Primeiras impressões

Kubo 9.7: novo tablet da Mitsai é pouco apetecível

10 março 2015

10 março 2015

O equipamento e as características prometem muito, mas os primeiros resultados do nosso teste revelam limitações ao nível do ecrã. Não recomendamos o investimento de 199,99 euros.

Chegado ao mercado no final de 2014, o novo tablet da Mitsai está à venda em exclusivo na Worten. Vem equipado com o processador Intel® Atom™ Z3735F Quad Core, até 1.83 Ghz. Tem 2 GB de memória RAM e ecrã IPS Ultra de 9,7 polegadas, com elevada resolução de 2048 x 1536 píxeis. Está equipado com o Windows 8.1, sendo o aparelho mais barato do mercado com este sistema operativo e ecrã superior a 9 polegadas. 

No entanto, tendo em conta as limitações que verificámos, quem procure um tablet com o sistema operativo Windows 8.1, ecrã com 9 ou 10 polegadas e preço ainda interessante, deverá optar pelo Toshiba Encore 2 WT10-A-102. Apesar de ser mais dispendioso, este aparelho oferece qualidade significativamente superior. Compare preços e características de mais de 80 produtos no nosso teste a tablets.

Ecrã e câmara aquém das expetativas
O Kubo inclui algumas ofertas de software e serviços, como a licença de 1 ano para o Office 365 (disponível para 3 dispositivos), 1 TB de espaço na cloud OneDrive e 60 minutos por mês de comunicações Skype gratuitas.

Apesar da ótima resolução, o ecrã deixa a desejar. Apresenta falta de brilho, ângulos de visão limitados e, sob luz direta ou no exterior com forte luz solar, há problemas de refletividade que deixam o ecrã praticamente ilegível. Já em condições adequadas de luz, a legibilidade do aparelho é boa, o texto é muito definido e permite uma leitura confortável para os olhos.

A funcionalidade tátil também não satisfaz, e não apenas por limitações relacionadas com a utilização do Windows 8.1 em modo desktop. É pouco precisa e lenta a registar o toque, deixando-nos na dúvida se selecionámos mesmo a função pretendida. Além disso, as marcas de dedos facilmente ficam no ecrã - mais do que o normal nestes aparelhos.

Na gravação de vídeos, o maior problema que notámos foi a lentidão da câmara a focar os objetos, principalmente se estiverem em movimento. Outras falhas encontradas foram as cores demasiado saturadas e com falta de detalhe em determinados momentos.

Também ficámos desapontados com as fotografias, principalmente as tiradas pela câmara traseira: as cores saíram saturadas e com pouco detalhe. A câmara frontal, de 2 megapíxeis, torna o tom da pele demasiado avermelhado e demonstra falta de detalhe.

Pontos positivos
O Kubo 9.7 tem um bom comportamento na utilização da Internet e do e-mail. Revela ser suficientemente fluido na utilização de aplicações e em muitos programas do Windows.

A autonomia da bateria é razoável: permite mais de 6 horas e meia de visualização de vídeos e cerca de 6 horas a navegar na Internet via Wi-Fi. Uma carga rápida de 30 minutos dá para mais de 1 hora de utilização.

Zoom no equipamento

  • Ecrã 9,7” IPS com resolução de 2048 x 1536 píxeis.
  • Processador Intel Atom Z3735F Quad-Core a 1,33 GHz (máx 1,83 GHz).
  • Memória RAM de 2 GB.
  • Sistema operativo Windows 8.1 (completo).
  • Memória interna de 32 GB com 18,5 GB disponíveis.
  • Slot para cartão Micro SD (até 64 GB).
  • Câmara traseira de 5 Mpx com auto-focus e frontal de 2 Mp.
  • Portas micro USB, micro HDMI e jack 3.5 mm.
  • Bluetooth 4.0, Wifi 802.11 a/b/g/n.
  • Dimensões: 240 mm x 168 mm x 8,74 mm; peso: 515 g.

Imprimir Enviar por e-mail