Primeiras impressões

Nintendo Wii U: a primeira consola da 8.ª geração

27 fevereiro 2014 Arquivado

27 fevereiro 2014 Arquivado

A Nintendo foi a primeira empresa a lançar uma consola de 8.ª geração nas lojas portuguesas no final de 2012. A Sony PS4 chegou passado quase um ano, com um sucesso comercial muito superior. Revelamos as nossas impressões sobre a consola da Nintendo.

O preço da Nintendo Wii U é cerca de € 300, ou seja, menos € 100 do que o da outra consola de última geração à venda, a Sony PS4.

A consola de jogos da Nintendo impressiona pela capacidade gráfica e sobretudo pelo novo comando Wii U GamePad. Mas não vai ser fácil convencer os consumidores a dar o salto, mesmo no caso das consolas da geração anterior, com um preço mais reduzido e elevado desempenho, como a Sony PlayStation 3 (PS3 Slim 12 GB por cerca de € 175) e a Microsoft Xbox 360 (Xbox 360 4 GB por cerca de 199 euros). Tem de garantir um catálogo de jogos robusto e esperar que os programadores de jogos possam otimizar ao máximo as mais-valias do novo comando.

Além disso o hardware gráfico presente na Sony PS4 e na Microsoft Xbox One (que deverá chegar este ano ao nosso mercado) é mais potente e apresenta outras garantias para os jogadores mais exigentes.

O principal trunfo do comando da Wii U é o ecrã tátil de 6,2 polegadas (quase 16 cm). Serve de meio de controlo complementar e permite o funcionamento autónomo do televisor para alguns jogos.

A compatibilidade com os jogos antigos é a primeira boa notícia para os utilizadores da Nintendo Wii. A segunda é o facto de poder usar os acessórios atuais na nova consola, como os comandos de movimentos (Wiimote e Nunchuck) e a balança da Wii Fit e similares (Wii Balance Board).

Nintendo Wii U rica em gráficos detalhados e fluidez
A Nintendo Wii U é a primeira consola de jogos de 8.ª geração exibida. Quase 7 anos após o lançamento da primeira consola de 7.ª geração (Xbox 360 da Microsoft), a Nintendo dá cartas com o modelo que experimentámos.

Um sucesso de vendas entre os jogadores casuais, a Nintendo Wii começou a provar o sabor da competição a sério com as soluções de comando por movimentos das rivais (Kinect da Xbox 360; Move da PlayStation) e os jogadores que jogam em telemóveis e tablets. A inovação é um passo natural neste aparelho e reside sobretudo no novo comando com ecrã integrado.
 
Os gráficos são tão ou mais detalhados do que os exibidos pela PlayStation 3 e Xbox 360 e pelos computadores mais recentes. O mesmo é notório ao nível da fluidez dos jogos.

Nintendo Wii U: equipamento principal
Wii U (consola)
Processador IBM Power PC de 3 núcleos
GPU (processador gráfico) AMD Radeon HD
Ligação HDMI Sim (vídeo até 1080p)
Memória flash interna Sim
Slot para cartões SD Sim
Ligações USB 4 do tipo USB 2.0
Drive ótica Sim (para discos da Wii e Wii U)
Retrocompatível com jogos Wii Sim (1)
Compra de jogos online Sim (loja anunciada)
Wi-Fi Opcional (têm de usar pen USB Wi-Fi)
Comandos aceites 2 Wii GamePad, 4 Wii Remote Plus ou Wii Pro controllers
Comandos/acessórios Wii Remote, Wiimote, Nunchuck, Wii Balance Board
Dimensões em cm 4,6x17,3x26,7
Peso 1,5 kg
Wii U GamePad
Ecrá tátil 6,2" (15,7 cm) em 16:9
Joysticks analógicos 2
Câmara fotográfica Sim (frontal)
Sensor de movimento  Acelerómetro e giroscópio
NFC (Near Field Communication) Sim
Peso 500 g
(1) A consola Wii U será compatível com a maioria dos jogos da Nintendo Wii, segundo o fabricante.

Na parte frontal, a unidade de leitura de discos óticos salta à vista. Os jogos deverão continuar disponíveis em suporte físico, além da compra online. A traseira da consola inclui duas ligações USB.

Wii U GamePad com ecrã tátil arrasa
A principal novidade mora no comando entregue com a consola (Wii U Game Pad). É um tablet com um ecrã tátil de 6,2 polegadas (15,7 cm de diagonal) em formato 16:9, câmara frontal, microfone e sensores de movimento. A disposição das teclas lembra a de uma consola de jogos portátil. Além dos 2 joysticks analógicos (similares aos da Sony PS Vita) e várias teclas de seleção, podemos usar teclas de comando na parte traseira e no rebordo. Enriquecido com sensores de movimento, o comando permite o controlo de jogos através da sua inclinação. A Nintendo Wii U suporta a utilização de 2 comandos destes ao mesmo tempo.

Ao integrar o ecrã, o comando liberta o jogador da dependência do televisor. Na falta temporária do televisor, pode aventurar-se com alguns jogos através do ecrã. Estamos perante um híbrido entre consola de jogos portátil e de mesa.

A arma mais potente da Nintendo Wii U é o ecrã tátil. Experimentámo-lo e serve como modo complementar de controlo durante os jogos. É útil por exemplo para fazer seleções sem interferir no que está visível no televisor, mostrar o mapa enquanto continua a jogar e ver a lista de armas. Vislumbrámos integrações bem conseguidas e inovadoras, face às consolas atuais. Com a criatividade dos programadores de jogos, esperamos soluções muito interessantes.

O Wii U GamePad arrasa pela versatilidade (touchscreen, joysticks analógicos, sensores de movimento e câmara). Mas devido ao peso e dimensões será pouco prático para sessões de ação prolongadas e jogos mais exigentes. É o caso das simulações de futebol, jogos de disparo e alguns de aventuras. Os comandos mais tradicionais, como da PlayStation 3 e Xbox 360, são mais leves e ergonómicos. Consciente disso, a Nintendo já apresentou um comando clássico, designado de Wii Pro Controller.

Wii Pro Controller é o comando de desenho clássico que a consola também irá disponibilizar para os jogadores mais exigentes.

A Nintendo Wii U é compatível com vários periféricos da Wii. Destacamos o comando por movimentos (Wiimote), o Nunchuk (comando auxiliar nalguns jogos da Wii) e a Wii Balance Board. Se mudar da Wii para a Wii U, poderá usá-los, tal como é anunciado pela Nintendo.


Imprimir Enviar por e-mail