Notícias

Samsung Gear ajuda a entrar na moda dos vídeos a 360 graus

21 março 2017
Samsung Gear inova com vídeos a 360°

21 março 2017
A câmara Samsung Gear 360 cria vídeos a 360°, com as duas lentes olho de peixe que capturam quase a totalidade do local da gravação. Mas a lista de telemóveis compatíveis é restrita.

Início

A nova câmara Samsung Gear 360 cria imagens de visão completa, com as duas lentes olho de peixe colocadas à frente e atrás, com 180 graus de ângulo de captura no plano vertical e horizontal. À venda a partir de € 274, é compatível com os modelos Galaxy S7, S7 Edge, Note5, S6, S6 Edge, S6 Edge+. A ligação é feita através de Bluetooth. 

Quem não tem um destes smartphones pode usar a Gear 360, mas terá de transferir os vídeos para um computador Windows e usar o programa Gear 360 Action Director para juntar as imagens das 2 lentes e criar o vídeo final a 360°. A licença para descarregar o programa no site da Samsung vem incluída com a câmara.

Se procura um telemóvel ou uma câmara de vídeo, veja os resultados dos nossos testes e os preços mais em conta.

O programa tem outras opções de edição, como montagem de diferentes clips através de uma timeline ou corte de excertos que queremos excluir. No entanto, usá-las exige, no mínimo, um computador Intel Core i5 ou AMD A8, e uma placa gráfica GeForce 8000 ou Radeon HD 2000, para editar os vídeos em Full-HD. Se preferir em 4K, precisará de um computador mais poderoso, para evitar que a edição seja demorada.

Primeiros passos no mundo panorâmico

Instale a aplicação Gear 360 Manager, que comanda a câmara através do smartphone. A app está disponível na loja Google Play. Além da TV e do computador, a visualização dos vídeos 360° pode ser feita nos novos óculos Samsung Gear VR.

Como as imagens a 360° ocupam mais espaço do que os vídeos normais, o melhor é ter um cartão de memória generoso, por exemplo, de 64 gigabytes.

Antes de começar a gravar, emparelhe o telemóvel à Gear 360 através do Bluetooth do telemóvel. Assim, será mais prático controlar a câmara e as suas funcionalidades (gravação, pausa, visualização) e selecionar os modos (vídeo, foto, time-lapse, vídeo-looping, 180°, etc).

Com o modo 180°, a câmara usa uma das lentes olho de peixe para capturar uma imagem semi-esférica. Nos outros modos, são usadas as duas lentes para fotografar ou filmar em formato 360°. Depois, no smartphone ou PC, o programa une as imagens, como se as “costurasse” - processo também conhecido como stitching.

Durante este processo, as imagens podem não encaixar perfeitamente umas nas outras. Nalguns casos, os pontos de união são mesmo visíveis. Para eliminá-los por completo, caso queira imagens o mais profissionais possível, terá de usar um programa de edição. Ainda assim, o stitching do Gear 360 é bom para o uso doméstico.

Publicar nas redes sociais

No Facebook, por exemplo, as palavras-chave usadas para gravar os ficheiros na câmara ajudam a identificar automaticamente que se trata de um conteúdo a 360°.
No YouTube tal não acontece, ou seja, terá de incluir manualmente essas palavras-chave. O Twitter ainda não permite aos consumidores fazerem o upload destes vídeos. Porém, espera-se que a restrição seja brevemente ultrapassada, pois as empresas já o fazem.

Os browsers são outro desafio: segundo a Samsung, o Internet Explorer 10 e as versões inferiores podem ter problemas de visualização. Para ver fotos e vídeos a 360°, o melhor é usar o Chrome, Edge ou Firefox.