Primeiras impressões

Smartphone e máquina fotográfica: analisámos três modelos

O nosso veredicto

O Nokia Pureview 808 conta com o sensor mais ambicioso dos três aparelhos analisados, tanto pelo tamanho como pela resolução. Fotos de qualidade, rapidez, potência de flash e função de telefone convincente fariam deste equipamento uma Escolha Acertada incontestada. Mas o facto de recorrer ao sistema Symbian, que a Nokia está a abandonar nos smartphones a favor do Windows Phone 8, limita as possibilidades deste aparelho.

Pequena e prática, a Nikon Coolpix S800c pesa 184 gramas e oferece uma ficha técnica atraente. Mas, na utilização, acaba por desiludir. Não tem uma imagem extraordinária, produz muitos erros, revela lentidão, a autonomia da bateria é reduzida e a função de telefone está ausente. A Nikon quis ser o primeiro fabricante a apresentar uma máquina com sistema operativo Android e talvez a precipitação tenha sido a sua falha.

A Samsung Galaxy Camera é um smartphone Galaxy SIII com elementos de máquina compacta. Partilha alguns componentes internos com o aparelho anterior e, assim, certas características: rapidez nos modos de fotografia e smartphone e imagem aceitável. Em termos globais, foi o equipamento que mais nos convenceu. Apesar de desprovido de telefone, foi concebido sobretudo para o acesso às redes sociais. Um turista pode facilmente fotografar, fazer o tratamento das imagens com uma app adequada e partilhá-las com os amigos. Mas, no estrangeiro, se recorrer ao 3G, tenha em atenção os custos do roaming, já que os ficheiros de imagem atingem dimensões consideráveis.