Dicas

Como proteger o computador na rede doméstica

07 abril 2015
Dicas para melhor proteger os computadores na sua rede doméstica.

07 abril 2015

Um computador infetado que pertença a uma rede doméstica pode facilmente contaminar os restantes. Saiba como minimizar os riscos.

Quando vários computadores e dispositivos estão ligados à mesma rede doméstica, basta um ser infetado para se espalhar pelos restantes, nomeadamente através de ficheiros ou dispositivos partilhados, como os discos de rede NAS (Network Attached Storage). Para proteger o PC de danos, consulte os resultados do nosso teste a antivírus.

Um tipo de ameaça cada vez mais frequente que poderá, eventualmente, contaminar todos os computadores de uma rede doméstica é o denominado ransomware (ou resgateware), como o CryptoLocker, TorrentLocker, TorLocker, Cryptowall, entre outros. Este tipo de malware sequestra os ficheiros, encriptando-os e guardando a chave de encriptação. Depois, pede um regaste para devolver o acesso aos ficheiros.

O software de segurança pode prevenir muitas destas infeções, mas é não 100% eficaz. É, por isso, aconselhável tomar medidas adicionais, como isolar os computadores, sobretudo de crianças, mais propensas a comportamentos de risco, como a execução de arquivos desconhecidos da Internet ou recebidos por e-mail. Para minimizar os riscos, eis os nossos conselhos.

Crie redes Wi-Fi separadas
Alguns routers permitem criar múltiplas redes Wi-Fi. Para tal, use a funcionalidade com uma denominação do tipo “Guest Network” ou “Rede para Convidados”, que permite criar vários acessos à rede, sem que haja partilha de computadores ou dispositivos.

Dependendo do número de computadores em casa e das possibilidades do router, poderá criar uma rede por computador ou, pelo menos, para as crianças da casa. Um dos inconvenientes deste procedimento é impedir a partilha de conteúdos entre as diferentes redes. O desempenho da rede também será afetado, uma vez que a largura de banda Wi-Fi será partilhada pelas diferentes redes, exceto se dispuser de um router dual-radio que pode funcionar em duas frequências (2.4Ghz e 5Ghz) ao mesmo tempo.

Uma conta por utilizador e com restrições
Cada membro da família deve ter sua própria conta do Windows, que não deverá ser uma conta de “administrador”, sobretudo no caso das crianças. No Windows 8, é muito fácil criar uma conta para criança. Apresenta a vantagem de já incluir algumas funcionalidades de controlo parental, como o bloqueio de páginas pouco adequadas para a idade e restrições nas aplicações a que poderá aceder.

Em “Restrição App”, poderá definir uma lista de programas autorizados. Tal ajuda a prevenir a execução de programas maliciosos (malware).

Um ficheiro partilhado, localizado no computador ou num disco de rede NAS, pode ter o seu acesso restringido a utilizadores específicos e com diferentes permissões (só acessível para leitura, ou para leitura e escrita).

Em cada conta de utilizador, defina as permissões de partilha apropriadas. Deverá ser dado a cada utilizador o nível mais restritivo, mas que possibilite a utilização pretendida. No caso das crianças, será boa ideia restringir o seu acesso apenas à leitura.

Os sistemas operativos Windows 7 e Windows 8 incluem a opção "Grupo doméstico", que permite a partilha rápida de conteúdos entre computadores. Por defeito, uma pasta partilhada está configurada só para leitura. Deixe como está sempre que possível.

Faça backups num disco externo
Para recuperar dados em caso de infeção, por exemplo, de vírus do tipo “ransomware “, é importante ter um backup de todos os dados. Os backups devem ser feitos com frequência e guardados offline, por exemplo, num disco externo USB, que apenas deverá ligar ao computador durante o processo de backup.


Imprimir Enviar por e-mail