Notícias

Ligamos famílias com a oferta de 50 tablets de norte a sul do País

Um meio para videochamadas ou um “recurso terapêutico”. Algumas instituições abrangidas pelo projeto “Ligamos famílias”, da DECO PROTESTE, contam como um tablet faz toda a diferença em tempo de pandemia.

  • Texto
  • Nuno César
14 dezembro 2020
  • Texto
  • Nuno César
duas mulheres separadas por parede de vidro num lar de idosos

iStock

Cada vez que Irene Rocha vê o ecrã do tablet, pergunta ansiosa: “Está aí o meu filho, está?” A comunicação com o seu único filho melhorou muito desde junho, quando o Centro de Apoio aos Idosos de Bouro – onde reside – recebeu um tablet da DECO PROTESTE.

Irene, que tem 91 anos e síndrome demencial, e quase todos os outros utentes deste lar, situado em Braga, puderam manter e até melhorar o contacto com as famílias, numa altura em que a pandemia pôs fim às visitas externas. “A videochamada acrescenta muito mais do que um simples telefonema”, diz Helena Araújo, animadora sociocultural da instituição.

Helena Araújo, animadora do Centro de Apoio aos Idosos de Bouro, em Braga: além das videochamadas, utilizamos o tablet em atividades. 
Helena Araújo, animadora do Centro de Apoio aos Idosos de Bouro, em Braga: Além das videochamadas, utilizamos o tablet em atividades com os utentes.”

Tudo começou com o projeto “Ligamos famílias”, da DECO PROTESTE, que decidiu adquirir meia centena de tablets para responder a pedidos de várias instituições de apoio a idosos. “As equipas estavam esgotadas, atoladas em questões burocráticas, e tinham um problema em mãos: o bem-estar emocional dos idosos agravou-se de forma drástica, por causa do afastamento dos familiares”, conta Ana Guerreiro, que tem a cargo a responsabilidade social da DECO PROTESTE. Para muitos destes lares, já sobrecarregados com a compra de equipamentos de proteção individual, adquirir estas ferramentas tecnológicas não estava ao seu alcance.

“O objetivo inicial, que era permitir as videochamadas entre os idosos e a família, com um equipamento versátil e de qualidade, transformou-se num projeto”, recorda Ana Guerreiro. Os tablets começaram, entretanto, a ser aproveitados para atividades psicopedagógicas e de desenvolvimento cognitivo, como sucedeu em Braga. “Tínhamos uma atividade presencial [leitura e interpretação de um conto] com a técnica de uma biblioteca municipal, que foi cancelada devido à pandemia. Mas agora foi possível retomá-la online, com a ajuda deste recurso informático”, afirma Helena Araújo, satisfeita com as vantagens do equipamento, que é usado pela maioria dos 16 utentes.

“Combater o isolamento”

No lar Eng.º Francisco Leal, da Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (ACASO), o tablet veio “combater o isolamento”, pois permitiu alargar as videochamadas a todos os utentes. Antes desta oferta, a comunicação com os familiares era feita através do sistema interativo SIOSLIFE. “Para o usarem, os utentes tinham de se dirigir até ao monitor, o que dificultava as videochamadas no caso dos que se encontram acamados ou em isolamento profilático. Só conseguíamos fazer uma chamada telefónica”, recorda Adriana Dias, diretora técnica da estrutura.

Além disso, o equipamento é usado para “modernizar as redes sociais” do lar e “registar diariamente as atividades dos utentes [31], proporcionando aos familiares a visibilidade diária de todas as dinâmicas”.

Adriana Dias é diretora técnica do lar Eng.º Francisco Leal, da Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (ACASO). 
Adriana Dias é diretora técnica do lar Eng.º Francisco Leal, da Associação Cultural e de Apoio Social de Olhão (ACASO).
No lar Eng.º Francisco Leal, utilizamos o tablet para partilhar as atividades dos utentes com a família e modernizar as redes sociais. 
No lar Eng.º Francisco Leal, utilizam o tablet para partilhar as atividades dos utentes e modernizar as redes sociais.

Usavam telemóveis pessoais

No lar da Liga dos Amigos da Terceira Idade (LATI), em Setúbal, já existia um tablet para apoiar as atividades dos terapeutas ocupacionais, mas “era muito requisitado por todas as valências da área de idosos”, conta Ana Mendes, responsável pelos Recursos Humanos da instituição. Esta oferta da DECO PROTESTE foi bem-vinda.

Na Liga dos Amigos da Terceira Idade (LATI), em Setúbal, o ecrã maior faz a diferença nas videochamadas e como recurso terapêutico. 
Na Liga dos Amigos da Terceira Idade (LATI), em Setúbal, o ecrã maior faz a diferença nas videochamadas e como recurso terapêutico.

Desde o início do confinamento, em março de 2020, a equipa multidisciplinar já estava a realizar videochamadas com os familiares dos idosos e até já tinha criado um grupo de WhatsApp no qual se partilhavam as atividades mais relevantes. No entanto, faziam-no recorrendo aos telemóveis pessoais. “Ora, o tablet tem um monitor maior, o que, para os idosos, faz muita diferença, pois nesta faixa etária a visão e a audição estão tendencialmente reduzidas. Um ecrã pequeno e o baixo volume dificultavam as ligações”, reconhece Ana Mendes.

Depois das videochamadas, o tablet começou a ser usado como “recurso terapêutico”, promovendo “atividades que visam a estimulação cognitiva”, através de apps e jogos disponíveis para download. “O ideal”, admite Ana Mendes, “seria ter mais equipamentos deste tipo para fazer um trabalho terapêutico verdadeiramente eficaz, mas por enquanto já é muito bom termos este recurso”. Neste lar, vivem atualmente 48 utentes, mas apenas 36 usam regularmente o equipamento (os restantes têm demência muito avançada).

