Notícias

Como proteger dados pessoais nas redes sociais

Os dados pessoais de 533 milhões de utilizadores do Facebook foram divulgados online. Além da identidade dos utilizadores da rede social, foram expostas informações como números de telefone, endereços de e-mail e localizações. Saiba como proteger os dados pessoais nas redes sociais e evitar ser vítima de phishing.

  • Dossiê técnico
  • António Alves e Rita Rodrigues
  • Texto
  • Ana Rita Costa e Filipa Nunes
09 abril 2021
  • Dossiê técnico
  • António Alves e Rita Rodrigues
  • Texto
  • Ana Rita Costa e Filipa Nunes
mãos seguram telemóvel com símbolos de interação no Facebook

iStock

Um utilizador de um fórum de hacking publicou na internet os dados pessoais de cerca de 533 milhões de utilizadores do Facebook de vários países. Um porta-voz da rede social explicou que os dados em causa são antigos e que o roubo se deveu a uma vulnerabilidade da plataforma identificada e corrigida em 2019. Apesar de antigos, estes dados roubados são informação valiosa para cibercriminosos e deixam milhões de internautas vulneráveis.

Temos defendido um aumento generalizado da segurança das redes sociais e da navegação online, de modo a que os dados dos utilizadores sejam, pelo menos, de difícil extração ou acesso. Enquanto principal organização portuguesa de defesa dos consumidores, gostaríamos de sensibilizar o Facebook para a necessidade de novas políticas de segurança para as redes sociais e para uma maior proteção dos seus utilizadores.

Que dados podem ser roubados nas redes sociais

Todos os dados que coloca nos seus perfis nas redes sociais, como número de telefone, endereço de e-mail ou morada, podem ser furtados e utilizados por cibercriminosos que os pretendam utilizar para phishing ou para extrair outras informações mais confidenciais, como os seus dados bancários.

Como saber se os meus dados foram expostos

Se tem recebido muito spam na sua caixa de correio eletrónico ou chamadas de números estrangeiros, é provável que os seus dados tenham ido parar a bases de dados de spammers sem a sua autorização. Se quer saber se os seus dados foram roubados numa rede social ou noutra plataforma à qual os tenha disponibilizado, pode usar o portal Have I Been Pwned. O site analisa bases de dados expostas em mais de 300 sites e diz-lhe se os seus dados estão no leque de informação roubada a uma dessas plataformas.

Além disso, pode fazer uma verificação diretamente no Facebook. Abra o menu “Definições e privacidade”, clique em “Definições” e em seguida em “Segurança e início de sessão”. Aí é possível verificar em que dispositivos fizeram login com a sua conta. Se vir algum dispositivo que não reconhece provavelmente alguém está a entrar no Facebook com as suas credenciais. Neste caso, clique nos três pontos ao lado do dispositivo não reconhecido e clique em "Terminar sessão", para desconectar esse dispositivo. Além disso, é importante que altere a sua palavra-passe e que ative a autenticação de dois fatores.

Proteja-se de ataques de phishing

Após uma violação massiva de dados, como a que aconteceu recentemente no Facebook, deve ter especial cuidado com os e-mails, sms e chamadas telefónicas que receba de contactos desconhecidos ou suspeitos. Pode estar a ser alvo de uma tentativa de phishing.

Evite conversar com alguém que lhe peça informações pessoais ou confidenciais e nunca revele dados bancários. Se a pessoa afirmar trabalhar para o seu banco, entre diretamente em contacto com a organização através dos contactos habituais. Altere com frequência as palavras-passe que usa para aceder às redes sociais, não clique em links duvidosos que cheguem por e-mail, sms ou mensagem privada nas redes sociais e desconfie de mensagens com endereços estranhos ou escritos em português incorreto.

Por fim, sempre que possível, deve ativar a autenticação de dois fatores, evitando usar um número de telefone que possa ter sido roubado através de uma rede social como contacto de confirmação. Opte por aplicações de autenticação como Microsoft Authenticator ou Google Authenticator.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.