versão desportiva. Varia entre € 339 e € 449, conforme o tamanho.
O Watch Sport é a versão desportiva. Varia entre € 339 e € 449, conforme o tamanho.

O Watch, com caixa em aço inoxidável, pode ser conjugado com pulseiras de pele ou metal. A versão de 38 mm varia entre 649 e 1149 euros. A versão de 42 mm vai dos 699 aos 1199 euros.

O Watch é uma versão mais formal. O preço começa nos € 649 e pode chegar aos 1199 euros.
O Watch é uma versão mais formal. O preço começa nos € 649 e pode chegar aos 1199 euros.

No Watch Edition, a caixa é em ouro de 18 quilates, sendo possível usar com várias pulseiras. O preço começa nos 11 mil euros.

Em ouro de 18 quilates, a versão de luxo custa a partir de 11 mil euros.
Em ouro de 18 quilates, a versão de luxo custa a partir de 11 mil euros.

Enquanto relógio, o Apple Watch permite escolher vários mostradores, em formato analógico ou digital, usar um temporizador ou cronometrar. À semelhança dos relógios tradicionais, existe um botão mecânico, chamado “coroa digital”, que funciona como botão de iniciar. Também serve para ativar o assistente pessoal Siri.

Já com as funcionalidades “inteligentes”, quando ligado ao iPhone, pode-se rejeitar chamadas e mesmo falar ao telefone. No entanto, até que fiquem disponíveis os auriculares bluetooth, terá de usar a função “alta voz”, ao estilo da personagem Michael Knight, da série “O Justiceiro”.

As notificações estão sempre à mão: quando o iPhone recebe uma informação sobre um evento no calendário, uma mensagem de texto, uma chamada ou um e-mail, o Apple Watch vibra ligeiramente, sendo possível definir um som para cada tipo de comunicação. As notificações podem ser lidas como em qualquer smartwatch, mas também respondidas através de curtas mensagens escritas, breves mensagens de voz gravadas ou ditadas ou da partilha da localização. Já os e-mails podem ser marcados como “lidos” e “não lidos” ou apagados. 

É possível ligar dois Apple Watch para trocar mensagens, emojis animados e desenhos feitos no ecrã do relógio. Haverá uma App Store exclusiva, adaptada às especificidades do relógio. Mas apenas estará acessível através do iPhone.

O Apple Watch traz as funcionalidades das pulseiras para fitness, como um acelerómetro para contar passos e movimentos e um medidor de frequência cardíaca. Inclui 2 aplicações. O Fitness estimula o utilizador a estar sempre em movimento, medindo as atividades do dia a dia. O Workout foca-se nos treinos em exercícios específicos (caminhada, corrida, bicicleta, etc.) que têm de ser monitorizados e acompanhados de perto. Falta o GPS integrado: para medir a distância e a velocidade e para consultar o percurso nos mapas, é preciso a presença do smartphone

A Apple assegura que o seu smartwatch tem autonomia para 18 horas, o que obriga a ser carregado diariamente. O sistema de carregamento dispensa a utilização de fios. Basta encostar um dispositivo magnético à parte de trás do relógio.