Notícias

$name

Dos 1432 associados que responderam ao nosso inquérito, entre abril e maio de 2013, a maioria faz compras online. Destes, quase metade afirma ter recorrido, pelo menos uma vez, a um sítio estrangeiro, recaindo a preferência em páginas de países europeus. Reserva de hotéis, produtos de eletrónica e marcação de viagens foram os três negócios mais procurados nos 12 meses anteriores ao preenchimento do inquérito.

Pagar menos e poupar tempo
Os inquiridos são quase unânimes em apontar como principais vantagens das compras online a possibilidade de encontrar preços mais baixos e a poupança de tempo. Mas também têm preocupações: a dificuldade na substituição ou reparação de um produto ou, mesmo, a sua devolução. Outra preocupação é a segurança. Só um terço dos inquiridos afirma que é seguro fazer compras pela Internet. Daí que tenham alguns cuidados quando fazem transações. A grande maioria evita usar um computador público e 60% também não utiliza uma ligação à Net pública. O antivírus é a ferramenta de proteção mais adotada.

Procurámos ainda conhecer a satisfação dos inquiridos com as páginas das lojas virtuais onde fizeram mais compras. Obtivemos resultados suficientes para 10 sítios. Regra geral, os inquiridos estão satisfeitos com os sítios que utilizam. A loja virtual da Amazon em Inglaterra é a que mais agrada, seguida de muito perto pela Wook. Curiosamente, a Amazon é a única loja estrangeira da nossa lista. Já a experiência de compra na Groupon, Continente, LetsBonus e TMN é a que menos satisfaz.

Consumidores online com segurança
Um antivírus e uma firewall são imprescindíveis no computador. Os programas gratuitos oferecem uma proteção aceitável, em conjunto com a firewall do Windows. Para aumentar a segurança, terá de optar pelas versões pagas. Consulte os resultados do nosso mais recente teste a programas antivírus e firewall.

Consulte os dados da empresa e verifique se existe uma morada física. Em alternativa, deve haver um número de telefone ou endereço de e-mail e a informação sobre onde está registada. O ideal é ser em Portugal ou na União Europeia. Caso contrário, as reclamações podem tornar-se mais complicadas.

Procure informação sobre a utilização dos dados pessoais. Se fornecer o seu endereço de e-mail, contacto telefónico ou outros dados, assegure-se de que a empresa não os vai ceder a terceiros. Também devem dar-lhe a possibilidade de não aceitar o envio de promoções e campanhas publicitárias.

Antes de concluir a compra, comprove o montante final: inclui preço, custos de envio, impostos e, se aplicável, outros custos. Certifique-se de que não compra produtos adicionais, como um seguro. O sistema de “duplo clique”, que leva o consumidor a confirmar duas vezes que concorda com as condições de venda e com a encomenda, deve ser a regra. Evita que aceite, por lapso, propostas comerciais pouco claras.

Pague com PayPal ou MBnet e evite expor os seus dados bancários na Net. Além disso, estas marcas podem ajudá-lo em caso de problemas. Embora nem todas as lojas online aceitem PayPal, o mesmo não acontece com o MBnet. Este sistema cria um cartão de crédito virtual e temporário, no qual pode limitar o montante incluído, e é usado como se de um cartão de crédito normal se tratasse. Antes de fornecer os dados bancários, verifique se a página tem sistemas de encriptação para o pagamento, por exemplo, um cadeado. Ao passar com o rato sobre o símbolo, é indicado o grau de encriptação. Os endereços das páginas seguras começam por https, em vez de http.

Nunca faça compras num computador público, nem use uma ligação Wi-Fi sem proteção.