Dicas

A câmara não está tapada? Pense duas vezes

Qualquer aparelho com câmara e com ligação à internet está vulnerável. Usar fita-cola colorida para tapar a câmara é uma das técnicas para se proteger.

29 novembro 2017
camara

Thinkstock

Seja no notebook, PC ou smartphone, desde que o equipamento tenha uma câmara e acesso à internet, é possível ser-se filmado e vigiado sem dar conta. Além de se utilizar para fins de investigação, a invasão de privacidade tem acontecido como assédio sexual e posterior publicação de vídeos nas redes sociais. Noutras situações é usada como forma de chantagem para obter proveitos financeiros e não só. Para quem utiliza a internet com antivírus e firewall, é possível ter alguma segurança, mas é impossível garantir a privacidade total.

Como se acede às câmaras

Os serviços de segurança de diversos países têm, há vários anos, tecnologia para ligar a webcam de qualquer equipamento sem acender a luz, ou seja, sem que o utilizador se aperceba. A técnica faz parte das ferramentas de administração remota que estes serviços utilizam, sobretudo, no combate ao terrorismo e em grandes investigações criminais. Mas esta prática não se restringe às autoridades.

As falhas de sistema e redes desprotegidas são entradas fáceis para os hackers, que muitas vezes partilham malware ou endereços em que os utilizadores mais desatentos clicam e que, ao serem descarregados e instalados, permitem aceder às câmaras e ativá-las remotamente. Os piratas acedem ainda a fotos e a todos os ficheiros do computador.

Os smartphones também são vulneráveis se, por exemplo, abrir links através do WhatsApp ou descarregar aplicações em lojas online não oficiais. Nestes casos, nem o melhor antivírus garante a proteção do equipamento.

A melhor forma de evitar a invasão da privacidade passa por ter alguns cuidados.

Proteja a câmara dos equipamentos

Tapar a câmara dos equipamentos com fita-cola é uma das técnicas antigas que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, e o antigo diretor do FBI, James Comey, utilizam e recomendam. É uma técnica que não protege os equipamentos dos hackers, mas impede que estranhos o vejam e vigiem. Siga algumas dicas para ficar protegido.

  • Escolha uma password forte (por exemplo, combine letras, números e símbolos) e altere-a com frequência.
  • Não descarregue programas ou arquivos de sites pouco fiáveis. Antes de abrir, verifique os links que lhe chegam através de email ou nas redes sociais. Se passar o rato por cima do endereço, sem lhe clicar, consegue ver para que página irá remeter. Se não conhecer ou tiver dúvidas, não o abra. De igual forma, se não conhecer a pessoa que os enviou ou for um link suspeito, não abra.
  • Mantenha em modo oculto a rede Wi-Fi que utiliza (assim esconde o SSID).
  • Tenha o antivírus do seu equipamento atualizado.
  • Descarregue as apps em lojas fiáveis (como Google Play, Play Store ou App Store). Desconfie de lojas que apresentem uma avaliação dos utilizadores muito baixa ou daquelas que têm poucos downloads.
  • Utilize o método antigo e infalível de colar fita-cola nas câmaras e microfones dos equipamentos. Se preferir algo com mais estilo, já é possível encontrar no mercado pequenos protetores de câmara.
  • Feche o computador sempre que não estiver a usá-lo.