Notícias

iPad Pro 2018: um tablet potente com grande qualidade de ecrã

Testámos a terceira geração do iPad Pro e o laboratório confirma a qualidade. À venda a partir de € 909, os preços são quase proibitivos para utilizadores não profissionais. 

  • Dossiê técnico
  • Pedro Mendes e Sofia Costa
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
19 novembro 2018
  • Dossiê técnico
  • Pedro Mendes e Sofia Costa
  • Texto
  • Sofia Frazoa e Filipa Nunes
ipad pro 2018

iStock

O iPad Pro 2018 está disponível em dois tamanhos: 11” e 12.9”. Em ambos os casos pode ser comprado com ou sem ligação de dados móveis. A memória interna varia entre 64 GB e 1 TB e os preços começam nos € 909, mas podem chegar aos € 2 129 (versão de 12,9”, com um 1 TB de armazenamento e ligação de dados).

Se é nosso associado, faça login e veja o resultado alcançado por estes equipamentos no nosso teste. Se ainda não é subscritor, descubra esta e outras vantagens.  

Descubra os serviços que reservamos para os associados

Ecrã melhor e mais rapidez

O ecrã dos iPad Pro usa a tecnologia Apple Liquid Retina, com a mesma resolução da geração anterior, mas com um aumento significativo do brilho máximo e com consequências na qualidade do ecrã. Os revestimentos antirreflexo e oleofóbico (especialmente contra manchas nos dedos) garantem que tenha de limpar o ecrã menos vezes.

O botão Home desaparece nos novos iPad, o que torna os dispositivos mais compactos do que os anteriores sem afetar o tamanho do ecrã. A versão de 12,9’’ aproxima-se do tamanho de ecrã de um laptop, o que pode ser uma boa opção se o equipamento for para uso profissional. No entanto, terá de investir num teclado e numa caneta (não consegue utilizar os do seu iPad antigo) e não substitui, completamente, um computador portátil.

Também a Pen sofreu um upgrade e não é possível utilizar a antiga. A nova Pen é carregada por indução magnética, bastando estar junto do tablet. É bastante mais prático do que na geração anterior, em que a Pen teria de estar ligada na porta lightening. Dessa forma, não era possível carregar o tablet ao mesmo tempo e a Pen podia partir-se mais facilmente.

Segundo a Apple, a nova geração de iPad tem desempenho e rapidez superiores aos do iPad Pro 2017 devido ao processador A12X. Nos testes, verificámos uma melhoria, mas não ao ponto de duplicar o desempenho do processador gráfico nas tarefas do dia-a-dia.

Tal como o iPhone X, o login no iPad Pro 2018 é por reconhecimento facial, que funciona muito bem tanto na posição vertical como na horizontal. Mas no iPad Pro pode gravar vários rostos no mesmo dispositivo, ou seja, várias pessoas podem conectar-se através do reconhecimento facial. Um recurso útil, por exemplo, quando partilha o equipamento com outros elementos da família. No entanto, não é possível configurar múltiplos utilizadores como nos sistemas Android ou Windows.

USB C em vez de Lightning

Outra mudança nesta nova versão é a escolha da Apple recair na ligação USB tipo C em vez de lightning (standard da marca).

É uma ótima notícia em termos de compatibilidade, mas também significa que, como utilizador da Apple, nada poderá fazer com os adaptadores conectados ao lightning. Terá de comprar adaptadores novos. Para ligar auscultadores com microfone ao iPad é essencial o conector de 3,5 mm, a menos que use auscultadores Bluetooth.

Também testámos o leitor de cartões SD da Apple. Conseguimos transferir facilmente todos os dados do cartão SD para o iPad, mas a operação inversa não funcionou. Ou seja, não consegue transferir dados do seu dispositivo para um cartão SD, o que é surpreendente e muito dececionante.

O cabo USB C fornecido tem apenas 1 metro de comprimento, enquanto as versões mais antigas foram equipadas com um cabo de 2 metros. Se tiver de carregar o seu iPad enquanto trabalha ou estiver numa reunião, o comprimento do cabo pode não ser suficiente.

O nosso veredicto 

Tal como esperado, o novo iPad Pro corresponde às expectativas a nível de acabamentos e ecrã e supera o Samsung Galaxy S4 e o Surface Pro. É um equipamento marcadamente profissional, com especificações de topo e qualidade de construção excelente. O desempenho também consegue bater a concorrência, incluindo na velocidade de transferência de informação por WiFi.

Como há cada vez mais aplicações para iOS que, tradicionalmente, só estavam disponíveis para PC (como é o caso do Microsoft Office e do Photoshop), este aparelho procurar conquistar o segmento dos computadores profissionais.

A maior desvantagem é o facto de a Apple insistir em manter o seu ecossistema fechado, criando várias dificuldades no que respeita à compatibilidade com outros equipamentos e acessórios.

Em conclusão, são equipamentos muito bons mas com preços quase proibitivos para utilizadores não profissionais. A versão do iPad Pro de 11'' está a venda a partir de € 909 e a versão de 12,9'' a partir de 1 129 euros.

 

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.