Dicas

Como proteger o smartphone em 6 passos

Melhorar a proteção de um smartphone é mais fácil do que parece, desde atualizar o sistema operativo a bloquear o acesso ao dispositivo. Saiba como proteger o telemóvel com seis dicas essenciais.

  • Dossiê técnico
  • João Miguens
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Alda Mota
11 outubro 2021
  • Dossiê técnico
  • João Miguens
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Alda Mota
Mão a segurar smartphone com imagens de cadeados em cima.

iStock

Os smartphones tornaram-se indispensáveis, e a maior parte das pessoas tem um, mas convém ter atenção à segurança na internet. Conheça algumas dicas simples e eficazes para proteger o seu smartphone.

1. Escolher uma forma de desbloqueio do smartphone segura

Para evitar que qualquer pessoa entre no seu smartphone e aceda a informações pessoais, defina uma forma de proteção. Dependendo da marca e do modelo do seu smartphone, há várias opções disponíveis.

Padrão: desbloqueia o telemóvel desenhando uma senha padrão no ecrã. Esta forma de proteção é desaconselhada, porque o rasto das impressões digitais pode ficar marcado no ecrã e ser fácil de descobrir. 

Código PIN: é uma proteção razoável se escolher um código com seis números ou mais. Um código de quatro dígitos pode ser fácil de descobrir.

Dados biométricos: cada vez mais os aparelhos autorizam o desbloqueio através de impressão digital ou de reconhecimento da íris ou facial. Estes métodos biométricos são razoavelmente seguros.

Palavra-passe: é a melhor proteção, caso escolha uma palavra-passe mais complexa. Quanto maior e mais complexa for a password, mais difícil será descobri-la.

2. Fazer operações bancárias em segurança

Descarregue e utilize sempre a aplicação oficial do seu banco. É seguro usá-la com uma rede wi-fi doméstica ou numa rede móvel. Mas não deve utilizá-la numa rede wi-fi pública, como a do centro comercial ou de um restaurante, mesmo que a ligação esteja protegida por palavra-passe. Termine sempre a sessão e feche a aplicação do seu banco assim que terminar de utilizá-la.

Saiba que os bancos não enviam mensagens aos seus clientes (por e-mail ou outro meio) a solicitar-lhes dados de segurança ou outra informação confidencial. Não envie o seu nome de utilizador, o código de acesso ou o cartão-matriz. Não aceda ao site do banco através de links enviados em e-mails, como newsletters.

3. Atualizar o sistema operativo e as apps

Tal como nos dispositivos informáticos, também com os smartphones é importante manter o software sempre atualizado. Caso o seu equipamento tenha deixado de poder receber atualizações de segurança, pondere mudar de smartphone.

4. Atenção às autorizações das apps

Não dê a uma app acesso a informações que não são necessárias. Antes de instalar qualquer app, controle as permissões que lhe são pedidas. Por exemplo, é estranho que uma app de fotos pretenda enviar SMS. Pode decidir as permissões que dá a cada aplicação. Também pode consultar, ativar ou desativar as autorizações de uma app depois da instalação.

5. Instalar as apps a partir de lojas oficiais

Para limitar o risco de instalar apps prejudiciais, é importante descarregá-las a partir de lojas oficiais ou credíveis. Por segurança, verifique nas configurações que as apps de "fontes desconhecidas" não podem ser instaladas.

6. Fazer backups regulares do smartphone

Certifique-se de que tem sempre uma cópia de segurança (backup) atualizada do seu smartphone para evitar perder os dados (fotos e vídeos, contactos, mensagens, e-mails, aplicações e respetivas configurações) em caso de avaria, perda ou roubo. Estes backups podem ser configurados para serem realizados periodicamente nas clouds da Google, da Apple ou da marca do telemóvel.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.