Primeiras impressões

Droni: diversão a bom preço para crianças e principiantes

21 janeiro 2015 Arquivado

Arquivado

O drone da Imaginarium tem limitações, mas pode garantir diversão por um preço simpático: 89,95 euros. Nota negativa para a embalagem e o manual de instruções, porque confundem o consumidor com mensagens contraditórias.

Vídeos e fotos: desempenho agridoce

A posição da câmara no drone não pode ser ajustada e a sua lente não oferece um ângulo de visão muito alargado (não é uma verdadeira grande angular).  Para conseguir enquadrar por completo determinados cenários, poderá ter de aumentar bastante a altitude. Grava em alta definição, mas se compararmos os vídeos produzidos pelo Droni com os de aparelhos com os quais os consumidores estão familiarizados, por exemplo, os smartphones, a qualidade é muito inferior. Em interior, a qualidade obtida é realmente fraca. No exterior, o cenário não melhora muito, apresentando cores poucos fiéis e uma nitidez muito fraca.

O Droni grava som, ao contrário dos anteriores drones testados.  

As fotografias do Droni são claramente superiores às tiradas pelos outros dois drones que testámos, com bastante menos distorção e maior nitidez. Mesmo assim, estão no limiar do aceitável. Porém, não há forma de fazer o enquadramento dos vídeos e fotos, tal como noutros aparelhos, onde era possível ligar um smartphone (por Wi-Fi direct) e ver em tempo real o que estava a ser gravado. Durante os nossos ensaios, o resultado ficou por várias fotos falhadas e cenários com um enquadramento indesejável.

À esquerda, a imagem captada com uma câmara profissional. À direita, a obtida com o Droni. A diferença de qualidade é notória. O Droni não permite enquadrar uma área suficientemente alargada nas gravações.
À esquerda, a imagem captada com uma câmara profissional. À direita, a obtida com o Droni. A diferença de qualidade é notória. O Droni não permite enquadrar uma área suficientemente alargada nas gravações.