Mais de oito mil chamadas

Segundo um inquérito aplicado entretanto pela DECO PROTESTE, para avaliar o impacto da iniciativa, “cerca de 90% das instituições dizem que o aumento do bem-estar emocional dos idosos foi notório. E, para a grande maioria, foi a primeira interação com o mundo digital”, afirma Ana Guerreiro, sublinhando que, em quatro meses, terão sido feitas mais de oito mil chamadas, partindo do princípio de que cada idoso fez, em média, duas chamadas por mês.

Leandro Pires, diretor executivo do Lar Casa de Magalhães, em Viana do Castelo. O tablet melhorou a ligação e permitiu fazer mais chamadas. 
Leandro Pires, diretor executivo do Lar Casa de Magalhães, em Viana do Castelo. O tablet melhorou a ligação e permitiu fazer mais chamadas.

No Lar Casa de Magalhães, em Viana do Castelo, o tablet também foi “uma grande mais-valia”, garante a diretora técnica, Catarina Castro. “Foi possível começar a realizar mais chamadas nos horários mais pretendidos. Além disso, realizar videochamadas através do tablet é muito melhor do que com um telemóvel, pois os utentes têm uma melhor perceção da imagem e conseguem ver os familiares com muito mais nitidez.” Contudo, dos 47 utentes internados neste lar, apenas dez fazem uso do equipamento, pois os restantes são, na maioria, “muito dependentes e já não interagem muito”.

DECO PROTESTE na linha da frente

A equipa da DECO PROTESTE voltou à estrada para ajudar quem mais precisa durante a maior crise de sempre. Entregámos 50 tablets (Samsung Tab A de 10,1 polegadas, com o título de Escolha Acertada, no teste) a instituições de apoio a idosos com uma missão nobre e crucial: ligar as famílias aos pais e avós durante meses impedidos de qualquer contacto físico no pico da covid-19.

Desta vez, doámos meia centena de tablets, num valor superior a 10 mil euros. Mas não foi a primeira doação. Desde 2015 que a DECO PROTESTE apoia causas sociais. Em cinco anos, apoiámos mais de 60 entidades, de norte a sul do País, com produtos que provêm dos estudos e testes. Apoiámos o IPO de Lisboa e do Porto com aparelhagens e leitores de DVD para os quartos e zonas comuns. Já ao Centro de Paralisia Cerebral de Beja, demos aparelhos de ar condicionado, que permitiram inaugurar uma sala de fisioterapia. Oferecemos gravadores de som à associação Coração Amarelo, que permitem aos voluntários gravar uma memória ou história para os idosos ouvirem, quando eles não estão presentes. Antes de cada doação, é feita uma análise das instituições cujos projetos podem beneficiar desses artigos.

Ana Guerreiro 
Ana Guerreiro, que tem a cargo a responsabilidade social da DECO PROTESTE, com os 50 tablets que entregámos a instituições de apoio a idosos.

Covid-19 dispara pedidos de ajuda

A covid-19 disparou os pedidos que recebemos para doação de equipamentos. Não hesitámos em responder ao apelo de diferentes formas. Colaborámos diretamente com o projeto tech4COVID19. Este movimento foi criado por um grupo de fundadores da comunidade tecnológica portuguesa com o objetivo de criar soluções que ajudem a população a superar os desafios que a covid-19 provocou. Neste momento, já têm projetos em áreas tão diferentes como plataformas gratuitas de videochamadas com psicólogos, app para evitar filas em estabelecimentos comerciais, entrega de medicamentos em casa e apoio de cuidados para animais de estimação para profissionais de saúde.

A DECO PROTESTE também colaborou com o projeto Student Keep através da doação de 20 computadores. Como forma de combater o surto de covid-19, todas as escolas foram forçadas a suspender atividades de ensino em sala de aula, forçando professores e alunos a adaptarem-se. Contudo, nem todos os alunos têm acesso à net ou a um computador para acompanhar as tarefas propostas pelos professores, e o ensino à distância é a única maneira de conectar professores e alunos.

Contacto mais forte dos familiares com os utentes

A DECO PROTESTE desenvolve inúmeros projetos de apoio às comunidades, que abrangem todas as faixas etárias. Confrontados com o momento que vivemos e com a necessidade urgente de ligar idosos às famílias, decidimos oferecer tablets a instituições de norte a sul do país. Para identificar as entidades a integrar este projeto, seguimos dois critérios: abrangência geográfica (centros sociais, casas do povo, todas as entidades de recebam idosos de diferentes freguesias do concelho) e diversificação de públicos e âmbitos de atuação (idosos em internamento e em regime de apoio domiciliário).

Todas as entidades envolvidas nesta ação cumprem a lei e trabalham com um propósito social. Cada distrito encontra-se representado por duas entidades. Para ter uma ideia aproximada de quantos beneficiários estamos a apoiar, consultámos o site Lares Online que revela o número de idosos associados à atividade do lar. Neste caso, estamos a apoiar mais de mil portugueses. Os profissionais destas instituições estão na linha da frente. Queixam-se da falta de organização do Governo, da Segurança Social e das autarquias com informação perdida e confusa, que os sobrecarrega de formalismos e burocracias que mudam a cada instante. Falta de pessoal especializado e falta de partilha de informação entre entidades do mesmo concelho são alguns sinais de alerta que nos inquietam. Sempre se sentiram isolados, mas agora, mais do que nunca, sentem que este isolamento pode ditar o fim dos seus projetos. Prometemos não baixar os braços e continuar a ligar cada vez mais as famílias portuguesas.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.