Notícias

Concurso Sitestar.pt recebe 207 propostas de escolas de todo o País

06 fevereiro 2015 Arquivado

06 fevereiro 2015 Arquivado

Primeira fase do concurso promovido pela DECO e o DNS.PT contou com 207 propostas para o desenvolvimento de websites em português, das quais foram selecionadas 72 para passarem à segunda fase.

Os resultados da 1.ª fase do concurso “Sitestar.pt”, promovido pelo DNS.PT e pela DECO, já foram apurados, e estão selecionadas as 72 melhores ideias apresentadas pelos estudantes portugueses. Em resposta ao desafio lançado em outubro do ano passado para o desenvolvimento de websites com conteúdos originais em português e sob o domínio .PT, a organização recebeu um total de 207 propostas de escolas de todo o País.

O júri responsável pela avaliação das propostas apresentadas contou com representantes da DECO, da Associação DNS.PT, da Direção-Geral de Educação e da Associação Nacional de Professores de Informática, de forma a possibilitar uma apreciação multidisciplinar de todos os temas e ideias.

O concurso divide-se em dois escalões de participantes – alunos do 3.º Ciclo e alunos do Ensino Secundário/Profissional – e as propostas distribuíram-se pelas categorias “Ciência e Conhecimento”, “Empreendedorismo Social e Económico” e “Música, Artes e Desporto”. Em cada categoria foram selecionadas até 15 ideias para passarem à fase seguinte, que podem ser conhecidas em www.sitestar.pt.

As equipas selecionadas vão agora receber vouchers “3 em 1”, que representam a oferta de um domínio. PT, de uma ferramenta de criação de site e respetivo alojamento, e de um endereço de correio eletrónico. Estes recursos deverão ser utilizados para colocarem em prática as suas ideias, devendo os websites desenvolvidos serem submetidos para avaliação até dia 31 de março de 2015.

Os vencedores serão conhecidos no dia 29 de abril e em cada categoria serão apurados 2 vencedores e atribuídas 3 menções honrosas, sendo todos os membros das equipas vencedoras premiados com um tablet.

O concurso “Sitestar.pt” conta com o apoio da GDA, IGAC, INPI, DGE, FCT/Internet Segura.pt, SPA e ANPRI.