Notícias

Apple Watch muito dependente do iPhone

27 janeiro 2016 Arquivado

27 janeiro 2016 Arquivado

O Apple Watch chega a Portugal a 29 de janeiro. Apesar dos preços de rei anunciados pela marca, entre € 429 e € 18 500, o nosso teste revela que faz quase o mesmo que os outros relógios inteligentes.

Atividade física e saúde no pulso

As funcionalidades dos smartphones ligadas à saúde e à atividade física estão a ganhar terreno nos últimos anos. E os smartwatches seguem a tendência. O Apple Watch integra um pedómetro, para registar os passos, e um monitor de frequência cardíaca. Traz ainda 2 aplicações de origem: a Activity, que regista o número de passos ao longo de todo o dia, e a Workout, para desportos ao ar livre, como ciclismo, caminhada ou corrida.

Testámos a diferença entre o número de passos e a distância percorrida, olhando para um trajeto de referência. Repetimos o teste com 2 tipos de atividade e com o iPhone ligado e desligado. Os resultados são bastante mais precisos quando o utilizador tem o relógio ligado ao iPhone. Sem o telemóvel, deixa de haver acesso à funcionalidade GPS e os resultados para a corrida mostram distâncias muito longas e uma velocidade demasiado elevada. 

Mais uma vez, tal demonstra que o relógio tem uma utilização muito limitada por si só. Já o monitor de batimentos cardíacos revela boa precisão, embora não funcione nem partilhe dados com aplicações externas, como o Runtastic.