Notícias

App Houseparty recolhe e partilha demasiada informação pessoal

É uma das apps mais descarregadas, mas não recomendamos que a use. No nosso teste à app Houseparty, detetámos partilha de dados pessoais e a segurança pode ser melhorada.

  • Dossiê técnico
  • Pedro Mendes
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
02 abril 2020
  • Dossiê técnico
  • Pedro Mendes
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
símbolo da app houseparty

iStock

A Houseparty é uma app que combina uma rede social, videochamadas com jogos e realidade aumentada. Está disponível para Android e iOS, mas também pode ser acedida em Mac e PC através de uma extensão para o Google Chrome. 

Numa altura em que muitos se vêem obrigados a ficar em isolamento social em casa, as aplicações sociais e de vídeoconferência subiram substancialmente nos rankings das mais descarregadas nas lojas de aplicações. A Houseparty surge no topo das preferências.

Pela popularidade que conquistou, fizemos um teste de segurança e privacidade. Os resultados levam-nos a não recomendar que instale a aplicação. Comunicámos estes resultados à empresa responsável pelo desenvolvimento da app Houseparty e aguardamos resposta.

Houseparty partilha informações com outras empresas

Pela sua natureza, a Houseparty recolhe uma grande quantidade de informações pessoais. No registo, recolhe nome de utilizador, e-mail e password. Mas também recolhe som, imagem e localização. Além destes dados, na sua política de privacidade, a empresa informa que recolhe outras informações pessoais, como identificadores únicos, contactos ou números de telemóvel. Mas garante que nunca serão partilhados com terceiros.

Testámos a app e podemos confirmar que há partilha de informação pessoal com uma longa lista de empresas terceiras como o Facebook, a Google e empresas de publicidade. Entre os dados que são partilhados encontram-se o e-mail e o nome de utilizador.

O mais preocupante foi termos detetado, durante o processo de registo, o envio da lista de aplicações instaladas no dispositivo. Não vemos razão para este tipo de informação ser recolhida. Também não encontramos referência explícita à recolha desta informação na política de privacidade da empresa.

A lista de contactos do utilizador também é recolhida, mas, neste caso, o utilizador tem de permitir explicitamente o acesso à mesma. 

Segurança a melhorar

Além da privacidade, também analisámos a segurança. Embora a Houseparty não tenha nenhuma falha crítica, consideramos que deveria haver um nível superior de segurança no registo.

Os dados são enviados através de uma ligação segura (https), mas a password deveria também ser encriptada antes de ser enviada para que, mesmo que consiga intercetar a comunicação, o atacante não consiga desencriptar a palavra-passe.

Aplicar uma técnica de fixação do certificado é outra prática que deveriam usar para impossibilitar ataques "man-in-the-middle" (quando os dados trocados entre duas partes são intercetados por um atacante).

Atenção à bateria, aos dados móveis e à publicidade

Como a app consome recursos, como processador, câmara e ligação de dados intensiva, é normal que sinta o telefone a aquecer ligeiramente. No nosso teste, verificámos um grande consumo de bateria e de dados móveis. Se não tiver rede wi-fi, corre o risco de esgotar o plafond de dados mensal com alguma rapidez. 

A app poderá apresentar publicidade que é personalizada com base na análise dos seus dados pessoais e na utilização que faz da aplicação. A app só deve ser utilizada por maiores de 13 anos. No entanto, não há qualquer tipo de verificação. Um menor pode colocar uma data de nascimento fictícia para conseguir completar o registo.

Embora a empresa informe que proíbe pornografia ou nudez explícita, nada impede que o menor ou outros utilizadores adicionem conteúdos deste género a salas com crianças, se não estiverem bloqueadas.

É sempre recomendável a supervisão por parte de um adulto. Para conhecer as melhores aplicações de controlo parental, consulte o nosso comparador.

Como funciona a Houseparty

A app foi desenvolvida a pensar nos millenials e na geração Z, por isso, o layout pode não ser o mais óbvio para muitos utilizadores, porque não usa a estrutura mais tradicional de outras aplicações. O mesmo acontece com diversas apps para estes públicos, como o TikTok.

A Houseparty só está disponível em inglês, mas esse facto não é problemático na navegação porque existem poucas expressões escritas: recorre, sobretudo, a símbolos e iconografia. Nos jogos já pode ser um verdadeiro problema para quem não dominar o idioma, uma vez que as perguntas e as respostas são em inglês.

Para se ligar com outros utilizadores pode usar o e-mail, o número de telefone, as redes sociais ou partilhar um link.

Cada utilizador tem uma sala virtual para a qual pode convidar até 7 pessoas, num total de 8 particiantes. Pode permitir que outros utilizadores convidados convidem também mais pessoas ou ser o único com permissões para o fazer.

Os jogos da app funcionam com a tecnologia de realidade aumentada. Por exemplo, sobre a imagem do utilizador são dispostos cartões com perguntas ou imagens. Podem ser de conhecimento geral, trívia, desporto, música, cinema, desenho, entre outros. Um jogo muito popular entre os mais jovens é o “Heads-Up” (em português: “Quem sou eu”), do género do jogo de tabuleiro "Quem é Quem".

Os jogos são sobrepostos na videochamada e a qualidade da imagem depende da ligação à internet. Se a ligação não for boa, a qualidade do vídeo é reduzida. 

Há jogos que podem ser jogados gratuitamente, mas muitos são pagos. Esta é uma das fontes de receitas da empresa. A outra é a publicidade.

O processo de registo obriga a fornecer e-mail, nome, nome de utilizador, password e data de nascimento. A app pede logo acesso ao microfone e à câmara do equipamento. Estas permissões são obrigatórias e sem elas não pode completar a instalação. Já a localização é facultativa e serve para localizar outros utilizadores próximos de si.

Na primeira configuração, a app pede acesso aos seus contactos para poder enviar convites. É uma permissão perfeitamente prescindível e é pouco recomendável, pois pode estar a comprometer não só a sua privacidade como a dos seus contactos. Se não pretende adicionar muitos amigos (e esse não é o intuito desta aplicação) opte por fazer os convites um a um. 

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

Num Mundo complexo e com informação por vezes contraditória, a DECO PROTESTE é o sítio certo para refletir e agir.

  • A nossa missão exige independência face aos poderes políticos e económicos. 
  • Testamos e analisamos uma grande variedade de produtos para garantir que a escolha dos consumidores se baseia em informação rigorosa. 
  • Tornamos o dia-a-dia dos consumidores mais fácil e seguro. Desde uma simples viagem de elevador ou um desconto que usamos todos os dias até decisões tão importantes como a compra de casa.
  • Lutamos por práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho que fazemos junto das autoridades e das empresas. 
  • Queremos consumidores mais informados, participativos e exigentes, através da informação que publicamos ou de um contacto personalizado com o nosso serviço de apoio.

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Faça parte desta comunidade.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.