Resíduos

Reduzir, reutilizar e reciclar. Já conhece os três “r” da sustentabilidade dos resíduos. Acrescente-lhe mais dois: o “r” de recusar e o “r” de redesenhar. Saiba como dar um destino construtivo ao que antes chamava “lixo”

Imagem ilustrativa lixo

Economia circular: fixe este conceito

A produção de resíduos na Europa está a aumentar, e o nosso país não é exceção. Pelo contrário: em 2018, cada consumidor nacional tinha produzido em média 508 kg de resíduos. Se é verdade que separamos cada vez mais embalagens, metais e vidros – e, com isso, reciclamos mais – ainda estamos bastante longe das metas europeias, que determinam que em 2035 teremos de reciclar ou reutilizar 65% dos resíduos que produzimos. Este é um dos problemas centrais da sustentabilidade e de outro conceito, o da economia circular: nada se deita fora, quase tudo pode servir de matéria-prima para novos objetos.

Diminuir a pegada ecológica

Das frutas e legumes que compramos no supermercado, quase sempre em excessivas embalagens de plástico, à roupa que mudamos a cada estação, só para andar a par e passo com a moda, muito contribui para o aumento, ano após ano, da nossa pegada ecológica. Os tempos de pandemia fizeram-nos perceber melhor o que é essencial nos nossos comportamentos de consumo: as portas fechadas dos centros comerciais, a restauração aberta a meio gás, a mobilidade que passou a ser só entre casa e o comércio de proximidade acabaram por nos mostrar que a vida pode continuar sem hábitos de consumo insustentáveis.

Neste pilar do portal da sustentabilidade vai poder ver como podemos fazer essa transformação: faremos uma revisão da matéria dada sobre o que separar (o que é aproveitável para reciclagem ou não), como reutilizar embalagens ou objetos de vidro em casa, peças de roupa e outros têxteis, e ainda objetos de que nos queremos desfazer e sabermos que fim lhes poderemos dar. Ou que novo início...

Metas europeias para reciclar e reutilizar

O objetivo é integrarmos uma cadeia de produção em que, num mundo ideal, deixe praticamente de haver resíduos. A Comissão Europeia estabeleceu, há dois anos, um conjunto de metas que definem a chamada economia circular. É o novo mandamento no espaço europeu: a economia passa a ser colaborativa em vez de competitiva, os resíduos passam a ser considerados matéria-prima para outros objetos ou funções, num círculo em que os bens de que já não nos queremos servir já não vão parar a um aterro.

As metas estão definidas em percentagens: quanto cada país da União deve ser capaz de reciclar ou reutilizar até 2035 (bem mais de metade do que produz, 65%), que novas áreas económicas podem aparecer para dar outro fim aos resíduos, entre outras medidas.

O consumidor sustentável deve ter consciência de que pode contribuir muito para a economia circular.

Daremos as pistas para, por exemplo, ter uma relação diferente com as embalagens dos alimentos ou dos objetos, e até com a roupa que usa. E daremos novidades no domínio da reciclagem. Apelamos ainda a que denuncie abusos sobre a deposição de resíduos na sua localidade, recorrendo ao nosso portal. Só assim podemos tornar a economia um círculo perfeito. Ou, numa só palavra: sustentável.

Atualidade

Sabia que o que ontem deitávamos fora pode hoje servir para gerar outra cadeia de valor? Falar de resíduos hoje é dizer que eles já não são “lixo”. Saiba o que pode fazer por si e pelo planeta.

Ver todos

Reduzir, Reutilizar, Reciclar: 15 ideias criativas para toda a família


Calculadora Ambiental

Conheça a calculadora que revela o impacto das suas escolhas diárias no ambiente, e lhe dá conselhos práticos sobre como o reduzir, em áreas como água, energia, mobilidade ou resíduos.

Comece já
×
Cookies

Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.

A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Saber Mais