Dicas

Wi-Fi gratuito: 10 formas de garantir a sua segurança

Apesar de útil e cada vez mais comum, o acesso a redes Wi-Fi públicas pode deixar vulneráveis as suas informações pessoais. Saiba como navegar com segurança em redes Wi-Fi públicas e proteja os seus dados de possíveis ataques.

  • Dossiê técnico
  • João Miguens e Pedro Mendes
  • Texto
  • Filipa Nunes
30 agosto 2018
  • Dossiê técnico
  • João Miguens e Pedro Mendes
  • Texto
  • Filipa Nunes
Homem a segurar um tablet enquanto navega na net através de wi-fi público

iStock

Atualmente, existem cada vez mais pontos de acesso gratuitos à internet. Especialmente nas zonas urbanas, multiplicam-se os centros comerciais, bibliotecas, e até transportes públicos que nos permitem aceder de forma simples e sem custos à internet fora de casa.

Contudo, o acesso a uma rede Wi-Fi pública - seja através de hotspots disponibilizados pelas empresas de telecomunicações ou da rede de um café que forneça uma password aos clientes - tem riscos, que podem ter consequências graves.

Quando se liga a uma rede pública, está a partilhar a ligação a essa rede com outros utilizadores, incluindo os que pretendem aceder aos seus dados e usá-los de forma ilícita. 

Conheça as principais medidas preventivas para garantir a privacidade dos seus dados quando acede a uma rede Wi-Fi pública.

1. Confirme o nome da rede Wi-Fi

As redes falsas representam um importante fator de risco. Os utilizadores têm tendência para assumir que o estabelecimento utiliza o próprio nome na rede, mas nem todos o fazem ou podem nem sequer oferecer acesso à rede Wi-Fi.

Uma das estratégias que os hackers utilizam para aceder aos dados de quem procura ligar-se a uma rede Wi-Fi pública é a criação de um ponto de acesso falso, ao qual atribuem um nome aparentemente lógico de acordo com o local (por exemplo, o nome do hotel) ou um nome muito semelhante ao do hotspot real. Mas o hacker também pode criar um hotspot cujo nome é exatamente igual ao verdadeiro, levando a que os utilizadores se liguem a uma rede que não é segura. 

Por isso, não ceda à tentação de se ligar a uma rede só porque o nome lhe parece lógico e antes de se ligar a um Wi-Fi público, pergunte sempre aos responsáveis do local, o nome exato da rede.

2. Escolha uma rede que exija senha

Nem todas as redes Wi-Fi disponíveis são iguais e com cada vez mais opções disponíveis, é importante que escolha uma rede capaz de lhe oferecer uma maior garantia de segurança. Por exemplo, uma rede que para ser acedida necessita que peça ao funcionário da biblioteca ou do café uma senha de acesso é provavelmente mais segura do que uma rede totalmente aberta a qualquer utilizador.

Além de limitar o acesso, uma rede de Wi-Fi que exige senha utiliza encriptação, o que dificulta a ação dos hackers e representa um reforço de segurança.

3. Mantenha-se fiel a um local

Procure aceder ao Wi-Fi sempre a partir da mesma cadeia de restaurantes ou hotéis, ou até, a partir do mesmo hotspot. Se limitar a quantidade de pontos de acesso, menos empresas poderão aceder à sua informação pessoal e estará menos vulnerável a acessos indesejados. Ao diminuir o número de redes públicas que utiliza, diminui a probabilidade de expor a sua informação.

4. Desative a partilha de arquivos no seu computador

Quando a funcionalidade de partilha de arquivos (um recurso para partilhar arquivos com outros dispositivos na sua rede) está ativa, um hacker pode aceder facilmente aos arquivos no seu PC através de uma rede que não esteja devidamente protegida.

O Windows 10 considera qualquer nova rede como pública e desabilita automaticamente a partilha de arquivos. Além disso, uma vez que a firewall já está por defeito, ativa, não tem de se preocupar com configurações.

No caso do Windows 7, quando o sistema lhe pergunta se está numa rede doméstica, pública ou corporativa, escolha sempre a opção Rede Pública, de forma a aplicar as configurações de segurança corretas.

No MacOS a firewall está por defeito desativada e a partilha de arquivos ativada. Nas Preferências do Sistema pode desativar a partilha de arquivos e ativar a firewall.

5. Aceda apenas a sites “HTTPS”

O protocolo “HTTPS” (Hyper Text Transfer Protocol Secure) insere uma camada de proteção na transmissão de dados entre o computador e o servidor. Nos sites com endereço “HTTPS”, a comunicação é encriptada, o que aumenta consideravelmente a segurança dos dados. Certifique-se de que todos os sites a que acede numa rede Wi-Fi pública começam por “HTTPS” (por exemplo, https://www.deco.proteste.pt/). Este cuidado é especialmente importante nos sites em que tem de inserir as suas credenciais (login e palavra passe).

6. Mantenha os seus dispositivos atualizados

Quer no Wi-Fi público, quer na sua própria rede doméstica, os bugs de segurança no software permitem que os hackers contornem a sua proteção. Geralmente, cada vez que é lançada uma atualização, é implementado um reforço na segurança do sistema operativo. Por isso, qualquer que seja o dispositivo que utilize (smartphone, PC, tablet), mantenha o sistema operativo sempre atualizado.

7. Desative a ligação automática

Se voltar ao alcance de uma rede Wi-Fi à qual já se ligou, o seu dispositivo tentará de forma automática voltar a ligar-se à mesma rede. Esta ligação apresenta riscos, já que o ponto de acesso Wi-Fi que o seu dispositivo acha que reconhece, pode na verdade ser um ponto falso, configurado por um hacker.

Para evitar este tipo de tentativa de ligação não controlada, desative o seu Wi-Fi quando não estiver a utilizá-lo.

8. Utilize uma VPN

Utilize uma VPN (Rede Privada Virtual), que cria um “túnel” seguro entre o seu dispositivo e o servidor de um serviço VPN. Através de um sistema de encriptação de dados, uma ligação VPN permite que todo o tráfego esteja protegido.

Atualmente, existem vários serviços de VPN disponíveis, com opções gratuitas e pagas. Se precisa de recorrer frequentemente a uma rede de Wi-Fi pública, considere analisar qual a solução de VPN que mais se adequa às suas necessidades.

9. Opte pela sua própria ligação

A forma mais segura de aceder à internet fora de casa é através dos seus próprios dados móveis. Compare as várias opções no nosso simulador.

Sempre que possível, utilize o 3G/4G e não uma rede de Wi-Fi púbica, sobretudo quando precisa de aceder a aplicações de bancos, PayPal, ou qualquer aplicação que envolva dinheiro ou dados pessoais sensíveis.

10. Avalie os riscos

Embora cada vez mais seguro, o Wi-Fi público não oferece as mesmas garantias de segurança da sua rede privada. Assim, a melhor forma de se proteger contra o acesso indevido aos seus dados é limitar o mais possível o acesso ao Wi-Fi público. Contudo, se precisar mesmo de utilizar este tipo de rede, evite fazê-lo para aceder ao homebanking e ao e-mail pessoal e de trabalho, ou efetuar quaisquer operações que envolvam dados pessoais ou bancários. Reserve este tipo de operações para o acesso a partir de casa ou de uma outra rede segura. Deve também evitar utilizar computadores públicos e, se tiver mesmo que o fazer, garanta que termina a sessão de qualquer conta que tiver aberto.